Publicidade
Instituto Brasil-Israel lança campanha contra o preconceito
17 de Janeiro de 2024

Instituto Brasil-Israel lança campanha contra o preconceito

Somente em 2023, a islamofobia, preconceito contra pessoas muçulmanas, cresceu 900% no Brasil

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

O Instituto Brasil-Israel lançou a campanha #PenseAntesdeFalar, contra o preconceito no Brasil.

Os filmes, com versões de 90 e 30 segundos, apresentam situações em que minorias são discriminadas, como forma de expor e repudiar a opressão contra tais grupos no país.

Publicidade

Somente em 2023, a islamofobia, preconceito contra pessoas muçulmanas, cresceu 900% no Brasil, segundo estimativa da Associação Nacional de Juristas Islâmicos; o racismo teve elevação de 67% no número de casos em 2022, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública; o ódio aos judeus aumentou 1000% ao longo deste ano, como mostra um levantamento feito pela Conib (Confederação Israelita do Brasil) e pela Fisesp (Federação Israelita de São Paulo).

A campanha aborda racismo, LGBTQIA+fobia, intolerância religiosa, islamofobia e antissemitismo. No filme, representantes dessas minorias exemplificam como essas agressões acontecem no dia a dia e fazem um chamado para a conscientização da população.

Participam da campanha o comunicador Ariel Nobre, o ator Diego Raymond, o rapper Zeus, a atriz Viviane Pasmanter, a cantora Assucena Assucena, a ativista Neon Cunha e Fatima Hage, estudante.

Ruth Goldberg, presidente do Instituto Brasil-Israel explica que, “O Brasil é um país que enfrenta dificuldades relevantes em desenvolver políticas públicas de combate ao discurso e à prática do ódio. Por isso, essa campanha se faz tão importante – ainda mais em um momento em que a atual conjuntura nos leva à reflexão”.

Para Ariel Nobre, participante da campanha, é importante lutar para que as próximas gerações possam ser livres em suas respectivas identidades. “Pessoas antes de mim lutaram para que eu pudesse ser quem eu sou livremente e fazer o que eu faço. Seguirei lutando para que as próximas gerações tenham outros problemas”, afirma.

 

Publicidade
Publicidade