Publicidade
Brasileiro é curioso mesmo!
01 de Abril de 2012

Brasileiro é curioso mesmo!

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook
Por Cristiano Chaussard 01 de Abril de 2012 | Atualizado 03 de Dezembro de 2021

 

Sua curiosidade te trouxe a este artigo? Então saiba que curiosidade do brasileiro está fazendo com que sua desconfiança com o e-commerce diminua gradativamente.
 
Ano passado o relatório Web Shoppers, encomendado e executado pelo E-bit, revelou um aumento muito expressivo no número de consumidores online, agora somos 23 milhões. 
 
No final de 2010 contabilizamos um faturamento de R$ 14,8 bilhões, passando a R$ 20 bilhões em 2011, um aumento financeiro de 30%.
 
Na semana passada saiu uma pesquisa mundial mostrando que:
  • 91% dos consumidores brasileiros com acesso à internet fazem compras online.
  • 98% dos alemães, ingleses e sul-coreanos conectados, também compram na web.
  • 96% dos japoneses.
  • 82% dos canadenses.
  • e for fim, a média mundial é de 93%.
Os números impressionam até a mim que vejo avanços no e-commerce constantemente.
 
Outro dado interessante é que a medida em que o consumidor rompe a barreira da primeira compra, o preço está deixando de ser o fator mais relevante, passando à maior valorização da comodidade. De acordo com o relatório da pesquisa intitulada “Pitney Bowes Global Online Shopping Survey”, divulgada em outubro de 2011.:
  • No Brasil, 59% dos entrevistados declara que o preço baixo é o maior motivador de compra.
  • Por outro lado a praticidade e agilidade no processo de pagamento está crescendo substancialmente e atinge os 56% dos entrevistados 

O relatório ainda aponta que as preferências do consumidor variam de país a país:

Publicidade
  • Na Alemanha e Coréia do Sul, os consumidores consideram mais importante facilidade e rapidez do processo de check-out on-line (ambos 59%). 
  • O comportamento inverte no Japão sobre check-out on-line, onde 11% consideram isso fundamental.
  • A capacidade de rastrear uma ordem de compra é considerada importante por 37% dos franceses contra 5% dos japoneses.
Toda vez que dou uma aula na pós-graduação ou uma palestra pergunto aos alunos/participantes se eles confiam em digitar seu cartão nas lojas virtuais. Os números da minha pequena pesquisa sempre batem com os das pesquisas em maior escala:
  • Quase 100% não confia em disponibilizar os dados do seu cartão.
  • Aproximadamente 90% disponibiliza seus dados mesmo assim.
  • Aproximadamente 95% já compraram online.
  • Aproximadamente 5% tem ou administra uma loja online.
Se 90% dos meus alunos disponibilizam seus dados mesmo não confiando na segurança do procedimento, só tenho uma conclusão a considerar: o brasileiro é curioso mesmo!

Publicidade
Publicidade