Publicidade
Coluna Ozinil Martins | A crise da Previdência está só começando!
10 de Julho de 2024

Coluna Ozinil Martins | A crise da Previdência está só começando!

Mais de 92 mil japoneses ultrapassaram a casa dos 100 anos

Publicidade
Por Prof. Ozinil Martins de Souza 10 de Julho de 2024 | Atualizado 11 de Julho de 2024

Periodicamente o IBGE faz o censo da população e a partir deste faz projeções do que poderá acontecer.

Quando jovem, a expressão que mais ouvia era que o Brasil seria o país do futuro, pois tem uma população jovem e um potencial de crescimento imenso. Hoje, os números identificam uma situação bem diversa da que foi desenhada em tempos idos.

Publicidade

As projeções do IBGE para o ano de 2050 são realistas e mostram o seguinte quadro: população total estabilizada em, aproximadamente, 259 milhões de habitantes com 29% deste total reconhecidos como idosos. Projeções anteriores do IBGE mostram que a idade média da população será de 46 anos.

Atualmente estamos vivendo no Brasil o período que é conhecido como Bônus Demográfico, onde a maioria da sua população encontra-se em idade de trabalho, portanto, entre 16 e 60 anos. Este período, segundo o IBGE, deve terminar em 2034. Esta é a fração de tempo em que o país deve fazer sua poupança para ter condições de garantir o que virá posteriormente, pois este período só acontece uma vez na vida dos países. Leia-se: poupança para reservar o necessário para garantir à população condição aceitável de vida aproveitando este momento para qualificar sua população e realizar obras de infraestrutura que demandem grandes investimentos.

Se formos buscar na atualidade um exemplo de como isto pode ser feito com sucesso basta olharmos para o Japão. As pessoas vivem, em média, 84 anos e, mais de 92 mil japoneses ultrapassaram a casa dos 100 anos; sua taxa de natalidade está em queda (em 2023 – 1,2 filhos por mulher) e não garante sequer a reposição da população ao nível atual. Em algumas de suas localidades as casas desabitadas estão sendo vendidas ao equivalente a R$5, e há um bônus de R$30.000, para aqueles que desejarem ocupá-las. Tudo para garantir a ocupação de espaços por japoneses e descendentes. O Bônus Demográfico japonês ficou no passado, mas o trabalho realizado garante a seus habitantes um país com infraestrutura moderna, desenvolvimento de indústria de alta tecnologia, educação de qualidade e, tornou-se um dos países mais tecnológicos do mundo onde a robotização é um fato real e um sistema primoroso de atendimento aos idosos, principalmente, porque muitos vivem sós. Estes são monitorados a distância e acompanhados por médicos e outros profissionais da área.

Enquanto isto, em certo país ao sul do Equador, em pleno Bônus Demográfico,  quando se vive o auge do Bônus (2022-2024), em que para cada 10 habitantes existem 4 inativos, o país carrega 8,5 milhões de desempregados, mais de 38,8 milhões em atividades informais e assiste a luta entre ideologias que, em essência, se preocupam com o poder e não em gerenciar um país de tantas potencialidades.

Se o futuro é planejado e construído a partir da realidade presente o que nos espera não é positivo e temo que o preço a ser pago pelas futuras gerações será altíssimo. Pensar na população parece não ser o objetivo dos políticos que elegemos para nos representar. A premissa de que a educação é a base da libertação em todos os sentidos mostra, com clareza, porque é tão deficiente no país!

Esta semana houve a divulgação de que, apenas 20% dos brasileiros pensam em investir para garantir sua vida pós-trabalho. O restante acredita que o sistema previdenciário garantirá seu futuro. Como seria bom ver este povo com o discernimento que a Educação de qualidade produz!

Foto:Freepik

Publicidade
WhatsApp
Junte-se a nós no WhatsApp para ficar por dentro das últimas novidades! Entre no grupo

Ao entrar neste grupo do WhatsApp, você concorda com os termos e política de privacidade aplicáveis.

    Newsletter


    Publicidade