Publicidade
Estudo da Kantar aponta que as mulheres são as que mais consomem vídeos online no Brasil
20 de Dezembro de 2021

Estudo da Kantar aponta que as mulheres são as que mais consomem vídeos online no Brasil

Amostra contempla o período entre 5 e 11 de dezembro

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Foto de Libby Penner no Unsplash

De acordo com um estudo lançado recentemente pela Kantar Ibope Media, as mulheres foram as que mais consumiram vídeo online no Brasil, no período de 5 a 11 de dezembro (54,1%). A faixa etária predominante está entre 18 e 34 anos (26%).

Publicidade

Estes são alguns dos primeiros dados coletados por meio do Painel 2.0 da Kantar IBOPE Media, via Focal Meter, evolução do sistema de medição de audiência da Kantar, que passa a aferir também a audiência de vídeos online. Atualmente, o equipamento está instalado em mais de 1.600 domicílios nas 15 regiões metropolitanas que contemplam a aferição auditada de audiência da Kantar IBOPE Media no Brasil.

“Nos próximos meses, os dados sobre consumo de vídeo online estarão disponíveis por meio da solução ‘Video Streaming Report’, que apresentará aos nossos clientes os dados de consumo do vídeo online”, revela Melissa Vogel, CEO da Kantar IBOPE Media Brasil. “Nossa meta é ter o Painel 2.0 instalado em 3 mil domicílios até os primeiros meses de 2022, contemplando todo o ecossistema de vídeo no Brasil”, conclui a executiva.

Além disso, os insights também apontam algumas preferências de consumo. De acordo com os dados preliminares, o dia de semana favorito dos brasileiros para assistir a vídeos online é o domingo, e o dia de menor consumo é a quinta-feira. Os dispositivos mais usados são Smart TVs (48%) e smartphones (42%), seguidos de computadores (8%) e tablets (2%).

A Kantar IBOPE Media também observou que o dispositivo preferido entre os brasileiros muda quando a análise é realizada apenas com base no consumo de SVODs – players financiados majoritariamente por assinaturas, sejam eles nativos digitais ou pertencentes a emissoras. Nesse contexto, a relevância das Smart TVs cresce para 81%. Os celulares aparecem em seguida, com 13%.

Publicidade
Publicidade