Publicidade
Proteja-se de ataques phishing criando senhas seguras
22 de Junho de 2022

Proteja-se de ataques phishing criando senhas seguras

De acordo com vários estudos, muitos usuários de internet não sabem criar uma senha segura o suficiente para o email que utilizam

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Pense nas senhas que você utiliza. Agora reflita: acha que elas seriam fáceis de hackear? De acordo com vários estudos, muitos usuários de internet, seja em casa ou no trabalho, não sabem criar uma senha segura o suficiente para o email que utilizam. Tal fato é uma grande oportunidade para hackers, que a cada dia utilizam técnicas mais sofisticadas para descobrir nossas senhas com facilidade.

Só em 2021, os ataques cibernéticos aumentaram 50%, segundo a Check Point Research, e espera-se que em 2022 o número continue crescendo.

Publicidade

O descuido dos usuários aliado à habilidade dos hackers, fazem do hacking um negócio cada vez mais lucrativo e a proteção de senhas uma atividade obrigatória para todos os usuários de internet.

 

Quais são as senhas mais utilizadas no Brasil?

Os dados são contundentes: escolhemos senhas fáceis de lembrar, independentemente do quão fáceis sejam de hackear. Além disso, é comum que muitos usuários usem a mesma senha para contas diferentes.

O gestor de senhas Nordpass compilou um relatório sobre as senhas mais usadas e os resultados são surpreendentes. A senha mais utilizada no Brasil apareceu 1.003.925 vezes na pesquisa. E não apenas isso, mas a senha mais utilizada em nosso país é simplesmente 123456. Como usuários de internet, devemos estar cientes da importância da segurança cibernética e proteger melhor nossa informação.

 

Phishing: o principal método para hackear emails

Phishing é a técnica mais utilizada por hackers para obter senhas de emails. Ao acessar o email, o hacker consegue extrair uma infinidade de informações. Eles podem acessar os dados da nossa conta bancária, nossas compras online ou mesmo as assinaturas de serviços de streaming.

Além disso, como muitos repetem a mesma senha, fica mais fácil acessar redes sociais e serviços integrados ao email.

 

Como funciona o phishing?

A técnica de phishing consiste em criar um email falso, parecido ao de uma empresa ou prestador de serviços. Normalmente existe um botão com uma chamada para ação como “ver o seu pedido” ou “obter mais informações”. Se o usuário clicar será redirecionado para um link malicioso onde o hacker tentará decifrar a senha.

 

Quais são os emails de phishing mais comuns?

Os hackers estão se tornando mais sofisticados em seus métodos de phishing e seus e-mails são mais criativos. No entanto, podemos identificar os três tipos mais utilizados de emails phishing:

Verificação de conta – parece o email de uma empresa ou instituição financeira na qual o usuário possui uma conta, como Amazon ou Banco do Brasil, e avisam que é necessário clicar no link para verificar a conta.

Spear phishing – um golpe aplicado dentro do ambiente empresarial, o hacker finge ser um colega de trabalho enviando o email para diversos funcionários com um link malicioso.

Fatura falsa – outra técnica é o email com uma fatura em aberto de um ecommerce ou prestadora de serviços. O email é acompanhado por um link malicioso para abrir a suposta fatura.

3 métodos para criar senhas seguras

O melhor método para evitar ser hackeado é definir uma senha segura e difícil de decifrar. Para fazer isso, os especialistas recomendam usar no mínimo 10 caracteres compostos por letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais (@#~$). Cada senha deve ser usada para apenas uma conta e deve ser alterada com regularidade.

Inicialmente pode parecer que criar uma senha segura é complicado. Por isso, indicamos 3 métodos para você criar senhas fáceis de lembrar e difíceis de decifrar.

Encurtar palavras: você pode criar uma frase e remover a primeira ou a última letra para criar combinações seguras. Por exemplo: “gosto de viajar de avião ou de carro”, poderíamos eliminar as duas primeiras letras de cada palavra e resultaria em: sto ajar iao rro.

Mude as vogais. Para este método, recomendamos o uso de frases sem sentido, a fim de dificultar a decifração. Poderíamos usar: um porco está voando em uma cidade e mudar todos os ‘o’s para ‘a’ e todos os ‘u’s para ‘i’s. O resultado final seria: im parca esta vaanda em ima cidade.

Use códigos de país para criar combinações. Ao usar os códigos de país ISO, você pode criar combinações fáceis de lembrar. Por exemplo, se você usa Brasil, França, Alemanha, Japão, você pode criar a seguinte senha: bra fra ale jpn
Lembre-se que com o resultado criado com todos esses métodos, você deve adicionar letras maiúsculas, números e caracteres especiais para tornar a senha ainda mais segura.

Por último recomendamos a utilização de um gerenciador de senhas (1Password, Last Pass, Dashlane, etc.), que facilita o processo de criação e armazenamento de todas as senhas do usuário.

Publicidade
Publicidade