Publicidade
ARTIGO | IA e conexões humanas: o que aprendemos com o SXSW para o Live Marketing
08 de Abril de 2024

ARTIGO | IA e conexões humanas: o que aprendemos com o SXSW para o Live Marketing

Como o mercado vai incorporar os insights que foram compartilhados no festival?

Publicidade

Por Camila Inoue*

Sempre ouvi falar do SXSW como um lugar onde mentes criativas, futuristas e empreendedores audaciosos se encontram para travar debates que acabam moldando o futuro da sociedade. Para minha surpresa, este ano, junto à Eagle Agência, tive a grande oportunidade de ir a Austin, nos Estados Unidos e vivenciar esse evento transformador de perto. Uma experiência simplesmente incrível.

Publicidade

Posso dizer que vivi uma espécie de semana sabática, já que saí totalmente da minha zona de conforto e da rotina frenética de mãe de dois filhos, esposa e líder de um grande time, para participar de uma aventura que transformou a minha perspectiva sobre o potencial da inovação e da colaboração em escala global.

O South by Southwest é um acontecimento em que mesmo que você queira, não irá conseguir assistir a todas as palestras e acompanhar todos os conteúdos disponíveis, entãoo ideal é filtrar quem apresenta os assuntos mais relevantes para o seu tipo de negócio. No caso da Eagle, eu e a Brenda Maia (CEO), estávamos muito interessadas em saber sobre as tendências e novas tecnologias para o ramo dos eventos, pensando sempre de forma estratégica em como aprimorar a experiência dos nossos colaboradores, clientes e parceiros.

É claro que um dos tópicos mais discutidos na edição de 2024 foi inteligência artificial, mas muitas questões relacionadas à sustentabilidade e à saúde mental também foram apontadas. É difícil comentar apenas um conteúdo, mas a palestra do Peter Deng, vice-presidente de Produtos de Consumo e ChatGPT da OpenAI, por exemplo, me marcou bastante.

O executivo foi entrevistado pelo jornalista Josh Constine, que soube conduzir de forma dinâmica uma densa conversa sobre o papel dos seres humanos na era da IA. Deng, cuja trajetória inclui passagens como chefe de Produtos no Facebook, Instagram e Uber, trouxe de forma leve como abraçou o propósito de popularizar a IA por meio do ChatGPT.

Ele falou sobre estarmos vivendo uma era em que as crianças podem aprender a programar antes mesmo de serem alfabetizadas, e em muitos momentos, traçou paralelos entre a IA e seus filhos, mencionando as mentes puras das crianças que ficam perguntando sem parar “por quê?” e como o ChatGPT atua como um professor incansável, enfatizando que ao recorrermos à IA como ferramenta, podemos nos tornar ainda mais humanos, pois nossas mentes são curiosas por natureza e essa tecnologia nos permite fazer perguntas cada vez mais profundas, explorando e economizando tempo para reflexão.

Deng ainda nomeou a inteligência artificial como uma parceira para a construção de um pensamento poderoso, afirmando que sua disseminação de forma ética é crucial e que no final das contas, manter-se curioso e de mente aberta é essencial em nossa jornada com a IA.

Esse conteúdo e vários outros me provocaram o seguinte questionamento: como vamos aplicar isso no nosso dia a dia? Ou melhor: como o mercado vai incorporar os insights que foram compartilhados no festival? Algo que já temos certeza é que em um cenário cada vez mais competitivo e com consumidores exigentíssimos, as empresas terão que se adaptar ao que está em alta e influenciando o comportamento dos consumidores.

Já estamos observando que a IA vem sendo empregada para ampliar e aprimorar as experiências de compra, tornando-as mais convenientes e personalizadas conforme as necessidades individuais de cada um.

No caso das agências de Live Marketing, desde a etapa do planejamento até a execução dos eventos, a IA tem sido utilizada para otimizar a logística e aprimorar a criatividade. Assim, é possível analisar o histórico dos participantes, suas preferências e interações, criar algo totalmente customizado e que com certeza irá se conectar de forma genuína com eles, por meio de interações que despertam os sentidos e geram momentos que ficam guardados na memória. Esses são alguns dos princípios que eu vejo como essenciais para se ter uma marca reconhecida e conquistar a fidelidade das pessoas.

No Brasil, ainda estamos engatinhando nesse sentido, e acredito que após o SXSW vamos conseguir progredir de forma significativa, até porque marcamos presença em peso em Austin, ficando atrás apenas da delegação norte-americana. Acredito que o que pode ser feito agora, para já irmos nos preparando para os impactos dessa nova realidade, é primeiramente aprofundarmos o nosso entendimento sobre a ferramenta. Buscar literatura especializada, acompanhar estudos sobre cases de sucesso, interagir com comunidades e hubs de conhecimento, como startups especializadas, para entender como podemos aplicá-la em nossas operações e termos uma visão informada sobre o futuro, com base em dados.

Após a fase de educação, vejo como o próximo passo a experimentação interna, ou seja, buscar áreas em que a tecnologia pode ser implementada dentro da empresa em que trabalhamos. É necessário identificar quais processos podem ser automatizados, serviços ou produtos que podem ser melhorados, e criar uma cultura que incentiva a inovação e aceita os erros, já que estamos em um período de teste, construindo uma trajetória de aprendizagem e evolução.

Para concluir, outro tema que repercutiu bastante foi o da palestra comandada por duas grandes pensadoras contemporâneas, Esther Perel, psicoterapeuta especialista em relacionamentos modernos, e Brené Brown, pesquisadora e autora best-seller sobre temas como empatia, vulnerabilidade e coragem.

O painel delas proporcionou aos espectadores um diálogo profundo sobre os desafios e oportunidades da conexão humana na era digital, destacando a importância de cultivarmos conexões reais e autênticas, e alertando para o perigo da “intimidade artificial”, tão presente nas relações pelas redes.

Já colocando esses tópicos em prática, reformulamos o escritório da Eagle para acompanhar o crescimento da agência, refletindo de forma concreta a cultura, missão e valores que carregamos.

Agora temos um espaço que promove conexão, troca contínua e experiências, pilares muito importantes para nós. Teremos ainda um momento focado no compartilhamento dos aprendizados colhidos no SXSW, com a intenção de fortalecer o relacionamento e manter os clientes e parceiros mais próximos, em um ambiente moderno, receptivo e colaborativo.

Estamos prontos para alçarmos voos ainda mais altos e cheios de expectativa para tirar do papel tudo o que absorvemos nessa viagem tão intensa e inesquecível.

*Camila Inoue é Head de Atendimento da Eagle.

Foto: Freepik

Publicidade
Publicidade