Escala Metra passa por rebrandining e assume o nome Escala Metra Nitrocomunicação

10 de Junho de 2021

Agências de publicidade buscam ampliar formatos e modelos de trabalho

Foto:Camila Carniel

 

Um estudo, produzido pela Associação Brasileira de Anunciantes (ABA), em conjunto com as demais Associações Nacionais de Anunciantes da América Latina, aponta que 81% das empresas acreditam que este é o momento certo para repensar estratégias de marketing.

Eduardo Zilinsky, publicitário, empresário e diretor da Escala Metra, vinha desenhando um novo modelo de negócios nos últimos 5 anos e agora passou a apresentar para o mercado seu novo modelo de trabalho. “O modelo de negócios tem mudado também na publicidade. Precisamos oferecer soluções mais completas para o cliente. Paramos de pensar o cliente apenas na vertente de comunicação e passamos a apresentar soluções estratégicas e rentáveis”, aponta Eduardo. O home office foi adotado como uma prática para quase todas as equipes. Em Blumenau estamos inaugurando no segundo semestre uma nova sede, no estilo bureau, um espaço criativo e tecnológico. Deixamos a nossa tradicional estrutura para focar na produtividade e na qualidade de trabalho também para nosso time”, destaca.

Pensando exatamente nessa busca por eficiência é que a Escala Metra passou por rebrandining e passa a assumir o nome Escala Metra Nitrocomunicação. Com esse novo momento, a empresa também inaugura sua primeira filial no litoral norte, na Praia Brava, em Itajaí. “Essa é uma necessidade frente a ampliação dos nossos negócios. Temos clientes cada vez mais descentralizados e nos últimos 12 meses alcançamos novas praças e sentimos essa necessidade”, comenta Eduardo.

Além desse novo modo de operar frente aos clientes, o mercado vem pedindo novas estratégias para otimizar custos. “Pela expertise de análise macroeconômica e pela integração com as áreas estratégicas das empresas, nos tornamos parte dos negócios dos clientes, gerando negócios, montando um novo conceito de estratégia de mercado”, explica o publicitário. Nesse momento, Eduardo também aproveitou as mudanças para integrar todas as suas operações, com a fusão de suas empresas, com o on, o off e o digital totalmente unificados. “É preciso se adequar às novas rotinas, modalidades de trabalho, assim como a experiência do cliente. Tudo isso, sem pensar na nossa sustentabilidade financeira e mercadológica”, pondera Eduardo.

Essa é uma tendência não apenas no mercado de comunicação, mas sim de toda estrutura organizacional que buscou potenciais mercados nesse cenário otimizado pela pandemia.
 

Notícias Relacionadas