Publicidade
Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul entra em fase final de pesquisas
24 de Agosto de 2023

Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul entra em fase final de pesquisas

A roteirização é uma estratégia para o desenvolvimento turístico desses municípios que integram o geoparque

Publicidade

O Projeto de Desenvolvimento Turístico do Geoparque Mundial da Unesco – Caminhos dos Cânions do Sul passa agora pela fase de pesquisas.

Profissionais contratados pelo Sebrae/SC aplicam os questionários a moradores e turistas dos sete municípios envolvidos. O objetivo é levantar dados que permitam monitorar e qualificar as estratégias de promover o turismo na região.

Publicidade

Juliana Ghizzo, gestora de projetos da Regional Sul do Sebrae/SC explica que, “A gente está concluindo a fase de roteirização, que envolve o planejamento e a preparação para o mercado. Paralelamente a isso, estamos começando as pesquisas, nas quais vamos buscar informações sobre a nossa oferta e demanda turística e a notoriedade do território”.

Notoriedade, demanda e inventário
Três pesquisas estão ocorrendo simultaneamente: de notoriedade, demanda e inventário. A primeira busca compreender a percepção das pessoas que residem no Geoparque, entender seu ponto de vista e a importância do ponto turístico em suas vidas.

O objetivo da demanda é compreender quem está indo para lá e por quê; quais turistas estão escolhendo esse destino. Por fim, o inventário turístico, em que é possível analisar o que há de disponível no território e que possa ser desenvolvido para o turismo. Trata-se de um levantamento da oferta de espaço.

“Vamos compreender corretamente as informações sobre nossos turistas e parceiros comerciais e, com base nisso, traçar as novas ações do projeto. Com o planejamento pronto, que também será finalizado em outubro, iniciaremos as capacitações, as ações de marketing e o desenvolvimento das empresas”, frisa Juliana.

Finalização da pesquisa
O prazo final de entrega das pesquisas é para 30/9. Após, será realizada uma análise dos dados colhidos e a distribuição dos relatórios para os municípios ainda em outubro. As informações também devem ser usadas no desenvolvimento da Georrota.

Os próximos passos do projeto – que deve ser finalizado até 2025 – serão formar grupos de trabalho específicos para cada setor do geoparque e, por fim, na última fase, aplicar a roteirização no geral.

Alocação de recursos
As cidades de Morro Grande, Jacinto Machado, Timbé do Sul e Praia Grande, no Extremo Sul catarinense, além de Torres, Mampituba e Cambará, no Litoral Norte e Serra gaúcha, participam da iniciativa. A roteirização é uma estratégia para o desenvolvimento turístico desses municípios que integram o geoparque.

Aproximadamente R$ 3,2 milhões serão investidos no projeto de Praia Grande. Além do Sebrae/SC, que é responsável pela maior parte da entrega, às prefeituras de cada município envolvido e o setor privado também auxiliam na alocação de recursos.

Foto:Unsplash

Publicidade
Publicidade