Publicidade
Lugar de Escuta: podcast dá enfoque à pluralidade
18 de Janeiro de 2024

Lugar de Escuta: podcast dá enfoque à pluralidade

Episódio de estreia é com a filósofa e escritora Djamila Ribeiro

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

É lançado no YouTube e em plataformas de áudio como Spotify e Deezer, o podcast Lugar de Escuta, roteirizado e apresentado pela jornalista Adriana Carranca e produzido pela Júpiter Conteúdo, com direção de Jeff Peixoto e Thais Roque. A entrevistada do primeiro episódio é a filósofa e escritora Djamila Ribeiro.

A iniciativa traz vozes plurais que estão na linha de frente das transformações sociais, culturais e políticas contemporâneas mais importantes para a construção de uma sociedade realmente democrática e melhor para todos. São lideranças novas ou já estabelecidas, representantes de grupos historicamente silenciados, que desafiam o pensamento dominante, fogem do senso comum, somam ao conhecimento universal saberes, perspectivas, experiências e vivências diversas, propõem novos caminhos e, assim, ampliam os nossos horizontes e possibilidades.

Publicidade

A entrevistada do programa de estreia, Djamila Ribeiro, inspirou o projeto. Foi a partir da leitura do livro dela, Lugar de Fala, que Adriana começou a refletir sobre a importância de nos colocarmos num lugar de escuta. “O lugar de fala é a posição na sociedade a partir da qual nós falamos. Uma pessoa branca pode se tornar uma especialista em racismo, mas fala de um lugar que não é e nunca será o de uma pessoa negra. Primeiro, porque o racismo impõe valores distintos à fala de uma e de outra e determina tanto o alcance dessas vozes quanto a forma como a sociedade reage a elas. Depois, porque uma pessoa branca não tem e jamais terá a vivência do racismo, portanto ela fala a partir de um ponto de vista e de uma experiência diferente. Já o lugar de escuta é uma escolha ativa que requer essa compreensão. Eu escolho quem escutar e quanto assimilar dessa escuta”, completa Adriana.

Lugar de Escuta surgiu da percepção de Adriana de que estamos perdendo a capacidade de escutar, tão mergulhados que estamos no modo de vida contemporâneo. “Nós ‘ouvimos’ o tempo todo, o que é uma habilidade fisiológica sensorial. Já ‘escutar’ requer a intenção consciente de ouvir com atenção, aceitar e absorver a informação, processá-la internamente e compreender o que está ouvindo. Escutar é uma escolha, ouvir, não”, diz Adriana.

O objetivo do projeto é promover o exercício transformador da escuta ativa. “Com o podcast, eu gostaria de convidar as pessoas a desligar por um momento os ruídos da sociedade contemporânea – da poluição sonora das ruas à desinformação e aos discursos de ódio das redes digitais – para ouvir atentamente as vozes capazes de somar conhecimento, compartilhar vivências, ampliar nossos horizontes e transformar a sociedade e o mundo em um lugar melhor para todos”, explica ela.

Entre os entrevistados da primeira temporada, estão o padre Júlio Lancellotti; o jornalista e criminólogo Bruno Paes Manso, um dos maiores estudiosos da violência endêmica e do crime organizado no Brasil; a afroantropóloga Izabel Accioly; o jornalista e ativista do Complexo do Alemão Rene Silva, fundador do Voz das Comunidades; e a musicista trans, baiana e de origem judaica Assucena, duas vezes indicada ao Grammy Latino e a advogada Marinete da Silva, mãe de Marielle Franco.

Assista ao primeiro episódio, com Djamila Ribeiro:

 Ficha técnica:
Direção: Jeff Peixoto e Thais Roque
Assistência de direção: Pedro Maron
Direção de fotografia: Michel Souza
Produção: Marina Calvão
Edição: Alexandre Nakahara e Gustavo Forti Leitão
Apresentação e roteiro: Adriana Carranca
Direção criativa: Ana Vizeu
Motion design: João Vitor Magalhães
Planejamento estratégico: Luana Viana
Gestão de projetos: Denise Rodrigues e Lays Coelho
Inteligência de dados: Ricardo Somera
Realização: Júpiter Conteúdo

Imagem de capa: Divulgação

Publicidade
Publicidade