Coluna Ligia Fascioni | Será que a zebra consegue arrumar o estrado do unicórnio?
02 de Junho de 2022

Coluna Ligia Fascioni | Será que a zebra consegue arrumar o estrado do unicórnio?

Unicórnios são tóxicos

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Ligia Fascioni 02 de Junho de 2022 | Atualizado 02 de Junho de 2022

Nunca gostei do conceito de crescer exponencialmente num mundo com recursos limitados; esse conceito é altamente centralizador, pois só há espaço para poucas empresas eleitas. Inovar a qualquer custo, escalar como se não houvesse amanhã, a busca desesperada para ser o próximo unicórnio me parece um tanto doentio até. 

Esse modelo que premia a quantidade em vez da qualidade, os resultados rápidos em vez do crescimento sustentável, o lucro máximo a qualquer custo; ele me incomoda muito. 

Publicidade

 

A ECONOMIA PRECISA MUDAR

Felizmente parece que não estou sozinha. Uma mulherada empreendedora do bem escreveu um artigo ótimo em 2017 (leia aqui) falando sobre como enfrentar essa cultura tóxica das startups que sonham ser um unicórnio. 

Só fiquei sabendo porque assino a sensacional newsletter do Rodrigo Turra, The Nexialist (recomendo demais!). 

As moças criaram o Zebra Unite, um movimento para criar a cultura, o capital e a comunidade para a próxima economia. 

 

MAS POR QUE ZEBRA?

Elas escolheram a zebra, primeiramente porque ela existe; é real. 

As empresas zebra são pretas e brancas, ou seja, são lucrativas E melhoram a sociedade. Não há um sacrifício de uma pela outra. 

As zebras andam em grupos, protegem-se e se preservam mutuamente. 

Olha só as diferenças entre os dois tipos de empresa nos próximos quadros. 

 

O PORQUÊ

 

O COMO

 

QUEM

 

O QUÊ

 

É NÓIS!

Não sei vocês, mas de minha parte fiquei mais aliviada sabendo que tem gente que sofre do mesmo incômodo e busca uma solução realista e acessível, sem romantismos e sonhos utópicos. 

As autoras afirmam que há muitas dificuldades, principalmente porque a maioria dos empreendedores zebra são mulheres, negros e grupos subrepresentados nos sistemas convencionais de startups.

Você pode saber mais acessando a plataforma, e já adianto que tem representação em São Paulo, olha que bacana! 

E você, o que achou da iniciativa das Zebras Unidas? 

Será que vai dar para consertar o estrago criado pela mentalidade do unicórnio?

Publicidade
Publicidade