Publicidade
Coluna Ozinil Martins | Proativo ou reativo? Eis a questão!
07 de Fevereiro de 2024

Coluna Ozinil Martins | Proativo ou reativo? Eis a questão!

Planejar significa saber qual o tamanho, que o dinheiro que ganho, permita que tenha a família que vou constituir

Publicidade
Por Prof. Ozinil Martins de Souza 07 de Fevereiro de 2024 | Atualizado 07 de Fevereiro de 2024

O planejamento, seja ele profissional ou pessoal, existe para que se tenha uma previsibilidade sobre as ações que realizamos cotidianamente e para que as pessoas e os profissionais possam estar preparados para enfrentar o futuro.

A maioria das situações que enfrentamos na vida são previsíveis mas, há as que fogem de nosso controle e por isso é bom “esperar o inesperado”, que segundo Heráclito, acontece e nos faz reagir frente aos problemas com maior ou menor assertividade. Os planos contingenciais existem para atender as emergências que surgem em função das características do trabalho desenvolvido.

Publicidade

Acontece que a maioria das pessoas, empresas e poder público atuam de forma reativa. Esperar o problema acontecer para agir é o normal. Ser proativo, isto é, antecipar-se aos acontecimentos, é prever tudo que pode acontecer, desde a normalidade do dia-a-dia até situações inopinadas e que nos tiram da normalidade.

O cotidiano nos leva a agir quase que no automático sem que entendamos que o inesperado acontece e aí, se você estiver preparado, a resposta ao imprevisto será mais rápida e efetiva.

A única certeza que temos atualmente é a constante das mudanças; mal nos acostumamos a algo e somos informados de que algo mudou e o que fazíamos ficou no passado. Portanto, de ora em diante, sua capacidade de adaptar-se será exigida ao limite.

O papel de pais e professores é de mostrar aos jovens o que está acontecendo e o que virá a acontecer para que estes jovens não sejam vítimas de uma sociedade que será, cada vez mais, seletiva. Por isso que, em minhas colunas e sem medo de ser repetitivo e chato, insisto em que o papel das escolas é ensinar os jovens a pensar, a desenhar o futuro a partir da realidade que vivemos e do que já sabemos que vai acontecer.

Porém, o que vemos é cada vez mais gente vivendo na idade reptiliana; suas maiores preocupações residem em comer, descansar e reproduzir-se. São, na imensa maioria, pessoas sem planos para o futuro, acreditam no Zeca Pagodinho e na sua música “deixa a vida me levar, vida leva eu.” A vida exige planejamento, exige comprometimento com o futuro. Não se pode esperar que o Estado supra todas as minhas necessidades; não haverá condições econômicas para que isto aconteça. Só como complemento vale lembrar que as estatísticas mostram que 90% dos aposentados do INSS só têm esta renda, logo…

Planejar significa saber qual o tamanho, que o dinheiro que ganho, permita que tenha a família que vou constituir. Lembro que, em minhas andanças por aí, fazendo palestras, fui a uma grande empresa de Santa Catarina participar da Semana Interna de Prevenção de Acidentes. O tema era Planejamento Econômico e Familiar; ao final da palestra um dos presentes, muito jovem, veio até mim e disse-me, agradecido, da importância de tudo que tinha ouvido e que nunca teria a percepção sobre a importância do tema. Esta foi a maior recompensa que poderia ter recebido.

Só para complementar a coluna, ontem mesmo, tivemos a informação de que haverá cortes nas verbas destinadas à Educação para Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul a fim de direcioná-las a Estados nordestinos. O exemplo é muito bom para ilustrar situações imprevistas. É bom o Sul ficar ficar esperto!

Foto:Unsplash

Publicidade
WhatsApp
Junte-se a nós no WhatsApp para ficar por dentro das últimas novidades! Entre no grupo

Ao entrar neste grupo do WhatsApp, você concorda com os termos e política de privacidade aplicáveis.

    Newsletter


    Publicidade