Instituto Federal Catarinense produz álcool em gel 70% e máscaras para profissionais de saúde

30 de Março de 2020

A entidade também está realizando doação de alimentos e disponibilização da infraestrutura dos campi para o Governo Estadual e Municipais

Neste momento de atividades acadêmicas e administrativas presenciais suspensas, os servidores do Instituto Federal Catarinense (IFC) uniram-se na busca de alternativas para fortalecer a prevenção ao coronavírus e apoiar a comunidade catarinense. Entre as ações em andamento estão a produção de álcool em gel 70%; produção de máscaras em impressoras 3D para profissionais da saúde; doação de alimentos produzidos nos campi agrícolas, principalmente hortaliças e ovos; doações de outros itens alimentícios e equipamentos de proteção individual adquiridos pelos próprios servidores; apoio de servidores nas ações municipais e estaduais para orientação da sociedade em geral, entre outras iniciativas.

Esta semana, a reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes enviou um ofício ao Governo Estadual disponibilizando a infraestrutura do Instituto ao governo do Estado e dos municípios onde estão localizados os 15 campi nas cidades de Abelardo Luz, Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Sombrio e Videira. 

Conforme o ofício, os espaços físicos da Instituição podem ser utilizados para apoio aos profissionais de saúde com a preparação e fornecimento de refeições; descanso nos campi que possuem moradia estudantil; triagem e acompanhamento de pacientes; entre outras ações que o poder Executivo julgar necessárias e que o IFC tenha condições de atender. 

Segundo a reitora, a importância do Instituto Federal Catarinense se colocar à disposição do Governo do Estado, tanto do nosso espaço físico, da infraestrutura, quanto de equipamentos, de produção, e de produtos específicos - como o álcool em gel -, se constitui em uma dimensão solidária e de empatia com o que está acontecendo no contexto brasileiro e, obviamente, internacional. “Então nos cabe colaborar para além de nossos muros, contribuir com o que estamos fazendo do ponto de vista administrativo e curricular, nas dimensões pedagógicas, mas também do ponto de vista de uma atitude social e responsável que o IFC tem como uma instituição pública diante da sociedade catarinense. Dessa forma, entendo que é uma contribuição significativa, singela, mas de extrema importância para ajudar no combate do Covid-19 e trazer um pouco mais de conforto, especialmente aos servidores da saúde que estão a frente deste processo”, destaca Fernandes.