Publicidade
2023 é um dos melhores anos para bens de consumo massivo na América Latina
14 de Dezembro de 2023

2023 é um dos melhores anos para bens de consumo massivo na América Latina

Estudo da Kantar aponta que sustentabilidade é elemento importante no crescimento da cesta

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

O terceiro trimestre de 2023 marca a retomada da prosperidade para bens de consumo massivo na América Latina.

Na prática, com o melhor ambiente econômico e a inflação mais baixa, houve uma recuperação do poder de compra, que se refletiu diretamente na quantidade do que as famílias puderam adquirir.

Publicidade

É o que aponta o levantamento Consumer Insights Latam 2023, produzido pela Kantar, líder em dados, insights e consultoria. O estudo acompanha o comportamento do usuário de maneira contínua, trazendo uma visão em 360 graus dos bens de consumo massivo – alimentos, bebidas, artigos de limpeza e itens de higiene e beleza pessoal.

Omnicanalidade

As ferramentas que permitiram ao latino-americano traduzir esse bom momento econômico em um maior consumo de bens massivos continuam as mesmas: a omnicanalidade, termo para o aumento de número de canais de compra visitados, e a fragmentação das compras, agora impulsionadas pelo aumento da frequência.

Marcela Botana, Market Development Director Latam, da Kantar explica que, “Não é porque a economia está melhor que os consumidores desistiram das estratégias que incorporaram durante a situação emergencial. Eles as incorporam nos seus hábitos, mantendo, por exemplo, um número de canais visitados 20% superior ao pré-pandemia”.

Outra prova de que o consumidor está incorporando hábitos e fazendo compras mais inteligentes é que os canais com preços mais atrativos, como Discounters e Atacadistas, continuam a ser os que mais aumentam a relevância em termos de ocasiões de compra (alta de 10% no terceiro trimestre de 2023). Isso ocorre porque os formatos mais baratos permitem continuar a expandir o consumo enquanto o poder de compra não se recupera completamente.

Esse bom momento impacta o consumo das categorias de compra, já que as famílias aumentam quanto compram. Por outro lado, nessa fragmentação das compras há mais chances de levar mais marcas, resultando na tendência de menor lealdade. Com isso, ganhar penetração continua a ser um desafio. No terceiro trimestre de 2023, menos da metade das companhias na América Latina (47%) conseguiram fazê-lo.

Ganhar penetração, entretanto, é considerada a melhor maneira de crescer como marca dentro da cesta. Isso porque oito em cada 10 empresas que aumentaram em volume o fizeram a partir desse conceito.

Valores dos consumidores

Nesse sentido, conectar com os valores do consumidor é uma oportunidade de crescimento. A principal tendência em alta na América Latina é a preocupação com o meio ambiente. Entre 2019 e 2023, cresceu a quantidade de domicílios Eco-Actives (comprometidos com a sustentabilidade) e Eco-Considerers (preocupados com a questão, mas enfrentam barreiras para agir de maneira mais sustentável). Eles já representam 55% das famílias.

“A expectativa é que os países da América Latina continuem no caminho da recuperação do consumo em 2024. Brasil, México e Peru vêm ano a ano administrando crescimento. Em uma condição não tão confortável no longo prazo, Bolívia, América Central e Equador vêm conseguindo se recuperar dos desafios. Os destaques vão para Chile e Colômbia, que partiram de volumes negativos e já estão muito próximos de uma situação positiva do consumo no último ano em movimento. Argentina segue sendo um caso único, com uma situação econômica que continua complicada”, conclui Marcela.

Foto:Unsplash

Publicidade
Publicidade