Coluna Guilherme da Luz | Discutindo o atual estágio, grandes nomes da tecnologia fazem autocrítica no 4º e último dia do Web Summit
05 de Novembro de 2021

Coluna Guilherme da Luz | Discutindo o atual estágio, grandes nomes da tecnologia fazem autocrítica no 4º e último dia do Web Summit

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Guilherme da Luz 05 de Novembro de 2021 | Atualizado 05 de Novembro de 2021

Qualquer evento de tecnologia que consegue a presença de Sir Tim Berners-Lee pode se orgulhar do que está fazendo. O inglês criou a World Wide Web em 1989 e tem um trabalho destacado como diretor do World Wide Web Consortium (W3C), por isso o que ele tem a falar sobre internet, computadores e tecnologia em geral sempre precisa ser levado em consideração.

E Berners-Lee tem uma preocupação que é compartilhada por muitos: como os dados são usados. “O vencedor é quem cria os dados e o perdedor são todas as outras pessoas”, afirmou o inglês. Ele afirmou que se tivesse pensado nisso, teria corrigido a falha e chegou a pedir desculpas, mas ao mesmo tempo apresentou a solução, dizendo que é possível consertar a web com o Solid.

Publicidade

O Solid é uma ferramenta que faz os dados pessoais ficarem em blocos e são armazenados em qualquer provedor ou no seu próprio computador, dando mais controle à gestão de seus dados. A ideia já tinha sido apresentada anos atrás pelo próprio Berners-Lee e pelo visto ela continua de pé.

As autocríticas não pararam por aí no terceiro e último dia do Web Summit 2021, realizado na cidade de Lisboa. O Facebook e a criação da marca Meta foram o grande assunto do evento e também a fonte para muitas discussões e pancadas na empresa de Mark Zuckerberg. Uma delas veio de Roger McNamee, ex-consultor de Zuckerberg e um dos primeiros investidores do Facebook, e que teve palavras fortes sobre a permissividade da empresa com certos comportamentos de usuários.

McNamee focou na parte política, afirmando que a democracia pode nunca se recuperar se o Facebook não mudar. O investidor é um crítico há anos da empresa e seu domínio de dados pessoais, comercialização de informações dos usuários e a falta de cuidado com o que é postado e apoiado nas suas redes.

Especificamente sobre democracia e política, vem à mente o caso da Cambridge Analytica, empresa de marketing político que traçou perfis psicológicos de 50 milhões de pessoas com dados vazados de forma ilegal da plataforma e que foram usados nas campanhas pró-Trump e pró-Brexit.

Também falando sobre o Meta e suas intenções de criar um “metaverso”, Roger McNamee também não se mostrou nada empolgado: “o Facebook não deveria ser permitido de criar um metaverso distópico.”

O metaverso e uso de dados também foi um tópico que o presidente da Microsoft, Brad Smith, em sua fala e em entrevista à Reuters.

Outra palestra esperada neste terceiro dia foi a de Jen Wong, COO do Reddit. O executivo focou sua fala no futuro da companhia, afirmando que está animado para o papel que o Reddit terá no que chamou de próximo arco da internet, nos próximos 5 a 10 anos.

Os representantes das gigantes de tecnologia sabem que os temas de cibersegurança e uso de dados é sempre sensível para as pessoas e as críticas não param de surgir sobre esse assunto. A criação de leis específicas como a GDPR e LGPD mostra que os políticos também estão atentos e que limitadores que não existiam até pouco tempo podem se multiplicar nos próximos anos. Ou seja, esses assuntos ainda darão muito pano para a manga nos próximos Web Summits.

Publicidade
Publicidade