Publicidade
Nubank pode fechar as portas caso Banco Central aprove medida que muda prazo de pagamento de vendas aos lojistas
19 de Dezembro de 2016

Nubank pode fechar as portas caso Banco Central aprove medida que muda prazo de pagamento de vendas aos lojistas

Publicidade

O Nubank, um dor emissores de cartão de crédito que mais cresce no Brasil, pode fechar as portas caso o Banco Central confirme nesta terça-feira (20) uma mudança drástica no prazo de pagamento de vendas aos lojistas.

De acordo com o Exame, a mudança, oficializada pelo presidente Michel Temer e pelo Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, propõe reduzir de 30 para 2 dias o prazo. Atualmente, quando o consumidor paga com o cartão o lojista leva 30 dias para receber – prazo maior que em outros países, como os Estados Unidos, onde a demora é de dois dias. Para o governo, o encurtamento do processo vai favorecer o varejista.

Publicidade

A diferença, segundo o site, é que o Nubank e os emissores menores não têm a mesma capacidade de financiamento de outros bancos. “Atualmente, um cliente que usa o cartão pagará a fatura, em média, 26 dias depois. Assim, o Nubank, como emissor, receberá o dinheiro apenas após este prazo”, explicou Cristina Junqueira, cofundadora do Nubank. “Com o dinheiro, pagamos o adquirente (operador do cartão), que leva mais dois ou três dias para pagar o varejista. Isso dá o prazo de 30 dias”, destacou.

Segundo ela, mesmo que o prazo fosse reduzido para 15 dias, e não dois, o Nubank não teria como sobreviver. “Nós já fizemos algumas simulações. Com dois dias é apagar a luz e fechar a porta. Com 15 dias, a gente precisaria de quase R$ 1 bilhão de capital adicional do dia para a noite.”

Publicidade
Publicidade