Coluna Fernanda Bornhausen | Uma dose de SEDO, logo cedo, para o equilíbrio em um mundo ainda mais VUCA.

18 de Setembro de 2020

A coluna de hoje é um convite para que você experimente diariamente doses de SEDO, que podem ser adquiridas gratuitamente na "Farmácia da Mente".

 

Na última quarta feira tive uma experiência inusitada como palestrante, aceitei ministrar uma palestra sobre "Neurociência e Liderança em um mundo ainda mais Vuca" no Drive In do Floripa Airport, no Empreende Brazil.  Palestrar sem olhar as pessoas, sem ver os olhos, gestos e reações eu já tinha experienciado na Arena Digital 360 da PUC PR, mas com as pessoas dentro dos carros e com aplausos e reações via faróis e buzinas compartilho que foi bem diferente, mas  foi muito bacana perceber e analisar como eu me senti ao encarar algo tão novo e diferente. 

 

 

Ao escolher um tema que pudesse agregar valor aos empreendedores nos tempos que estamos vivendo me veio a mente compartilhar o que eu venho praticando e estudando como psicóloga e aplicando na vida como um todo, com ótimos efeitos na minha jornada empreendedora e como líder. Minha terceira especialização, faço uma por década desde 2000, é em Neurociências e Comportamento. Realizei essa escolha antes da Pandemia por entender que nunca foi tão importante entender os cérebros, mentes e o comportamento humano, tanto para nossos desafios profissionais quanto pessoais. Veio a Pandemia e o tema se tornou imprescindível. 

Na minha coluna anterior falei sobre a epidemia oculta de saúde mental que está nos assolando. Nessa vou falar de como eu acho que podemos agir conhecendo melhor o que pode nos ajudar a ultrapassar essa tempestade sem data para acabar, tanto pessoal como profissionalmente. 

Para além ser uma estudiosa do assunto, sou praticante daquilo que descobri me fazer bem e que tem poder de me manter equilibrada. No final de 2018 passei um forte estresse, algo que eu nunca havia experienciado e que me fez parar na marra. Ao parar imediatamente, por conta do autoconhecimento, e ao procurar especialistas, me aprofundei nos estudos dos hormônios. Senti na pele o estrago que o alto nível de Cortisol (hormônio do estresse) pode fazer com as nossa vida, o desequilíbrio geral que ele causa e os estragos causou em mim. Mas ao mesmo tempo me aprofundei nos estudos dos hormônios da felicidade, o quarteto Serotonina, Endorfina, Dopamina e Oxitocina, que eu denominei de SEDO para memorizar os nomes  e não esquecer da dose de nenhum deles todos os dias. Hormônios da felicidade são neurotransmissores capazes de gerar sensações como alegria, recompensa e bem-estar. Todos eles são produzidos pelo próprio corpo e liberados em situações específicas como as que exemplifico na imagem abaixo:  

 

 

A fórmula que pratico e que me equilibra foi intensificada durante a Pandemia, por motivos óbvios. Ela é gratuíta e só tem efeitos colaterais bons. Mas também percebo que é pouco valorizada, não se torna hábito e é facilmente substituída pelos chamados "remédios da felicidade". 

Por parecer tão simples não é indicada em massa e me parece que as pessoas não valorizam e não experimentam em larga escala pela simplicidade e gratuidade. Mas eu me atrevo a indicar que você experimente e que também indique em doses diárias para as pessoas com as as quais você se importa. Todos estamos sofrendo com as doenças da Solidão na pandemia, nosso convívio social foi retirado abruptamente e precisamos achar novas formas de equilíbrio

De acordo com a neurocientista Candace Pert, “cada um de nós tem sua própria farmácia de luxo ao preço mais econômico, que produz todos os medicamentos de que precisamos para o bom funcionamento do corpo e da mente”. O problema é que, por uma série de razões, muitas pessoas nunca encontram as drogas que precisam na “farmácia da mente”.

Experimente uma dose de SEDO, logo cedo. É fácil, prazeiroso, gratuíto e vicia. 

Eu optei por ter na minha rotina todos os dias a dança, pois ela é três em um S + E + D, e já está provado em estudos que dançar combate o envelhecimento. Experimente dançar todos os dias 30 minutos com as músicas que ativam suas boas memórias (S) e a dose do trio está aplicada. Se você conseguir fazer ao ar livre a dose se intensifica. Se você dançar rindo com amigos a dose se potencializa. Se você conseguir completar com outros 30 minutos de exercícios, no meu caso faço musculação diária em casa, sua dose de D se potencializa. Na minha agenda diária está a meditação e a prática da gratidão, S + O. 
Também tomo doses diárias de convivência e muitos risos com os amigos, e não economizo afeto com os que amo, minha família em especial. Amo ler e estudar, e na Pandemia intensifiquei as leituras, ache o seu Hobbie e intensifique, lembre da quantidade de cursos gratuitos disponíveis, por exemplo. 

É impressionante a quantidade de mensagens que tenho recebido de pessoas que estão tomando as doses de SEDO e sentindo muito melhores. Muitas me falam: como não pensei nisso?  Por que não tornei hábito?  E por aí vai. Não estou falando nada de novo, só compartilhando minhas experiências e resultados para uma vida mais equilibrada. Espero que faça sentido para alguns de vocês que me acompanham. 

 

Te convido a experimentar regularmente as doses de SEDO e me contar como foi! 

Compartilho aqui os slides da minha palestra "Neurociência e Liderança em um mundo ainda mais Vuca".

Obrigada pela leitura. Todos os feedbacks são muito bem vindos!

Fernanda Bornhausen

  • imagem de fersa
    Apaixonada por inovação e empreendedora de sonhos, Fernanda é guiada pela lógica do impossível. Psicóloga com MBA em Administração Global, é Co-Founder e Presidente Voluntária do Social Good Brasil, sua grande família e seu propósito maior. Também é CEO da Clear Inovação, VP do Conselho Deliberativo da ACATE/SC, Conselheira do Grupo Cometa e mentora de diversos empresários e executivos. Acredita no poder dos dados para a sustentabilidade dos negócios e para ajudar a resolver problemas sociais. Acompanhe Fernanda pelo Linkedin> https://www.linkedin.com/in/fernandabornhausensa/

Notícias Relacionadas