Publicidade
“Marketing para a Classe Média” diz que classe C ainda valoriza publicidade tradicional
05 de Fevereiro de 2016

“Marketing para a Classe Média” diz que classe C ainda valoriza publicidade tradicional

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Segundo o estudo “Marketing para a Classe Média”, realizado pela Mintel, 25% dos consumidores de classe média afirmam prestar mais atenção em anúncios da mídia tradicional em vez de mídia online, saltando para 35% entre as mulheres acima dos 35 anos. A classe AB, por sua vez, tende a procurar por promoções no online.

Homens
O público masculino da classe C é o grupo demográfico que menos presta atenção à mídia tradicional e o mais inclinado a utilizar dispositivos móveis durante comerciais de TV. Os jovens da classe média, com idade entre 16 e 24 anos, são os mais interessados em obter informação, por meio de apps ou sites, de produtos vistos em programas de TV, novelas e filmes. De acordo com o relatório, as marcas direcionadas a esse público devem encontrar formas de associarem seus anúncios, principalmente os televisivos, à internet e às redes sociais.

Publicidade

Os anúncios nas redes são, aliás, bem recebidos por 20% dos consumidores pertencentes à classe C, desde que sejam discretos. Os anúncios aleatórios nesse meio devem ser divertidos como os da TV para atrair a audiência, aponta a Mintel. Já nos websites, porém, a propaganda é considerada irritante por 18% desse grupo. Uma solução para essa rejeição seria, segundo a pesquisa, a personalização dos anúncios e uma maior transparência dos portais em relação à privacidade dos dados.

Recomendação e diversidade
No momento de obter informação sobre produtos, 20% dos consumidores da classe C confiam mais na recomendação de amigos e familiares do que em anúncios tradicionais ou digitais. Para fidelizar o comprador as marcas devem, de acordo com o relatório, incentivar a propaganda “boca a boca”. A distribuição de cupons de desconto, por exemplo, podem ser uma maneira de disseminar o comportamento.

A representação da diversidade brasileira na publicidade é algo relevante para 15% dos jovens de classe média e para 12% dos consumidores desse extrato socioeconômico em geral. O estudo conclui que as marcas que mostram visões realistas dos variados grupos demográficos e estilos de vida se mostram relevantes e atualizadas perante o público, revela o MM On Line.

Classe C é positivista
Uma das principais características da Classe C é o seu positivismo com relação ao futuro. Segundo o estudo Vozes da Classe Média, do Instituto Data Popular, com relação a sua confiança no Governo, a população acredita que a educação (70%) e a saúde (75%) são as principais responsabilidades do Estado. Do total de pessoas, 67% acreditam que o voto pode melhorar a política brasileira. A classe média também se revela otimista: seis em cada 10 brasileiros acreditam que sua vida melhorou. Do total de entrevistados no estudo, 59% acham que vivem melhor; 35% igual e 6% acreditam viver pior. Já 81% acham que a situação melhorará no próximo ano.

Publicidade
Publicidade