ENTREVISTA | André Maggi, CEO do Canal do Anúncio

20 de Janeiro de 2020

Plataforma online completa para compra e execução de mídia

 

O AcontecendoAqui conversou com André Maggi, fundador e CEO do Canal do Anúncio, uma plataforma online completa para compra e execução de mídia. Offline ou online, nacional ou internacional, alto ou baixo custo, nela agências e anunciantes encontram tudo em um único lugar para fazer planos de mídia e executá-los em poucos cliques.

Trata-se uma plataforma onde a base de veículos é compartilhada entre todos os usuários. Sua proposta é integrar compradores e vendedores de mídia para ganharem escala e produtividade, otimizando suas operações através de ferramentas simples como as cotações online.

 

O Canal do Anúncio está chegando ao mercado com uma proposta revolucionária para agências de publicidade e anunciantes. Qual é o propósito da startup?

Entregar um serviço 100% self-service end-to-end. Democratizar a mídia para clientes não especializados e com poucos recursos. Reduzir o esforço operacional e aumentar a eficiência de agências e anunciantes grandes.

Qual o critério para os veículos de comunicação entrarem na plataforma?

Para fazer parte da plataforma, a empresa deve ser proprietária do inventário que está comercializando ou ter um contrato de representação exclusiva, deve ter uma audiência relevante em relação ao meio em que atua e apresentar algum histórico no mercado. Além disso, existe uma avaliação padrão da estrutura empresarial que deve cumprir critérios básicos administrativos, fiscais e de qualidade.
 

De que forma vocês validam os dados quantitativos e qualitativos dos veículos? 

Os dados quantitativos são validados através das fontes apresentadas nos media kits, já os qualitativos são verificados por meio de 3 possibilidades: verificação in loco, consumo da mídia ou referências locais. É comum nosso time de mídia entrevistar por telefone ou vídeo conferência habitantes, estabelecimentos comerciais e até mesmo órgãos públicos das cidades onde o potencial parceiro atua.

Qual o público alvo da Canal do Anúncio?

No início, eram pequenas e médias empresas, mas hoje atendemos empresas e agências de todos os tamanhos, buscando comprar mídia de forma transparente, rápida e econômica.

Como é feita a compra de mídia e o plano de veiculação?

O sistema conta com 3 etapas bem intuitivas:
. Busca com filtros inteligentes, geolocalização e assistente virtual.
. Planejador automático alimentado com regras de negócio, políticas comerciais, medidor de qualidade com base em técnicas de performance publicitária e cotação eletrônica.
. Pagamento por meio de boleto, cartão de crédito ou transferência bancária.
A partir daqui, é dado início ao processo de OPEC: transmissão de Pedido de Inserção (reservas), subida de conteúdo (artes), veiculação e comprovação. Tudo de forma automatizada.

Com base em quais dados a plataforma planeja a compra de mídia e o plano de veiculação?

Baseada nos dados nos mídias kits, tabelas de preços, e pesquisas de audiência compradas do IBOPE pelos veículos, fontes públicas como IBGE, DNIT e outras. Os algoritmos cruzam estas informações com os dados informados pelos clientes: público-alvo, localidades, investimento, etc. Também temos alguns modelos estatísticos com base no aprendizado histórico do sistema para gerar planos prontos, demandando apenas ajuste finos pelos usuários.

Qual a vantagem para os usuários da plataforma?

Otimização em muitos aspectos, mas os principais são tempo, dinheiro e organização. Além disso, há uma vantagem essencial na área de Compliance: transparência e imparcialidade.
 

Além da compra de mídia vocês também oferecem o acompanhamento e análise de campanhas. Poderia explicar como isso é realizado?

Sim. O acompanhamento conta com nosso sistema automático de alertas e demonstrativos de status, envolvendo as pessoas certas nos momentos certos. As análises das campanhas podem ser operacionais, com base em plano x execução; de performance, com aplicação das técnicas de atribuição, que quando combinadas aos dados de conversão fornecidos pelos clientes, colocam a gestão analítica de mídia off-line e online em pé de igualdade; ou de awareness, com pesquisas contratadas. Tudo depende do perfil, objetivo e recursos de cada cliente.

O que é a inteligência estatística evidenciada na apresentação dos benefícios para quem usa o Canal do Anúncio?

É o cruzamento de múltiplas variáveis, correlação de bancos de dados relacionais e não relacionais, aplicação de métodos matemáticos tradicionais da publicidade que até hoje ainda são feitos em planilhas por heróicos profissionais de mídia. No curto prazo, o modelo de atribuições permite trackeamento, mensuração e análise voltados para performance, mas no longo prazo, nossa estrutura de KDD permite a modelagem do mix de mídia para cada produto, categoria e demais variáveis com grande eficácia.

Qual a base atual de veículos por meio e a quantidade de usuários mensais?

Temos hoje uma rede com mais de 1.200 veículos parceiros, sendo mais de 400 rádios, por exemplo.
O Canal do Anúncio tem recebido quase 10 mil usuários por mês e este número tende a aumentar muito em 2020 com a divulgação do serviço em maior escala.

Como é feita a cobrança dos anunciantes e qual taxa o Canal do Anúncio cobra?

Todos os pagamentos são feitos na plataforma, adiantados quando compras menores e faturados com contrato e análise de crédito quando compras maiores.
Compras esporádicas de não assinantes pagam preço bruto com descontos, já os anunciantes assinantes da plataforma, ou seja, que fazem campanhas recorrentes, pagam preços líquidos com descontos. O Canal do Anúncio cobra apenas 5% de taxa de conveniência dos clientes e nas transações esporádicas (valor bruto) retém 20%, repassando 80% aos veículos, como as agências fazem. Não existe mark’up, tampouco BV.

Um plano via agência e outro sem agência tem o mesmo custo?

No Canal do Anúncio a única diferença está entre assinantes e não assinantes, um paga bruto e outro líquido (mais barato).
Contudo, quando uma agência está realizando o trabalho pelo cliente, ela vai cobrar por isso e o custo ficará mais alto para o cliente, nada mais justo.
Criamos uma plataforma específica para agências, chamada Canal do Mídia, ali a comissão dos veículos fica para elas.

A plataforma está certificada pelos órgãos que normatizam a publicidade no Brasil, como o CENP?

Somos uma empresa de Media Tech e não há uma categoria criada para nosso modelo de atuação. Somos aderentes ao Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária do CONAR, seguimos a Lei 4.680 de 1965, que tem enorme potencial para uma atualização, e temos padrões de ética e governança rígidos e alinhados com os dos maiores grupos de mídia do Brasil.
Qualquer certificação junto a instituições privadas ou associações serão muito bem-vindas à medida em que houver sentido para ambas as partes.

 

Notícias Relacionadas