Publicidade
Campanha mostra como as redes sociais afetam o tráfico de animais selvagens
27 de Fevereiro de 2024

Campanha mostra como as redes sociais afetam o tráfico de animais selvagens

Diversos perfis se aproveitam do engajamento de imagem de animais silvestres como pets para se promover nas mídias digitais

Publicidade

O Instituto Ampara Animal, organização dedicada à proteção e conservação dos animais, realizou uma campanha que traz à tona, os impactos das redes sociais com o tráfico de animais selvagens.

Diversos perfis se aproveitam do engajamento de imagem de animais silvestres como pets para se promover nas mídias digitais. O objetivo da campanha é auxiliar no combate à retirada de animais silvestres da natureza e seu comércio, por meio da reinicialização massiva dos algoritmos do Instagram e do despertar da mudança de comportamento da sociedade.

Publicidade

Dessa maneira, por trás de um vídeo “fofo” de um animal silvestre sendo humanizado, ou interagindo com pessoas, está um cenário de privação de comportamentos naturais, maus-tratos e muitas vezes a retirada do animal da natureza. Esse tipo de conteúdo, que traz uma visão superficial e romantizada de se ter um silvestre como pet, também influencia cada vez mais no desejo de compra e, dessa forma, fomenta um ciclo que coloca em risco toda a biodiversidade.

A iniciativa visa diminuir curtidas e compartilhamentos de postagens de animais selvagens sendo tratados como pets, evidenciando a responsabilidade de cada indivíduo ao engajar em conteúdos como estes. Aproximadamente 37% das buscas por compra de macacos são geradas diretamente por conteúdos do Instagram!!! Além disso, cobras e serpentes, tem 18% de suas compras impulsionadas por conteúdos do aplicativo.

A campanha se iniciará com a exposição “Alg*ritmo Selvagem (Reset)”, que ocorrerá no Conjunto Nacional da Cidade de São Paulo, localizado na Avenida Paulista 2073, a partir do dia 3/03 às 11h (data que marca o Dia Mundial da Vida Selvagem pela ONU), encerrando-se no dia 3/04 , quando a exposição será redirecionada para outros locais rotativos.

O objetivo é sensibilizar e convocar a comunidade a participar deste movimento crucial. E será explicado como a simples ação de curtir ou compartilhar certos conteúdos pode inadvertidamente apoiar essa prática prejudicial.

A exposição será um chamariz e uma preparação para o “Dia da Reinicialização dos Algoritmos” (“Reset Day”), 14 de março, uma data especial que marca o Dia Nacional dos Animais, na qual cada indivíduo poderá contribuir diretamente para a causa, promovendo a conscientização e a mudança de comportamento. Neste dia, o Instituto Ampara Animal convoca a comunidade a reiniciar seus algoritmos pessoais, esclarecendo-se das consequências de suas interações online e buscando uma relação mais harmônica, que valorize a biodiversidade em seu ambiente natural, exercendo seus comportamentos selvagens.

Portanto, a campanha não se limita à exposição física, pois a organização estenderá a mensagem para as plataformas de mídia social. Publicações de impacto, envolventes e esclarecedoras serão compartilhadas, incentivando os seguidores a refletirem sobre a influência de suas interações online, a participarem ativamente da reinicialização dos algoritmos e a estabelecerem interações positivas com a fauna.

Juliana Camargo, fundadora do Representante do Instituto Ampara Animal, afirma: ” Estamos comprometidos em combater o tráfico de animais selvagens de maneira inovadora, sensível e eficaz. Acreditamos que ao resetar os algoritmos do Instagram e despertar o olhar da sociedade para esta problemática, podemos desencorajar indiretamente a promoção dessa prática criminosa”.

 

Publicidade
Publicidade