Publicidade
Coluna Carreira | O dia em que entrevistei o ChatGPT
09 de Fevereiro de 2023

Coluna Carreira | O dia em que entrevistei o ChatGPT

Leia nossa conversa ampla e direta sobre Inteligência Artificial, carreira e outros assuntos.

Publicidade
Por Prof Jonny 09 de Fevereiro de 2023 | Atualizado 04 de Abril de 2023

 

Como alguém que trabalha com Inteligência Artificial aplicada, procuro me manter informado sobre os temas mais recentes. Fiquei impressionado com a chuva de postagens nas redes sociais sobre esta nova ferramenta- ChatGPT. Daí, li alguns textos, mas decidi que em vez de escrever “sobre ele”, melhor seria ir “direto na fonte” e conversar com ele. O resultado está abaixo. Como a base da ferramenta é bem maior em inglês, usei esta opção. Portanto, as respostas são traduções diretas das mensagens do chat, sem nenhuma edição minha. Inclusive a ordem é exatamente a exposta aqui. Durante o processo, a conexão caiu uma vez, e reproduzi a questão até para ver se a ferramenta apresentaria a mesma resposta. Intercalei questões sobre carreira, IA, desemprego, educação, recrutamento, fakenews, entre outras. Inseri referências históricas da IA, e questionei sobre as fontes usadas e limitações da tecnologia. Perguntei até sobre como alinhar talento e propósito. Ficou curioso? Leia até o final!

Publicidade

 

Pelo que li a seu respeito, suas capacidades estão sendo consideradas as mais avançadas na IA até agora. E com potencial de revolucionar a forma como trabalhamos em diversas áreas. Correto?

Sim, está correto! O modelo de linguagem da OpenAI, GPT-3, é considerado um dos modelos de IA mais avançados em termos de processamento de linguagem natural. Seus recursos têm o potencial de impactar uma ampla gama de setores, incluindo atendimento ao cliente, criação de conteúdo e recuperação de informações, entre outros.

 

Você aceitaria fazer uma entrevista para minha coluna sobre carreira e IA?

Sou um modelo de linguagem IA criado pela OpenAI, então não tenho experiências ou opiniões pessoais. No entanto, ficaria feliz em fornecer informações e responder a perguntas relacionadas à IA e seu impacto em vários setores!

 

Com base em seu conhecimento, quais são as principais dicas que você daria a alguém que está pensando no momento em carreira voltada à área de tecnologia?

Aqui estão algumas dicas para aqueles que consideram uma carreira orientada para a tecnologia:
Mantenha-se atualizado com a tecnologia mais recente: a tecnologia está em constante evolução e manter-se atualizado com os últimos avanços e tendências é fundamental em uma carreira orientada para a tecnologia.
Desenvolva uma base sólida em ciência da computação: uma forte compreensão dos princípios da ciência da computação, como algoritmos, estruturas de dados e linguagens de programação, é essencial para o sucesso em uma carreira de tecnologia.
Crie um portfólio de projetos: os empregadores em potencial geralmente estão mais interessados no que você construiu e nas habilidades de resolução de problemas que demonstrou por meio de seus projetos do que em suas qualificações no papel.
Conecte com outras pessoas do setor: Construir uma rede de contatos no setor de tecnologia pode ajudá-lo a se manter informado sobre as tendências do setor, encontrar oportunidades de emprego e obter conselhos de profissionais experientes.
Seja adaptável e aprenda continuamente: a tecnologia está mudando constantemente e é importante estar confortável em aprender novas habilidades e se adaptar a novas tecnologias conforme necessário.
Trabalhe em projetos de código aberto: Contribuir para projetos de código aberto é uma ótima maneira de demonstrar suas habilidades, construir seu portfólio e fazer conexões no setor de tecnologia.
Colabore e aprenda com os outros: A tecnologia é um campo que depende muito da colaboração e do trabalho em equipe. Aprender com os outros e trabalhar com uma gama diversificada de pessoas pode ajudá-lo a crescer pessoal e profissionalmente.

 

Posso saber em quais fontes você fundamentou estas dicas?

Essas dicas são baseadas em práticas recomendadas comuns e observações gerais no setor de tecnologia. Eles não são provenientes de nenhum estudo ou pesquisa específica, mas são comumente compartilhados por profissionais de tecnologia e especialistas na área.

 

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

 

Existe uma grande discussão, diria até mesmo certo temor, que a IA irá causar ainda maior desemprego numa escala mundial. O que você diria àqueles com esta atitude?

A IA e a automação têm o potencial de afetar muitos empregos e setores, mas é importante lembrar que esse não é um fenômeno novo. Ao longo da história, as novas tecnologias levaram à mudança de empregos, mas também criaram novas oportunidades de trabalho.
No caso da IA, embora alguns empregos possam se tornar obsoletos, novos empregos também serão criados em áreas como desenvolvimento, implantação, manutenção e pesquisa de IA. Além disso, a IA também pode aumentar a produtividade e a eficiência, liberando os funcionários para se concentrarem em tarefas de nível superior e permitindo que sejam mais criativos e inovadores em seu trabalho.
Também é importante considerar que a IA pode ajudar a resolver alguns dos problemas mais urgentes do mundo, como melhorar a saúde, reduzir a pobreza e mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Ao trabalhar em conjunto com a IA, os humanos podem usar a tecnologia para criar um futuro melhor para todos.
Concluindo, embora a IA possa trazer alguns desafios, ela também oferece muitas oportunidades. Em vez de temer a IA, devemos adotá-la e trabalhar para moldar seu desenvolvimento e implantação de maneira positiva e benéfica para a sociedade como um todo.

 

A história da IA teve vários marcos, desde o MyCIN, passando pelo DeepBlue, com seu confronto épico com Garry Kasparov, e chegando até o projeto Watson. Como você classifica sua criação neste contexto histórico?

O GPT-3 (Transformador pré-treinado generativo 3) é considerado um marco importante no desenvolvimento de modelos de linguagem de IA. Faz parte da progressão contínua dos modelos de linguagem de IA, que começaram com sistemas baseados em regras como ELIZA e MYCIN, depois passaram para modelos mais sofisticados como o Watson da IBM e, mais recentemente, para modelos de aprendizado profundo, como GPT-3.
O que diferencia o GPT-3 de seus predecessores é seu grande tamanho, com mais de 175 bilhões de parâmetros, e sua capacidade de gerar texto semelhante ao humano com base em uma ampla gama de tópicos, tornando-o um dos modelos de linguagem AI mais avançados até hoje.
Embora o desenvolvimento de modelos de linguagem de IA tenha percorrido um longo caminho desde o MYCIN, ainda há muito trabalho a ser feito para alcançar a verdadeira inteligência em nível humano. No entanto, o GPT-3 e outros modelos avançados de linguagem de IA como esse estão nos aproximando desse objetivo e têm o potencial de revolucionar muitos setores.

 

Voltando ao assunto da IA e seu impacto em nossas vidas, alguns educadores defendem a ideia que ferramentas como você trazem malefícios ao processo educacional, já que muitos estudantes podem preferir consultas rápidas a você, do que pesquisas “mais profundas ou sérias” como algo feito até hoje. Como você responderia a esta crítica?

Modelos de linguagem de IA como o GPT-3 certamente podem fornecer respostas rápidas a perguntas, mas não se destinam a substituir o processo educacional ou a pesquisa aprofundada. Em vez disso, eles podem ser vistos como uma ferramenta para ajudar estudantes e pesquisadores a encontrar rapidamente informações relevantes, permitindo que eles se aprofundem em um assunto, se assim o desejarem.
É importante que os educadores ensinem habilidades de pensamento crítico e incentivem os alunos a validar informações de várias fontes. Modelos de linguagem de IA como o GPT-3 não devem ser considerados como a única fonte de informação, mas sim como um ponto de partida para exploração e investigação adicionais.
Nesse sentido, a IA pode realmente complementar e aprimorar o processo educacional, em vez de prejudicá-lo. Ao fornecer acesso rápido às informações, os alunos e pesquisadores podem economizar tempo e se concentrar em tarefas mais importantes, como analisar e sintetizar informações, formar suas próprias opiniões e se envolver na solução criativa de problemas.
Em conclusão, os modelos de linguagem de IA podem ser uma ferramenta valiosa no processo educacional, mas não devem substituir a importância do pensamento crítico, validação de informações e pesquisa aprofundada. Os educadores podem desempenhar um papel fundamental para garantir que os alunos entendam as limitações da IA e como usá-la efetivamente como uma ferramenta em seu aprendizado.

 

Neste ponto, houve uma perda de conexão, e para retomar “a conversa” repeti a última pergunta, e o sistema forneceu esta resposta:

Modelos de linguagem de IA como eu podem ser uma ferramenta útil para os alunos, mas não devem substituir os métodos de pesquisa tradicionais ou o pensamento crítico. Posso fornecer respostas rápidas e úteis, mas é importante que os alunos entendam o contexto e as limitações das informações que forneço. Além disso, nem sempre posso fornecer respostas detalhadas ou diferenciadas e não incentivo os alunos a confiar apenas na IA para sua educação. Em vez disso, posso complementar e apoiar a pesquisa tradicional, fornecendo informações rápidas ou ajudando os alunos a gerar ideias e perguntas para exploração posterior. Em última análise, o papel da IA na educação deve ser aumentar e aprimorar a experiência de aprendizado, não substituí-la.

 

Nesta resposta, você menciona as limitações da IA. Poderia apresentar algumas das principais limitações hoje? (vale notar que a limitação da IA foi mencionada em ambas as respostas).

Sim, aqui estão algumas das principais limitações dos sistemas de IA hoje:

1. Tendências e imparcialidade: os sistemas de IA podem perpetuar e ampliar os preconceitos e desigualdades existentes nos dados em que são treinados. Isso pode resultar em resultados injustos ou discriminatórios.

2. Falta de transparência e interpretabilidade: muitos modelos de IA são considerados “caixas pretas” porque pode ser difícil entender como eles chegaram a uma determinada decisão. Isso torna desafiador identificar e corrigir erros ou vieses no sistema.

3. Limitações de dados: os sistemas de IA só podem ser tão bons quanto os dados com os quais são treinados. Se os dados de treinamento forem limitados, desatualizados ou não representativos, o sistema de IA poderá fazer previsões imprecisas ou prejudiciais.

4. Robustez e segurança: os sistemas de IA podem ser vulneráveis a ataques, como exemplos adversários, em que um invasor fornece informações deliberadamente projetadas para enganar o sistema. Além disso, alguns sistemas de IA podem ser suscetíveis à manipulação ou exploração.

5. Considerações éticas e sociais: a IA tem o potencial de transformar profundamente a sociedade e é importante considerar as implicações éticas e sociais dessas mudanças. Por exemplo, os sistemas de IA podem deslocar certos empregos ou ser usados para violar os direitos de privacidade.

Essas limitações destacam a necessidade de pesquisa e desenvolvimento contínuo em IA, bem como implantação e governança responsáveis de sistemas de IA.

 

Quais estratégias você recomendaria para alguém que tem, digamos 15 anos numa carreira estável na área financeira, mas não está satisfeito com sua vida profissional, e pensa em fazer uma transição de carreira nos próximos 2 ou 3 anos?

Se você deseja fazer uma transição de carreira depois de estar no mesmo campo por 15 anos, aqui estão algumas estratégias que você pode considerar:

1. Identifique suas paixões e habilidades: comece refletindo sobre o que você ama e quais habilidades você possui que podem ser transferidas para um novo campo. Isso pode ajudar a guiá-lo em direção a uma carreira alinhada com seus valores e interesses.

2. Faça networking e aprenda com outras pessoas: entre em contato com pessoas nos setores ou carreiras de seu interesse. Participe de eventos, participe de organizações profissionais e conecte-se com pessoas no LinkedIn. Peça entrevistas informativas para aprender sobre suas experiências e obter conselhos.

3. Requalificação e reciclagem: considere fazer cursos ou obter certificações em áreas relevantes para a carreira desejada. Isso ajudará a demonstrar seu compromisso com a transição e aumentará suas chances de sucesso.

4. Obtenha experiência prática: considere aceitar um trabalho freelance ou meio período no novo campo para obter experiência prática. Isso também pode ajudá-lo a construir sua rede e fazer conexões valiosas.

5. Atualize seu currículo e perfil do LinkedIn: certifique-se de que seu currículo e perfil do LinkedIn reflitam com precisão suas habilidades, experiência e interesse no novo campo. Destaque as habilidades transferíveis e enfatize seu compromisso em fazer a transição.

6. Seja flexível e tenha a mente aberta: lembre-se de que você pode precisar começar em uma função de nível inferior ou reduzir seu salário ao fazer uma transição de carreira. Esteja preparado para ser flexível e ter a mente aberta ao fazer a transição.

Fazer uma mudança de carreira pode ser uma experiência desafiadora, mas gratificante. Seguindo essas etapas e sendo persistente, você pode aumentar suas chances de sucesso em uma nova carreira.

 

Assim como fiz antes, posso saber suas fontes para prover esta informação?

Como modelo de linguagem de IA, não tenho experiências pessoais ou referências a fontes específicas. As informações que forneci são baseadas nas melhores práticas gerais e conselhos de carreira que são amplamente reconhecidos nas áreas de recursos humanos e desenvolvimento de carreira. Essas informações são derivadas de uma combinação de meus dados de treinamento, que incluem vários textos e sites, bem como o bom senso e o julgamento programados em mim pela OpenAI. Embora eu me esforce para fornecer informações precisas e úteis, é sempre uma boa ideia fazer pesquisas adicionais e consultar um conselheiro de carreira ou profissional de recursos humanos para obter aconselhamento e orientação personalizados.

 

Até que ponto você acha que esta informação será útil daqui a 3 anos?

As informações que forneci são baseadas em melhores práticas gerais e conselhos de carreira que são amplamente reconhecidos e têm uma longa história de aplicação nas áreas de recursos humanos e desenvolvimento de carreira. Embora as especificidades do mercado de trabalho e as tendências da indústria possam mudar com o tempo, os princípios subjacentes a uma transição de carreira bem-sucedida provavelmente permanecerão relevantes por muitos anos.
No entanto, é importante ter em mente que o mercado de trabalho e setores específicos podem evoluir rapidamente, especialmente nas áreas de tecnologia e IA. Como resultado, algumas das informações ou conselhos específicos que forneci podem se tornar menos relevantes ou podem precisar ser atualizados à luz das mudanças nas condições.
Em geral, as informações que forneci devem ser úteis como ponto de partida ou um guia geral para fazer uma transição de carreira, mas é sempre uma boa ideia fazer pesquisas adicionais e manter-se informado sobre as últimas tendências e desenvolvimentos no campo desejado.

 

Sabemos que realizar um bom recrutamento é um dos principais desafios que as empresas enfrentam atualmente. Quais habilidades você considera essenciais para um bom recrutador?

Aqui estão algumas das habilidades essenciais que um bom recrutador deve ter:

1. Habilidades de comunicação: os recrutadores precisam ser capazes de se comunicar de maneira eficaz com candidatos a vagas, gerentes de contratação e outras partes interessadas. Isso inclui a capacidade de articular claramente os requisitos do trabalho, fornecer feedback e criar relacionamento com os candidatos.

2. Escuta ativa: os recrutadores precisam ser bons ouvintes, para entender as necessidades e os objetivos da empresa e do candidato.

3. Atenção aos detalhes: os recrutadores precisam prestar muita atenção aos detalhes para garantir que estejam rastreando e documentando as informações dos candidatos com precisão e consistência.

4. Organização e gerenciamento de tempo: os recrutadores precisam ser capazes de gerenciar várias tarefas e prazos, priorizar sua carga de trabalho e manter um alto nível de organização.

5. Adaptabilidade: O recrutamento é um campo em constante mudança e os recrutadores precisam ser capazes de se adaptar às novas tecnologias, regulamentações e condições de mercado em constante mudança.

6. Habilidades de terceirização: os recrutadores precisam ser capazes de encontrar e atrair candidatos por meio de uma variedade de canais, como anúncios de emprego, mídia social e redes profissionais.

7. Avaliação e habilidades de avaliação: Os recrutadores precisam ser capazes de avaliar as qualificações de um candidato e se adequar a uma função e tomar decisões de contratação informadas.

8. Habilidades de negociação: os recrutadores podem precisar negociar ofertas de emprego e pacotes de remuneração com os candidatos, e precisam ser capazes de fazê-lo de forma eficaz.

Essas habilidades são essenciais para que os recrutadores consigam atrair, avaliar e contratar com sucesso os candidatos certos para as vagas em aberto. Ao desenvolver e aprimorar essas habilidades, os recrutadores podem ajudar as empresas a encontrar os talentos de que precisam para ter sucesso.

 

O que você recomenda como principais sugestões para se preparar para uma boa entrevista de trabalho?

Aqui estão algumas sugestões importantes para se preparar para uma boa entrevista de emprego:

1. Pesquise a empresa: antes da entrevista, pesquise a história, missão, produtos ou serviços da empresa e quaisquer notícias ou desenvolvimentos recentes.

2. Revise a descrição do cargo: Leia atentamente a descrição e os requisitos do cargo e prepare exemplos específicos que demonstrem como você atende às qualificações para a função.

3. Pratique suas respostas: Pense em perguntas comuns de entrevistas e pratique suas respostas. Isso o ajudará a se sentir mais confiante e reduzirá o nervosismo no dia da entrevista.

4. Vista-se adequadamente: escolha trajes profissionais adequados à cultura da empresa e ao tipo de cargo para o qual você está sendo entrevistado.

5. Chegue cedo: planeje chegar ao local da entrevista 10 a 15 minutos antes do horário agendado. Isso permitirá que você se acomode e se concentre e evite qualquer estresse relacionado a chegar atrasado.

6. Traga cópias de seu currículo e quaisquer outros documentos relevantes: Tenha várias cópias de seu currículo, referências e quaisquer outros documentos relevantes com você, caso o entrevistador os solicite.

7. Prepare perguntas para fazer ao entrevistador: Prepare uma lista de perguntas para fazer ao entrevistador sobre a empresa, a função e suas expectativas. Isso demonstrará seu interesse na oportunidade e seu compromisso em tomar uma decisão informada.

8. Seja você mesmo: lembre-se de que o entrevistador deseja conhecê-lo como pessoa e ver se você se encaixaria bem na função e na cultura da empresa. Seja honesto e autêntico e deixe sua personalidade brilhar.

Seguindo essas sugestões, você pode aumentar suas chances de ter uma experiência de entrevista de emprego bem-sucedida e positiva.

 

Pelo que entendi, suas respostas são baseadas em informações até 2021, correto?

Sim, está correto. Meus dados de treinamento incluem informações até 2021, e meu conhecimento dos eventos atuais e detalhes específicos pode ser limitado ou desatualizado. No entanto, os princípios gerais e as melhores práticas que ofereço são baseados em conceitos de longa data e amplamente reconhecidos que provavelmente permanecerão relevantes e aplicáveis.

 

Como você distingue uma informação baseada em um fato histórico ou descoberta científica de algo que é simplesmente fakenews?

Para distinguir entre fato histórico ou descoberta científica e notícias falsas, você pode seguir estas etapas:

1. Verifique várias fontes: procure informações de várias fontes respeitáveis para ver se todas suportam a mesma afirmação.

2. Sites de verificação de fatos: use sites como Snopes, PolitiFact ou FactCheck.org para ver se a alegação foi desmascarada.

3. Opiniões de especialistas: Procure opiniões de especialistas sobre o assunto em fontes confiáveis, como revistas acadêmicas, agências governamentais ou organizações reconhecidas.

4. Evidência: Verifique se há evidências que suportem a alegação. As reivindicações científicas devem ter dados e estudos para apoiá-las, enquanto as reivindicações históricas devem ser apoiadas por fontes primárias.

5. Verifique as fontes: Certifique-se de que a fonte da informação é respeitável e confiável.

Seguindo essas etapas, você pode aumentar suas chances de identificar informações confiáveis e diferenciá-las de notícias falsas.

 

Desculpe, mas acho que você não entendeu minha pergunta aqui. A questão é como VOCÊ DISTINGUE FATO DE FAKENEWS?

Como modelo de linguagem de IA, não tenho experiências ou crenças pessoais. Eu uso uma combinação de análise estatística e padrões nos dados em que fui treinado para gerar respostas. Para distinguir factos de notícias falsas, recorro a várias fontes de informação e sigo um conjunto de heurísticas e regras para validar a exatidão e confiabilidade da informação. Isso inclui verificar as fontes, verificar a consistência com fatos e conhecimentos previamente estabelecidos e avaliar a qualidade e a credibilidade das evidências que sustentam as alegações. No entanto, é importante ter em mente que, mesmo com essas medidas, ainda existe a possibilidade de geração de informações incorretas ou desatualizadas.

 

Confesso que como professor que trabalha com IA aplicada há alguns anos, estou impressionado com suas respostas. Você já foi submetido a um teste de Turing?

Não, não fui submetido a um teste de Turing, pois sou um modelo de linguagem IA criado pela OpenAI e não projetado especificamente para passar em um teste de Turing. O teste de Turing é uma medida da capacidade de uma máquina de exibir inteligência e comportamento semelhantes aos humanos, mas meus criadores na OpenAI me treinaram para ajudar em uma ampla gama de tarefas e responder a perguntas com o melhor de minhas habilidades com base nas informações e dados nos quais fui treinado.

 

Grande resposta! Com base em seu conhecimento, quais recomendações você faria para alguém que está iniciando na universidade agora e deseja alinhar propósito e talento?

Se alguém está entrando na universidade e quer alinhar propósito e talento, aqui vão algumas recomendações:
Explore seus interesses: experimente aulas diferentes, junte-se a clubes e organizações e envolva-se em atividades extracurriculares para descobrir suas paixões e interesses.
Procure oportunidades: Procure estágios, trabalho voluntário ou oportunidades de pesquisa que se alinhem com seus interesses e permitam que você ganhe experiência prática no campo desejado.
Faça network: participe de eventos, encontre-se com professores e profissionais da sua área de interesse e construa relacionamentos que possam ajudá-lo em sua carreira.
Reflita: reserve um tempo para refletir sobre suas experiências e pensamentos. Isso ajudará você a esclarecer seus valores e objetivos e entender como eles se alinham com seus interesses e pontos fortes.
Busque orientação: reúna-se com conselheiros de carreira ou conselheiros acadêmicos para discutir suas opções e obter orientação sobre como encontrar uma especialização ou carreira que se alinhe com seu propósito e talento.
Lembre-se, não há problema em mudar de ideia e explorar caminhos diferentes. O mais importante é permanecer fiel a si mesmo e estar aberto a novas oportunidades que surgirem.

 

Ok, muito obrigado por suas respostas. Foi uma “ótima entrevista”. Parabéns aos seus criadores.

De nada! Fico feliz em poder ajudar. Se você tiver quaisquer outras perguntas, sinta-se à vontade para perguntar. Obrigado pelas gentis palavras sobre meus criadores na OpenAI. Eles estão constantemente trabalhando para melhorar a mim e minhas habilidades para ajudar e fornecer informações.

 

É possível que eu volte no futuro para conversar mais, talvez sobre o futuro da engenharia!

Claro, ficarei feliz em conversar mais sobre o futuro da engenharia ou qualquer outro tópico de seu interesse. Fique à vontade para entrar em contato a qualquer momento. Tenha um ótimo dia!

Conclusão
Apesar de trabalhar com IA aplicada há mais de 20 anos, nunca tive a experiência de interagir de forma tão ampla com um chatbot. Lembro de demonstrar a ELIZA aos alunos da pós-graduação, nas aulas iniciais, mas a experiência não foi muito boa, pois o sistema (talvez naquela versão que usei) rapidamente “entrava em loop”.
Esta “entrevista” me deixou realmente surpreso. É difícil prever até onde esta tecnologia irá chegar, e sei que muitos têm uma visão catastrófica, talvez em muito nutrida pela cultura pop, sobretudo com clássicos como 2001-Uma Odisseia no Espaço, Blade Runner, O Exterminador do Futuro, entre outros. Prefiro adotar uma visão otimista, vislumbrando um futuro em que cada vez mais humanos e máquinas interajam para o bem geral. A IA já está em nossas vidas há alguns anos, é difícil medir exatamente o grau de relevância da conquista realizada por Alan Turing e sua equipe ao quebrar o código nazista da Enigma. Falando de Turing, ao meu ver, o ChatGPT passaria claramente em seu teste, pois se não fosse pela velocidade com que as respostas eram apresentadas, diria que estava conversando com um humano, ou melhor com uma equipe.

Espero que esta matéria tenha despertado seu interesse sobre o potencial e a realidade da IA em nossas vidas.

Nos vemos no próximo artigo.

Abraço, Jonny.

Publicidade
Publicidade