Publicidade
O plano de Elon Musk pode mesclar seres humanos aos robôs?
22 de Agosto de 2023

O plano de Elon Musk pode mesclar seres humanos aos robôs?

As ambições do projeto geraram dúvidas e críticas

Publicidade

A liberação da Neuralink, empresa do bilionário Elon Musk, tem gerado polêmica. O objetivo de realizar testes com chips cerebrais em humanos, reacendeu o debate sobre o uso da tecnologia, mas Musk pode estar planejando muito mais por trás deste projeto.

Como devem ser os chips cerebrais de Elon Musk?

Publicidade

A Neuralink é uma empresa fundada por Elon Musk em 2016 com a missão de avançar no desenvolvimento de tecnologias de interface cérebro-computador. Seu objetivo é criar conexões diretas entre o cérebro humano e dispositivos externos, utilizando eletrodos implantados na superfície cerebral.

O novo dispositivo desenvolvido pela empresa seria implantado no cérebro e traria benefícios terapêuticos para uma variedade de condições médicas, como paralisia, depressão e até cegueira. Além disso, a tecnologia poderia permitir a interconexão direta entre o cérebro e supercomputadores, bem como a capacidade de armazenar memórias.

No entanto, as ambições do projeto também geraram dúvidas e críticas. Questões éticas e legais foram levantadas em relação à viabilidade e aos possíveis impactos dessa tecnologia. O debate se concentra em preocupações como privacidade, segurança, autonomia individual e potenciais abusos do acesso direto ao cérebro humano.

O que está por trás dos chips cerebrais de Elon Musk?

Para o Pós PhD em neurociências e membro da Society for Neuroscience nos EUA e da Sigma XI, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, o projeto de Elon Musk pode ser voltado ao desenvolvimento de uma simbiose humano-máquina. “O projeto Neuralink soa algo interessante, que é trazer a cura e reativar membros. Por exemplo, fazer um cego enxergar, um surdo ouvir, uma pessoa com Alzheimer se lembrar e até mesmo pessoas sem mobilidade voltarem a andar, mas sabemos que no mundo científico que nem todo estudo e projeto é somente aquele que beneficia, mas também o que descobre, revela, antecede e o que aguça as ambições”.

“Elon Musk já alertou sobre o risco da inteligência artificial e da possibilidade de os robôs se voltarem contra nós, ele também deixou escapar que há por trás do Neuralink uma prevenção através da simbiose para que nós sejamos as máquinas, dessa forma o risco da IA ‘sair do controle’ seriam menores pois ela estaria, de alguma forma, integrada a nós” Analisa Dr. Fabiano de Abreu.

Créditos: Getty Images

Publicidade