Publicidade
Empreendimento da Dimas Construções conta com jardim suspenso com vegetação nativa da Mata Atlântica
10 de Março de 2022

Empreendimento da Dimas Construções conta com jardim suspenso com vegetação nativa da Mata Atlântica

Local é considerado um refúgio no centro de Florianópolis

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Um refúgio no centro de Florianópolis. Esta é a proposta do novo projeto da Dimas Construções, o D/Yard, localizado numa das áreas mais nobres e tradicionais da Capital. Integrado à natureza, o empreendimento foi pensado como um espaço de descompressão em meio à rotina frenética e hiperconectada desses tempos: tem jardins verticais na fachada e um rooftop – com jardim suspenso com plantas nativas e vista para a Baía Norte.

O projeto paisagístico é assinado pelo botânico e paisagista Ricardo Cardim, mestre em Botânica pela Universidade de São Paulo e diretor da Cardim Arquitetura Paisagística. A cobertura idealizada por ele traz uma vegetação densa, com árvores e grandes arbustos, todos nativos da Mata Atlântica.

Publicidade

“Não é somente bonita e agradável: vai trazer um conforto térmico e também é funcional. Esse tipo de projeto ajuda a melhorar os ecossistemas e a cidade. É o que a gente chama de paisagismo multifuncional do século XXI, que vem sendo feito em grandes centros de inovação, mas ainda é raro no Brasil”, diz o paisagista.

O edifício terá onze andares, com seis unidades por andar. A metragem varia entre 90 e 147 metros quadrados de área útil com opção para 1, 2  e 3 dormitórios.  O preço médio de um apartamento de 147 m² no 7º andar, por exemplo, é na ordem de R$ 2,9 milhões.

 

Conversa com o paisagista

Cardim participa, neste sábado, 12/3, às 15h30, do talk show gratuito “Paisagismo: o luxo está na brasilidade!”, no Complexo Oswaldo Cabral, na Rua Esteves Júnior, próximo ao empreendimento.

As inscrições para a conversa, que será comandada pela jornalista Simone Bobsin, são gratuitas e podem ser feitas pelo Sympla. O evento terá ainda uma série de atividades abertas à comunidade, como aula de Yoga com Sabrina Baby, teatro infantil e mais.

Valorização de espécies nativas

“As cidades cresceram muito rápido, não foram planejadas e não consideraram a biodiversidade nativa. E ainda existe esse pensamento antiquado de que apenas o importado é chique. O trabalho do século XXI é desconstruir essas cidades e reformá-las no sentido de harmonizar a vida moderna, com todas as tecnologias e confortos, com a natureza incrível que nós herdamos no território”, defende Cardim.

Atmosfera urbana do empreendimento

Os detalhes chamam atenção no projeto do D/Yard. A piscina, por exemplo, tem formato orgânico, como um lago estilizado, trazendo uma atmosfera bucólica.

“A gente quis filtrar a atmosfera urbana do empreendimento. Por isso, envolvemos o prédio em verde, para que o vento se tornasse brisa. O pedestre, ao entrar no prédio, passa por um espelho d´água que faz a transição entre o agito urbano e a tranquilidade, de forma que podemos perceber a mudança de atmosfera já na entrada.

A ideia era criar uma ilha de tranquilidade”, diz o arquiteto Felipe Schneider, da Schneider Martins, responsável pelo conceito do empreendimento.

A fachada tem tijolinhos à vista – numa referência a residências térreas. A paleta de cores traz aconchego e uma sofisticação minimalista. Já o mobiliário leva assinatura de talentos da nova geração do design contemporâneo, como o gaúcho Guilherme Wentz, premiado no Museu da Casa Brasileira e iF Design Award.

Certificação Fitwel

Os apartamentos são senior friendly e podem ser adaptados para pessoas com mobilidade reduzida, sem custo adicional para o morador. Além disso, o empreendimento também tem avaliação máxima na Certificação Fitwel, uma das mais importantes e respeitadas do mundo quando se fala em construções voltadas para o bem-estar.

Daniel Dimas, Diretor da Dimas Construções diz que, “Nesse empreendimento levamos ao extremo a preocupação em oferecer aos moradores soluções associadas à qualidade de vida. O projeto incorpora conceitos contemporâneos da arquitetura, como o da biofilia (que pode ser traduzido como o amor pelas coisas vivas), que reflete a necessidade do homem manter proximidade com a natureza mesmo em um espaço urbano”, diz Daniel Dimas, Diretor da Dimas Construções.

Publicidade
Publicidade