Publicidade
Caixa-Preta Veicular projetada por alunos catarinenses concorre a prêmio internacional da Microsoft
27 de Abril de 2016

Caixa-Preta Veicular projetada por alunos catarinenses concorre a prêmio internacional da Microsoft

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Alunos da SOCIESC de Joinville desenvolveram um projeto para veículos que funciona como uma caixa-preta, colaborando para o esclarecimento de roubos de carros e acidentes automobilísticos. Batizado de WITBox, o protótipo está entre os finalistas nacionais da ImagineCup 2016, competição mundial de estudantes organizada pela Microsoft.
 
O WITBox surgiu a partir do encontro dos alunos Lucas Casagrande (22), Alexandre Viebrantz (26) e Eduardo Garcia (18), que, além da paixão pela tecnologia, têm em comum o objetivo de extrapolar suas possibilidades e, com base nos conhecimentos adquiridos durante os cursos de Engenharia da Computação e Sistemas da informação, colaborar com a sociedade, propondo soluções simples para questões do dia-a-dia.
 
Segundo os alunos, além da premiação, esse projeto faz parte dos planos futuros dos estudantes. “Participar de uma competição internacional é mais um estímulo para a realização do nosso objetivo, que é a criação de uma startup e atração de investidores”, disse Lucas Casagrande, um dos idealizadores da WITBox.
 
A caixa-preta para veículos funciona de modo semelhante aos dispositivos instalados em aeronaves, registrando áudio e os dados do carro durante o seu uso, como velocidade, posição do volante e outros dados de telemetria, que podem ajudar na solução de investigações sobre acidentes. Além disso, conta com sistema de rastreamento, bastante útil em casos de roubo e monitoramento de frota, por exemplo. Os dados anônimos podem ajudar a indústria automotiva a identificar falhas em seus veículos, tornando-os mais seguros.
 
Os principais diferenciais são uma coleta maior de dados quando comparados com soluções similares, o que permite mais assertividade em caso de acidentes, e segurança e facilidade de uso, pois nenhum conhecimento técnico é necessário.
 
Os alunos contaram com a orientação do professor Paulo Manseira e o apoio do Microsoft Innovation Center, existente na instituição, sob a coordenação do professor Luiz Camargo e da professora Rita de Cassia Amorim, responsável pelo projeto SUPERA, no incentivo ao empreendedorismo do projeto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade