Publicidade
Coluna Ozinil Martins | Um trem, uma estudante, a prioridade!
20 de Abril de 2022

Coluna Ozinil Martins | Um trem, uma estudante, a prioridade!

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Prof. Ozinil Martins de Souza 20 de Abril de 2022 | Atualizado 20 de Abril de 2022

Japão, país insular e muito pobre em recursos naturais, mas um gigante em termos de economia global. Possui a terceira maior economia do mundo atrás, apenas, dos Estados Unidos e China. Se compararmos o Japão com o Brasil os números expõe as diferenças. Extensão territorial – Japão 377 mil km², Brasil 8,5 milhões de km²; População – Japão 125 milhões de habitantes, Brasil 212 milhões de habitantes; Expectativa de vida no Japão 84 anos, Brasil 76 anos; Renda per capita no Japão – US 40 mil (dados de 2019) e no Brasil US 7 mil (dados de 2020).

As diferenças não se explicam apenas pelo tamanho dos países ou pela existência de recursos naturais em abundância, mas pelo uso que se faz de tudo que os países oferecem. O Brasil é riquíssimo em recursos naturais, o maior detentor de água potável do mundo (12% de toda a reserva de água aqui está aqui), um dos maiores produtores de alimentos do mundo e, em termos minerais o Brasil tem, praticamente, tudo que se possa imaginar. O Japão, ao contrário, importa quase tudo que precisa para ser a potência econômica que é. De petróleo a minério de ferro, de alimentos a produtos médicos; tudo é importado. Mas, então, por que o Japão é a potência que é e, o Brasil não consegue se inserir no contexto das nações desenvolvidas? A resposta está na Educação!!!

Publicidade

Há duas semanas o Jornal da Record mostrou as deficiências da Educação por este Brasil gigante. O que, quem assistiu, chega a emocionar os mais sensíveis; crianças acordando antes da 5 horas da manhã, caminhando por 5 km ou mais para chegar a uma estrada em que passa um arremedo de ônibus escolar, às vezes um “pau de arara” (espero não ser crucificado pelo povo do politicamente correto), sem as mínimas condições de transportar quem quer que seja. As caminhadas são feitas em estradas lamacentas e com a companhia dos pais para garantir um mínimo de segurança. Com chuva ou sol o fato se repete de segunda a sexta feira. Pior é quando tem um rio no caminho e, crianças para chegar à escola, têm que usar um barco para, sozinhas, atingir o lado da margem em que se encontra a escola. A situação em alguns municípios deste imenso país chega a ser pior do que um país em guerra.

Já no Japão a estória que nos chegou ao conhecimento mostra porque a Educação é a primeira prioridade do país. Vamos a ela. A estação de Kami_Shirataki, em Hokkaido, recebia o trem duas vezes por dia. Em 2012 a linha seria desativada, mas a direção descobriu que uma estudante usava, diariamente, o trem para ir à escola. A estudante de nome Kana apanhava o trem às 7h7min e retornava às 17h18min. Ao descobrir o fato a direção da empresa manteve o trem funcionando até 2016 quando Kana concluiu o ensino médio. A atitude da empresa Hokkaido Railway Co foi elogiada em todo Japão quando a estória veio a público.

Quando a Educação for, de fato, prioridade no Brasil o país será um dos mais importantes do mundo. Continuar acreditando e trabalhando para que isto se concretize e, o problema não é de dinheiro; este tem. O problema é de gestão!!!

 

Foto do topo de RODNAE Productions no Pexels.

Publicidade
Publicidade