Publicidade
Coluna Ozinil Martins | O futuro se constrói agora!
29 de Maio de 2024

Coluna Ozinil Martins | O futuro se constrói agora!

"Será que nossos governantes não acompanham o que acontece no mundo?"

Publicidade
Por Prof. Ozinil Martins de Souza 29 de Maio de 2024 | Atualizado 29 de Maio de 2024

Enquanto países que passaram por guerras, convulsões sociais e governos opressores, ao se verem livres dos problemas, começam a compor o concerto das nações como protagonistas, não vemos, a partir de dados divulgados pelo próprio governo brasileiro, como isto venha a acontecer no Brasil. Polônia, República Tcheca, Coreia do Sul e, até, o Vietnã constroem as bases para um futuro promissor.

Esta semana o governo, através do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgou que 5,4 milhões de jovens brasileiros fazem parte da geração nem – nem; nem trabalham, nem estudam e não estão sequer procurando emprego e que, somados aos 3 milhões que se encontram na mesma situação, só que estão procurando emprego, totalizam mais de 8 milhões de jovens sem perspectivas de futuro e, talvez, futuros dependentes de bolsas sociais.

Publicidade

Ao mesmo tempo, o Ministro da Educação, lançou o programa de alfabetização das crianças com o objetivo de atingir 80% do público alvo até 2030, com domínio do português e matemática ao concluir a 2ª série. Senhor Ministro? 2030? Hoje, apenas, 56% das crianças são alfabetizadas na idade correta.

Com 56 milhões de brasileiros dependentes do programa social Bolsa Família, com 9 milhões de estudantes desistindo do Ensino Médio em 2023 (Pnad), no Ensino Superior os dados não são muito diferentes; o índice de desistência nas universidades públicas foi de 52% e nas privadas de 59% em 2022 (MEC) e o número de analfabetos chega a ser superior a 9 milhões de brasileiros (Pnad).

A tecnologia avança a passos rápidos e os especialistas alertam sobre a mudança do perfil dos empregos ofertados no mercado de trabalho, o país reage com letargia e parece acreditar que o futuro será uma continuidade do presente.

Semana passada o empresário – inovador Elon Musk, em entrevista, declarou que a Inteligência Artificial substituirá todos os empregos e que deverá ser criado um programa de renda universal para permitir as pessoas que tenham como sobreviver.

Será que nossos governantes não acompanham o que acontece no mundo? Será que não percebem que a mudança é agressiva e não pede licença? Esperar as suposições se tornarem realidade, como é tão comum no Brasil, para depois agir, é burrice.

Os exemplos da leniência com que o Estado brasileiro age em relação ao seu papel, sobram. Senão vejamos: infraestrutura deficiente e sem solução em curto prazo, Educação regredindo a cada ano, doenças ressurgindo e outras se tornando perenes, sistema previdenciário caminhando para novas revisões e, agora, o evento de que foi vítima o Rio Grande do Sul mostra muito da incúria do poder público em todos seus níveis.

Ou os governos param de brincar com os cidadãos ou teremos dias muito complicados pela frente. Quem viver, verá!

Foto:Unsplash

Publicidade
Publicidade