Publicidade
ARTIGO | Colaborações estratégicas entre startups e grandes empresas: open innovation e comunicação
19 de Março de 2024

ARTIGO | Colaborações estratégicas entre startups e grandes empresas: open innovation e comunicação

A colaboração das empresas tradicionais com as startups potencializa a comunicação e o marketing

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Por Nilio Portella

Mundo digitalizado, consumidores exigentes por produtos inovadores e experiências memoráveis, concorrências de ofertas na palma da mão, redes sociais para o engajamento pró e contra, a busca pelo lead qualificado, a resposta mais rápida, a mensuração de tudo. Os últimos anos têm sido desafiadores para as empresas tradicionais acompanharem as tendências de inovação dos novos tempos e pensar fora da caixa para a comunicação assertiva, uma melhor jornada do cliente e desenvolvimento de soluções eficientes pode ser uma tarefa que requer reforços externos.

Publicidade

Uma saída para potencializar a comunicação e o marketing pode ser a colaboração das empresas tradicionais com as startups, a partir da troca de conhecimento, recursos e perspectivas únicas. Essa conexão de inovação aberta, não apenas impulsiona o crescimento e a adaptação no mercado, mas cria sinergias valiosas que podem moldar o futuro dos negócios de maneira positiva e sustentável. Uma estratégia vantajosa para ambas as partes, uma relação ganha-ganha.

A open innovation é uma abordagem multidisciplinar, que envolve todos os segmentos, seja indústria, varejo, serviços, saúde ou entretenimento. E quando falamos do campo da comunicação, pesquisadores e profissionais têm explorado como a inovação aberta pode ser aplicada para melhorar a eficiência, criatividade e eficácia nas suas estratégias de engajamento com o seu público. O interesse por tecnologias de marketing, especialmente por captação e manejo de dados, mensuração e geração de conteúdos multiplataformas e criação de sistemas automatizados.

Estamos falando de empresas tradicionais, grupos de comunicação, agências de publicidade, startups e até mesmo colaboração com o público em geral para desenvolver novas soluções. Automação de marketing, Análise de dados, Inteligência artificial, Realidade virtual e aumentada e Segurança da informação estão no planejamento estratégico que foque minimamente em inovação na jornada do cliente e assertividade na busca pelos seus leads.

As startups focadas no segmento de comunicação e marketing podem receber diferentes denominações, como Martechs (tecnologias de marketing), Adtechs (tecnologias de publicidade), Mediatechs (tecnologias de mídia) e, a menos usual, Madtechs (em inglês, marketing and advertising Technology). Elas potencializam e aceleram a transformação digital e, no fim, o relacionamento com a ponta, com o cliente final.

Segundo dados divulgados do IMARC Group, empresa de pesquisa de mercado, o setor global de martechs foi avaliado em US$ 338 bilhões em 2022, e a tendência é de que apresente uma Taxa de Crescimento Anual Composta (CAGR) de 22,2% entre 2023-2028.

Inovação Aberta e a Transformação Digital com as Martechs, Adtechs, Mediatechs e Madtechs

A convergência de inovação aberta com as tecnologias de marketing, publicidade e mídia tem desempenhado um papel crucial na transformação digital. As startups podem se conectar com grandes empresas e obter acesso a recursos, expertise e dados que não possuem internamente, isso permite que as startups acelerem seu desenvolvimento e tragam soluções e produtos inovadores para o mercado.

Conforme informações divulgadas pela plataforma 100 Open Innovation, no setor de MarTechs, 123 startups tiveram contratos validados de open innovation com corporações no ranking de 2023, representando um crescimento de 4% em relação ao ano anterior. Ainda segundo o ranking, se destacaram entre as tendências de inovação mais exploradas o “Big Data & Analytics”, “Artificial Intelligence” e “Customer Experience”. Além disso, os setores de corporações que mais se relacionaram com essas startups foram “Bens de Consumo e Alimentação”, com 15,6% dos relacionamentos, seguida por “Varejo e Distribuição” (8,2%) e “Serviços Profissionais” (7,5%). Pensando no segmento de agências, esse movimento também obrigou um olhar além do óbvio, o que muitos falam de comunicação 360º, a partir de novas formas de planejar e pensar ações como verdadeiras startups ou com a parceria delas. Estratégias desenhadas a partir do Design Thinking ou Design Sprint, equipes trabalhado de forma ágil em squads.

A Inovação Aberta dentro da comunicação para os próximos anos será uma ferramenta poderosa que pode ajudar empresas e instituições a encararem os desafios dos tempos modernos e se prepararem cada vez mais para um futuro digital.

Imagem: Pexels

Publicidade
Publicidade