Coluna Inspiração | As principais tendências para 2021

27 de Fevereiro de 2021

Todos os relatórios de tendência de 2021 em um só lugar para facilitar a leitura e download

 

2020 não foi um ano para arriscar tendências, mas sim para resolver pendências. Marcas e empresas tiveram que tirar do papel a transformação digital e realizar muitas mudanças na operação para acompanhar os consumidores. Mas 2021 chegou. E agora?

Todo ano, as principais consultorias e agências do mundo lançam reports de tendências, com leituras sobre os movimentos em destaque em áreas como tecnologia, cultura, redes sociais, negócios e muitas outras. Ainda que esses materiais sejam extremamente informativos, geram um problema para quem quer se manter atualizado: são muitos relatórios e espalhados em plataformas e páginas diferentes, e fica difícil acompanhar tudo. Tem relatório do Facebook, Kantar, Euromonitor, Delloite, Fjord, WSGN. Cada um traz um olhar diferente, mas todos são igualmente relevantes.

Para facilitar a nossa vida, reuni todos os relatórios em um mobile app para termos o acesso a essas informações valiosas a qualquer momento. Virou o meu guia de leitura e acho importante compartilhar com todos para fortalecermos o mercado.

 

 

Aqui na NSC, estar sempre à frente nesse conhecimento é uma premissa para todas as áreas. Só assim poderemos antecipar as melhores soluções para as dores do mercado. Além de participarmos dos principais eventos de inovação do mundo, como o SXSW, Collision, Web Summit, a leitura e troca de insights em cima desses materiais é frequente. Temos que estar de olho em SC, no Brasil e no mundo.

Acesse agora e aproveite a leitura

 

 

E para facilitar ainda mais, separei 5 tendências que apareceram de forma recorrente em diversos relatórios. Confira:

 

1 - Espaços abertos redesenhados
A priorização de experiências ao ar livre está impulsionando a inovação e o investimentos em espaços públicos exteriores. Atividades outdoor já são atração para o público em cidades de todo o mundo, mas, com a pandemia, o desejo por ar fresco e espaços abertos se intensificou. Uma grande oportunidade para as marcas se aproximarem do público e oferecerem experimentação de produtos e serviços.
 

 

2 - A nova fronteira dos jogos
O cenário está armado para uma revolução dos jogos: espera-se que a indústria de games gere U$198 bilhões em 2024. Cada vez mais os jogos digitais estão servindo como pano de fundo para uma variedade de atividades, desde ir a um show até celebrar uma graduação. Jogos tradicionais estão se transformando em centros culturais, onde as pessoas podem se reunir virtualmente para entretenimento e negócios. Como sua marca está jogando?
 

 

3 - Marcas unidas
O cross branding foi outra ideia que saiu do papel em 2020. Além de entenderem a importância de assumirem uma postura ativa na sociedade, as marcas decidiram unir esforços pelo bem comum, pensando no consumidor. A Nike se juntou com Adidas, a IBM com Amazon e até mesmo a Pfizer se uniu a empresa alemã BionTech para a produção das tão esperadas vacinas. Aqui no Brasil, um movimento que chamou a atenção foi o “Todos pela Saúde”, encabeçado pelo Itaú em parceria com Brasken, Alpargatas, Accenture, Globo, Magazine Luiza e muitas outras marcas. É hora de buscar aliados, não importa o segmento.

 

 

4 - Placar Ético
As marcas estão cada vez mais preocupadas com a reputação. De acordo com a IBM, em uma pesquisa lançada em 2020, 40% dos consumidores são motivados por propósitos em suas compras, algo que a NSC já havia identificado na pesquisa Raio-X do Catarinense em dezembro. Sem dúvidas, 2020 foi um ano onde o “propósito” se tornou popular. Um exemplo disso foi o nascimento do portal “Did They Help?”, onde os consumidores podem pontuar as boas e más ações das marcas e pessoas públicas de todo o mundo.

Um case que ficou famoso em 2020 foi o da Disney, que incluiu avisos no início de seus filmes antigos como Dumbo, alertando que o material pode incluir representações negativas a pessoas ou culturas, assumindo o impacto possivelmente prejudicial do produto e levando a conversa para temas de inclusão.

 

 

5 - Live Commerce
O varejo encontrou um caminho no entretenimento ao vivo para alavancar as vendas, criando um novo formato de experiência de compra para os consumidores. O live commerce mistura a facilidade do comércio eletrônico com programas ao vivo na TV ou no digital, apresentando os produtos disponíveis e interagindo com o público. Essa já é uma realidade na China, onde no ano passado foram comercializados mais de U$13 milhões de dólares apenas nas transmissões ao vivo do Singles Day, festival chinês para comemorar o dia dos solteiros.
 

 

Acesse agora e aproveite a leitura: https://livemktinsights.glideapp.io/

Coluna Inspiração

  • imagem de gustavot
    Gustavo Teixeira é formado em Comunicação Social pela FAAP e com especialização em Marketing e Branding pela FGV e ESPM. Iniciou a carreira no universo digital, em portais como UOL e TERRA. Nos últimos 12 anos, atuou no Grupo ABC/Omnicom Group liderando a área de planejamento estratégico da Agência Tudo e Tracylocke Brasil. Atualmente Gustavo lidera a área de planejamento e marketing da NSC Comunicação. É responsável pelo desenvolvimento de novos produtos comerciais e planos de mídia integrados.