ESTREIA | Jaime De Paula, novo colunista do AcontecendoAqui> Inteligência artificial, necessidade real

19 de Novembro de 2020

São infinitas as possibilidades de negócios envolvendo inteligência artificial e machine learning

 

Olá Pessoal!

É com enorme satisfação que apresento a vocês Jaime De Paula, nosso mais novo colaborador. Catarinense, nascido em Florianópolis, estudou na UFSC-Universidade Federal de Santa Catarina, de onde vem o título de PHD em Inteligência Artificial. Fundador da Paradigma e da Neoway, dois ícones do ecossistema da tecnologia brasileira, é um empreendedor com investimentos em 20 startups no momento. O lado humano de Jaime é pouco propagado. Quem o conhece de perto sabe a sua dedicação a projetos sociais e sua disposição em polinizar pessoas. Esta, uma característica de todos os nossos colunistas. Jaime publicará artigos periodicamente sobre tecnologia, área que domina e onde tem respeito nacional e internacional.
Bem-Vindo Jaime!

Jailson de Sá
Editor

Que alegria ser convidado pelo Jailson para fazer parte desse timaço de colunistas no principal portal de comunicação, publicidade e marketing de Santa Catarina. Meu desafio será falar sobre tecnologia e seus impactos nas nossas vidas. Conto com a leitura, as sugestões e as críticas do qualificado público do Acontecendo Aqui. Obrigado pela oportunidade!

Jaime De Paula

 

A grande missão da tecnologia é dar produtividade aos negócios e transformar dados em conhecimento. E é por isso que inteligência artificial (IA) e o machine learning precisam estar no radar dos empreendedores e no arsenal dos vendedores, de qualquer setor. Se você acha esses conceitos distantes da sua realidade, é preciso começar a rever seus conceitos, sendo você ligado ou não ao setor de tecnologia.

 

Já faz um bom tempo que comecei a estudar inteligência artificial, especificamente em 2002, quando, na prática, tínhamos de inteligência somente o nome – era uma linguagem de programação igual às demais, basicamente sem diferenciais. Mas seu desenvolvimento vem se acelerando em curva exponencial. Em 2020 temos uma infinidade de aplicações com uso de IA, com grandes volumes de dados (Bigdata/Analytics) sendo organizados e ferramentas que permitem a análise e o entendimento, gerando o valorizado CONHECIMENTO, que é o que realmente interessa para as estratégias de negócios.

 

Essa transformação de dados para conhecimento remete a uma analogia entre exportar uma matéria prima ou um produto acabado – nesse caso, o dado é a matéria prima, que precisa de organização, e o produto acabado é a análise e o entendimento para gerar conhecimento. E uma dessas tecnologias de inteligência artificial é o machine learning (ML), literalmente o aprendizado de máquina, em que a máquina te ajudar a aprender com a associação dos teus dados históricos primários e secundários, sejam imagens, números e tudo que a tecnologia puder identificar. 

 

Vejamos o seguinte caso prático, em que temos, de um lado, um conjunto histórico de dados secundários de empresas de um determinado segmento, por exemplo, hospitais - e de outro 

um cliente que oferece produtos e ou serviços para o setor hospitalar. Vamos tomar por hipótese que ele já forneça para 1000 hospitais no Brasil – e aí fazemos a seguinte pergunta: para quais os outros 1000 hospitais ele deveria oferecer seus produtos e serviços com uma alta taxa de sucesso de venda?

 

Quem dará a resposta é o ML. Ao juntar os dados secundários de mercado (dados públicos, sempre anonimizados na origem), com os dados primeiros do cliente (pelo menos, o número dos 1000 CNPJ que já são clientes), o sistema vai indicar com altíssimo grau de precisão os seus próximos 1000 novos clientes. Quanto mais dados primários, mais rico fica o sistema.O grau de assertividade se reverte em vendas que se revertem em lucros. Por isso não se admite mais uma área comercial com os vendedores usando “espingarda espalha chumbo”. É preciso que eles estejam equipados como “snipers”. E o machine learning é a mira a laser da inteligência artificial.

 

Essa, claro, é apenas uma face das infinitas possibilidades de negócios envolvendo inteligência artificial e machine learning. O mesmo mecanismo se aplica a uma infinidade de situações, muitas ainda por descobrirmos. O fato é que já estamos convivendo intimamente com essas tecnologias nas conversas com robôs nos chats de relacionamento com empresas, nas nossas redes sociais e sites de comércio eletrônico. A ponto de algumas vezes acharmos que estamos sendo ouvidos ou espionados. De alguma forma, estamos mesmo. Mas isso é tema para outro artigo.

 

Para encerrar o texto, mas não o assunto, recomendo a quem tem interesse pelo tema (e para quem ainda não tem) esse vídeo do Rodrigo Scotti no TEDx. Rodrigo é um dos Forbes 30 Under 30 e traz uma interessante reflexão sobre o quanto a inteligência artificial é sensacional - mas também sobre como ela é somente uma ferramenta que precisa de muita inteligência real para ser bem aplicada. 

Obrigado pela leitura e até a próxima!

 

Jaime De Paula

  • imagem de jaime
    Jaime de Paula é empreendedor de tecnologia, engenheiro, PHD em Inteligência Artificial (UFSC), cursando pos-doc na Univalli, também em IA. Iniciou como executivo de grandes empresas como a BRFoods até fundar a Paradigma e depois a Neoway, onde foi CEO até junho de 2019. Mentor Endeavor e Darwin, investe em mais de 20 startups do ecossistema catarinense de tecnologia. Participa ativamente de projetos sociais como o IVG – Instituto Vilson Groh (que cuida de mais de 5000 crianças diariamente), entidade da qual é fundador convidado pelo Padre Vilson Groh. Apoia também os projetos Superando Barreiras, que oferece aulas gratuitas de jiu-jítsu para jovens e crianças em vulnerabilidade social, e o Mama Solidária, que oportuniza cirurgias de reconstrução mamária a pacientes vítimas de câncer. Acompanhe Jaime pelo LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/jaimedepaula

Notícias Relacionadas