Cão-robô, testado na Petrobras, abre espaço para expansão da tecnologia no Brasil
12 de Março de 2024

Cão-robô, testado na Petrobras, abre espaço para expansão da tecnologia no Brasil

Conhecido por sua por sua versatilidade, mobilidade, agilidade e destreza, o cão-robô é equipado com conexão 4G

Twitter Whatsapp Facebook

Tendência mundial no que diz respeito à tecnologia, o Spot, cão-robô desenvolvido pela empresa Boston Dynamics, já é conhecido do público brasileiro graças às suas diferentes aparições e aplicações em território nacional.

Um exemplo disso, é uma série de validações técnicas da plataforma robótica em infraestruturas críticas do Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu, e na Petrobrás, no Rio de Janeiro. Os resultados preliminares desses testes práticos foram destaque na programação do Mobile World Congress (MWC), considerado o maior e mais influente evento para o ecossistema global de conectividade, realizado na última semana de fevereiro, em Barcelona.

Publicidade

Conhecido por sua por sua versatilidade, mobilidade, agilidade e destreza, o cão-robô é equipado com conexão 4G (com upgrade previsto para o 5G), inteligência artificial, câmeras e microfones que são usados para detectar anormalidades, reduzindo custos e evitando colocar em risco a integridade dos colaboradores. Além disso, o equipamento é capacitado para cumprir o papel de “socorrista” em resgates de emergência, inclusive em áreas com escombros, por meio da coleta de informações visuais prévias e vitais para a preparação de equipes de resposta humana.

Desde novembro de 2023, alguns desses critérios vêm sendo testados nas instalações de pesquisa da Petrobras na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro. Na rede 4G, o cão-robô não só exibiu sua notável capacidade de navegação e mapeamento em 3D, mas também demonstrou habilidades na verificação de análises termográficas, interpretação de dados sensoriais, análises de performance, entre outros. Com os resultados promissores da conectividade 4G, a empresa agora avança para uma nova etapa de testes, explorando novas aplicações em uma rede privativa 5G.

“A Petrobras está sempre atenta às contribuições que a robótica possa trazer para suas atividades. Por meio de nosso programa de inovação, desenvolvemos robôs com startups e instituições de ciência e tecnologia, além de participar de testes de validação de terceiros, como no caso do SPOT. Além disso, as aplicações avançadas de robótica são fundamentais para nos ajudar a entender e explorar as potencialidades e casos de negócio com redes privativas 4G e 5G,” afirma Carlos Barreto, gerente executivo de Tecnologia da Informação da Petrobras.

Os testes na Petrobras fazem parte das entregas do projeto Critical Tech, estabelecido entre o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), com implementação prevista para também para a Itaipu Binacional.

De acordo com o diretor superintendente do PTI, Irineu Colombo, a instituição atua na análise, implementação e aplicação dos múltiplos recursos oferecidos pelo Spot em infraestruturas críticas com potencial de se tornar um “agente integrador de tecnologias e ferramentas na plataforma Spot”, explicou.

Atualmente, as equipes técnicas do parque tecnológico realizam o entendimento das demandas do mercado, visando estabelecer aplicações sobre o viés técnico com base nas possibilidades que o Spot oferece e, também, análise das viabilidades econômicas de sua aplicação.

“O Critical Tech nos possibilitou, junto com a ABDI, abrir portas e nos conectar com importantes players do mercado nacional para que pudéssemos testar, validar e amadurecer nossas competências e soluções em benefício da indústria brasileira”, complementou Eduardo de Miranda, diretor de negócios e empreendedorismo do PTI.

Para os próximos passos, estão sendo estudadas as possibilidades dos potenciais locais de implementação, aplicações assistidas, treinamentos, customizações de soluções e orientações especializadas sobre o uso do spot. Neste contexto, aliado a possibilidade de entrada da Boston Dynamics no mercado brasileiro, em articulação sendo capitaneada pela A&C Tecnology e com apoio do Governo Federal, da ABDI, Itaipu e PTI, a perspectiva é que seja iniciado um novo marco no uso do SPOT no país, gerando uma série de benefícios para o setor.

Publicidade