Publicidade
Tráfego de bots compromete confiança na publicidade digital
19 de Dezembro de 2016

Tráfego de bots compromete confiança na publicidade digital

Publicidade

O tráfego não-humano de anúncios gerado pelos chamados ad bots vem comprometendo a confiança na publicidade digital. De simples scripts que inicialmente apenas conseguiam clicar em anúncios online e prejudicar o funcionamento de PCs, os bots evoluíram para o mobile. Rodando silenciosamente no background, hoje eles são capazes de visualizar e consumir anúncios, corroendo os orçamentos de anunciantes. Diante deste cenário, a Teads, inventora do vídeo outstream e marketplace de vídeos #1 no mundo (comScore) divulgou no último dia 14 de dezembro os resultados de uma Auditoria de Tráfego Não-Humano (NHT). Em resposta às crescentes inquietações nos negócios em relação ao tráfego fraudulento, a Teads reforça seu compromisso de oferecer aos anunciantes o maior valor de retorno por meio da transparência total da audiência em relação aos níveis de bots e NHT.

Com a utilização do MOAT regional e de benchmarks locais como referência, a Teads comparou a taxa de Visibilidade Humana e de Tráfego Inválido (IVT). Na América do Sul, os dados incluem uma taxa de Visibilidade Humana de 43,4% e um IVT de 3%. A Teads teve um desempenho 33% melhor do que o padrão de Visibilidade Humana e 93% mais alto do que o benchmark de IVT.

Publicidade

De acordo com o IAB (Interactive Advertising Bureau), o tráfego de bots custa anualmente ao mercado mais de U$ 4,6 bilhões em todo o mundo. Além disso, a comScore informa que 62% dos anúncios comprados por mídia programática não são visíveis. Esta é uma preocupação séria das empresas, uma vez que a mídia programática continua a disparar em crescimento com previsões de que os investimentos na América Latina alcancem U$ 2 bilhões até 2019, segundo a Magna Global.

Com os crescentes níveis de tráfego fraudulento, a indústria deveria exigir mais transparência na compra de publicidade. A Teads trabalha com os mais confiáveis líderes em medição de desempenho, incluindo Integral Ad Science (IAS), comScore e MOAT para assegurar a acuidade, consistência e integridade de todos os dados fornecidos aos clientes”, explicou Eric Tourtel, SVP da Teads LatAm.

Mundialmente, a comScore posiciona a taxa de Tráfego Não-Humano da Teads em cerca de 1%, significativamente menor do que a média mundial de 9% por vídeo programático em geral e cerca de 1/3 da média para vídeos comprados diretamente de publishers (3%). A Teads também é líder na indústria com sua Nota de Qualidade Real de Publicidade (True Advertising Quality Score – TRAQ). As pontuações TRAQ levam em consideração fraudes, viewability, segurança da marca e excesso de anúncios na página.

“Com as incertezas atuais do mercado, é mais importante do que nunca fornecer aos nossos clientes a garantia de que seus orçamentos de publicidade de vídeo não estão sendo desperdiçados”, disse Ricardo Izquierdo, diretor de Programática e AdOps para o Omnicom Media Group.

O formato de publicidade em vídeo outstream da Teads posiciona a publicidade em vídeo dentro do conteúdo editorial premium de um site, fornecendo áudio e administrando os recursos de controle, enquanto captura maior alcance de público. Como número 1 no mercado, a Teads conta com 1,2 bilhão de usuários únicos a nível global, incluindo 720 milhões em dispositivos móveis.

Publicidade
Publicidade