Publicidade
Campanha do Greenpeace traz paródia de filmes de terror
19 de Janeiro de 2024

Campanha do Greenpeace traz paródia de filmes de terror

Como forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas, a nova campanha do Greenpeace aposta em algumas paródias de filmes de terror, trazendo a poluição como a principal vilã da história.

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

 

Uma das principais “culpadas” pelas mudanças climáticas que estamos vivendo é a poluição. Porém, infelizmente, este é um problema que está em toda a parte do Planeta Terra e que está afetando diretamente a vida de todos os seres humanos, concorda? Por esta razão, para chamar a atenção para este problema, a nova campanha do Greenpeace, lançada na França, traz diversos spots no formato de “filmes de terror”.

Publicidade

Nos vídeos, criados pela agência La Chose, a marca “transformou os combustíveis fósseis, os plásticos e a desflorestação nos vilões assustadores de três anúncios que deliberadamente se olham no espelho do cinema de terror”, segundo informações do Marketing Directo.

“Através destes três filmes, que ilustram três tragédias contemporâneas (a desflorestação, a poluição causada pelos plásticos e o impacto dos combustíveis fósseis no clima), quisemos sensibilizar para a necessidade urgente de mudar o atual cenário de desastre ecológico”, explicou Laurence Veyne, diretor de comunicações do Greenpeace na França. “Para escrever uma história diferente, precisamos de mudar radicalmente as regras do nosso sistema, que está a agravar as alterações climáticas, a aumentar as desigualdades e a destruir a biodiversidade”, acrescentou Veyne, de acordo com a publicação.

Campanha do Greenpeace tenta solução para alteração climática

No primeiro spot, que tem nome de “Plastic Attack” (“Ataque de Plástico”, na tradução literal), o casal aproveita uma piscina, durante uma tarde tranquila, mas, quando chega à noite, um saco plástico acaba sufocando a mulher e o homem é atacado pela bóia de flamingo.

“’Plastic Attack’ foi o comercial mais difícil de filmar”, comentou Charles Flamand, diretor criativo da La Chose. “Passamos muito tempo filmando a cena do saco plástico para conseguir a foto perfeita. A bolsa estava pendurada em um arame que os técnicos agitavam com uma vara de pescar e um leque. Meios limitados exigem imaginação ilimitada quando se quer transformar uma ideia em realidade”, finalizou.

 

O outro vídeo, com nome de “Death Forestation” (“Floresta da Morte”, na tradução literal), tem como protagonista um psicopata que anda com a sua motosserra pela floresta com o objetivo de derrubar as árvores que aparecem no seu caminho.

 

O último comercial da nova campanha do Greenpeace, chamado “Total Love” (“Amor Total”, na tradução literal), tem um início romântico, com um casal apaixonado na praia. Porém, com o passar do tempo, vimos que eles estão cheios de óleo.

Foto: Unsplash

Publicidade
Publicidade