Publicidade
Confira as tendências em social media para 2023
10 de Janeiro de 2023

Confira as tendências em social media para 2023

"Tito" Ribeiro compartilha algumas de suas previsões para o marketing digital neste ano

Publicidade

O brasileiro Tiago “Tito” Ribeiro compartilha abaixo algumas de suas previsões para o marketing digital em 2023. Após um período de cinco anos trabalhando com projetos digitais em vários países latinos americanos, Tito retorna ao Brasil e compartilha suas expectativas para esse ano.

Em 2022 não foi um ano fácil para ninguém. Acabamos de sair de uma pandemia, na qual muitas empresas foram forçadas a passarem por um processo de transformação digital muito intenso. Em meio a isso, também vimos a Rússia, muito rapidamente, invadir a Ucrânia, a inflação disparar e o poder de compra diminuir ao redor do mundo. Com a inflação alta, os custos operacionais aumentam e uma possível recessão se aproxima. Por causa disso, o marketing pode não ser mais prioridade. Considerando essa perspectiva atual, os gastos com publicidade precisam ser repensados.

Publicidade

Segundo institutos globais como e-MARKETER – Insider Intelligence, o gasto com mídia digital deve ser o mais afetado, com um impacto de -U$16.21 bilhões. Isso fortalece a necessidade de se construir um conteúdo mais criativo e original.

Assuntos como internet das coisas, metaverso, blockchain e Web 3.0 ganharam popularidade e se expandiram. A grande aposta para 2023 é a criação de comunidades e o fortalecimento da expansão da Web 3.0.

Tito Ribeiro, especialista em conteúdo estratégico, redes sociais e transformação digital, preparou uma lista com as grandes 7 tendências do mercado para 2023.

1) O mercado precisa de novas lideranças e novos olhares

Como megatendência mundial, a Geração Z lidera, hoje, a cadeia de compras em vários segmentos. Isso faz com que grandes empresas repensem toda sua estrutura estratégica de marketing a fim de melhorar seus resultados.

Contudo, as decisões ainda são tomadas muito lentamente, sem a fluidez dessa geração.

Outro ponto que merece a atenção de grandes CEOs é o fato dessa geração estar se inserindo no mercado de trabalho. Assim, ella precisa ser ouvida. Novas metodologias precisam ser instaladas e é importante compreender a necessidade de lideranças mais jovens para facilitar o diálogo com essa geração.

2 ) Influenciadores digitais se consolidam como plataforma de negócios

Muitas empresas já estão na frente na criação de parcerias estratégicas com influenciadores na criação das chamadas DNVB (Digitally Native Vertical Brand), ou seja, marcas digitalmente nativas, cujos negócios possuem uma estrutura vertical. Neste ano, o marketing de influência cresceu significativamente em todos os países. As narrativas estão mais profundas, sendo construídas por times cada vez mais estruturados. As agências perceberam que um projeto com influenciador não é trabalho para estagiário. Hoje o storytelling de uma ação com influenciadores já provou ser capaz de criar engajamento e aumentar as vendas.

Considerando apenas valores contabilizados nos Estados Unidos, marcas investiram U$4,14 bilhões neste mercado, segundo pesquisa da Influencer Marketing Hub. Este valor deve subir ainda mais em 2023: as projeções indicam que o montante investido chegará aos U$4,62 bilhões.

Agora, o próximo passo é fazer com que esse mercado fique cada vez mais profissional, se tornando não apenas uma ferramenta de construção de marca, mas também uma fonte de entrada de recursos econômicos para a empresa por meio da construção de projetos e produtos.

3) Brand Entertainment interligado com estratégias de vendas

Redes sociais como TikTok, YouTube e WhatsApp estão investindo em ferramentas focadas no comércio digital e isso poderá transformar as plataformas radicalmente. Muito populares na China, a compra por meio de redes sociais — o chamado social commerce — está se expandindo. Globalmente, esse mercado deve faturar US$ 1,29 trilhões em 2023, o que representa 20% das vendas globais do comércio eletrônico.

Com isso, precisamos rapidamente mudar a estrutura de criação de conteúdo digital, levando o entretenimento para dentro das jornadas dinâmicas de vendas, compatível com o que o consumidor busca quando usa as redes socias, respeitando o conteúdo e formato de cada uma, sem a criação de conteúdo duplicado. Cada plataforma social exige uma linguagem diferente.

4) Será o ano do metaverso?

Não. Definitivamente, não. A tecnologia de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) continuará avançando, porém, estamos bem longe de realmente inseri-la em nosso dia a dia.

Muitas empresas já estão desenvolvendo plataformas de metaverso. Muitas delas estão sendo criadas para conduzir treinamento e integração e essa tendência se acelerará em 2023. Por enquanto, a comunidade de games vem recebendo grandes investimentos do segmento de marketing e isso também crescerá nos próximos meses.

Outro ponto que deve chamar a atenção no próximo ano é um maior desenvolvimento em avatares autônomos habilitados para IA que podem atuar como representantes de empresas no metaverso.

Os especialistas prevêm que o metaverso adicionará US$ 5 trilhões à economia global até 2030 e 2023 será o ano que definirá a direção do metaverso para a próxima década.

 

5) Cybersecurity, progresso quântico e Web 3.0

Essa é uma tendência a ser observada com atenção à medida que países como EUA, Alemanha, Reino Unido, Índia, China e Rússia investem muito no desenvolvimento de tecnologia de computação quântica. Cria-se uma corrida mundial para desenvolver computação quântica em escala.

O alerta é que ela pode inutilizar nossas práticas de criptografia atuais, portanto, qualquer nação que desenvolva computação quântica em escala pode quebrar a criptografia de empresas, sistemas de segurança e outras nações.

Quando o assunto é Web 3.0, os NFTs se tornarão mais utilizáveis e práticos, possibilitando a criação de campanhas e ativações de marketing com o objetivo de formar comunidades em torno de uma marca. Um exemplo é que ingressos NFT para shows potencialmente possibilitarão novas experiências e darão acesso a vantagens exclusivas. NFTs podem ser a chave para fidelizar consumidores e potencializar o investimento no digital, trazendo novas fontes de faturamento. A ascensão da Web 3.0 e seus desdobramentos já está na mira de anunciantes. Segundo relatório da IAB com dado da Statista, espera-se que esse mercado fature US$ 47.48 bilhões no fim deste ano. Até 2030, o crescimento deve alcançar a marca de US$ 678.7 bilhões.

6) IA em todos os lugares e a evolução do uso de dados

Em 2023, a Inteligência Artificial (IA) se tornará realidade nas organizações. Para tal, o uso de dados é indispensável. A evolução do uso do BI também é uma tendência para a mídia em 2023. Ainda que o Google tenha adiado o fim dos cookies de terceiros para a segunda metade de 2024, dando mais tempo para empresas se prepararem, esse tempo não será desperdiçado. Agora, os profissionais de marketing devem experimentar sistemas de segmentação baseados em proxy e publicidade contextual.

Muitas empresas usam algoritmos habilitados para IA com uma leitura avançada de dados para recomendar produtos aos seus clientes que correspondam aos seus tamanhos e gostos.

 

7) Inclusão real – diversidade cada vez mais diversidade

Já percebeu como os anúncios estão mudando visualmente? Esse é um grande avanço com relação à diversidade de gênero e raça. Não existe mais um único padrão de beleza para as marcas. Agora o desafio é desenvolver uma estrutura não somente de criação de desejo, mas de inclusão, possibilitando a pessoas até então excluídas como grupos raciais e pessoas LGBTQIA+ conseguirem participar de fato na roda do consumo. Hoje, infelizmente, muitas empresas têm projetos de diversidade superficiais, nos quais as pessoas não conseguem construir um plano de carreira. Isso precisa ser repensado urgentemente.

 

Tiago Ribeiro (Tito) é especialista em conteúdo, inovação e transformação digital. Tem mais de 15 anos de experiência no mercado publicitário trabalhando para diversas empresas em projetos para América Latina e mercado hispano-americano (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai, USA, Portugal e Espanha ) acumulando passagem em várias agências no Brasil e no exterior como Biedermann McCANN, WILD Fi, JWT, Y&R, Pong Dynasty, SapientNitro, TVC / Taterka, AG2 Publicis Modem e DIFERI.

Publicidade
Publicidade