Publicidade
ABRADi. 15 Anos. Eleições. Chapa impugnada. Dissidências. Nova Associação…
13 de Julho de 2022

ABRADi. 15 Anos. Eleições. Chapa impugnada. Dissidências. Nova Associação…

Associação Brasileira dos Agentes Digitais passa por fase desafiadora

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Ninguém ignora a importância do Associativismo e os ganhos dele para todos. Mas, quando o espírito dele se depara com divergências de interesses e propósitos, todos perdem. Parece que isso é o que está acontecendo com a ABRADi, uma entidade fundada há 15 anos que se fortaleceu no período aglutinando perto de 500 associados de todo o Brasil e que agora enfrenta uma ruptura. O AcontecendoAqui vem acompanhando esse assunto há algumas semanas e reuniu para o entendimento de seus leitores nesta publicação, informações oficiais obtidas junto à ABRADi, à ANAMID – nova entidade a ser lançada no dia 15 de setembro – e ao escritório de advocacia da Associação Brasileira dos Agentes Digitais. Acompanhe:

OS FATOS

Em recente processo para “Novas Eleições” a diretoria vigente lançou sua reeleição e se deparou com uma chapa liderada por um de seus vice-presidentes. A partir daí criou-se uma concorrência entre os dois lados: Chapa ABRADi Brasil x Chapa Nova ABRADi. A Chapa ABRADi Brasil concorria com sua atual presidente, Carolina Morales, e a Chapa Nova ABRADi com o nome de Daltro Martins, como presidente e Rodrigo Neves, Presidente da ABRADi São Paulo como seu vice-presidente. O que se verificou na sequência foi uma sucessão de ações que culminaram com a impugnação da Chapa Nova ABRADi e o não reconhecimento do resultado da votação na qual ela fora vencedora com larga margem. Essas decisões foram tomadas pelos membros do Conselho de Administração da ABRADi com base no parecer jurídico de que havia irregularidades naquela chapa contrariando orientação contida nas normas estatutárias da entidade.

Publicidade

 

NOVA ENTIDADE

Diante da definição do Conselho de Administração, acima referida, membros da Chapa Nova ABRADi decidiram fundar uma nova associação voltada para os interesses do setor digital. Inicialmente foi lançado um site com informações sobre adesão e objetivos da entidade e definida a data de 15 de setembro de 2022 para seu lançamento oficial. Leia mais adiante, entrevista que fizemos com Rodrigo Neves, presidente da ANAMID.

 

POSIÇÃO DA ABRADI

Na última sexta-feira, 8/7, o AcontecendoAqui participou de uma call com 5 diretores da Abradi e sua presidente, Carolina Morales para conhecer a versão da entidade sobre o assunto. Com ampla exposição, Carolina discorreu por mais de 30 minutos sobre o ocorrido, detalhando as etapas do processo das eleições e, enfatizando sua contrariedade à forma como reagiu a chapa opositora e sua decisão de fundar uma entidade concorrente. “Poderiam ter compreendido e respeitado as normas estatutárias da entidade e continuarem na Abradi. Mas não quiseram. Sem problemas fundarem outra Associação, mas que façam de maneira construtiva para o setor”, ponderou Carolina Morales.

DECLARAÇÃO DA ABRADi ENVIADA AO ACONTECENDOAQUI

A democracia sempre foi e será respeitada como base fundamental da ABRADi, uma instituição sólida que trabalha com todas as demais entidades do mercado de comunicação. Com mais de 15 anos de história, atuando com alinhamentos estratégicos nos ambientes público e privado, afirmamos que o processo eleitoral deste ano foi um exercício de total democracia, realizado com transparência.

O procedimento deu espaço para argumentos de ambos os lados envolvidos e coube à Diretoria Nacional e ao Conselho de Administração garantir o exercício do conjunto de regras preconizadas no Estatuto e Regimento Interno, em respeito à organização e aos associados democraticamente.

Gerido por um escritório jurídico, seguimos todas as etapas previstas e, como resultado, tivemos a chapa Nova ABRADi considerada nula. Todas as provas e documentos estão disponíveis na página do processo no site da instituição. Para compreender todo o procedimento eleitoral, compartilhamos abaixo dois posicionamentos formais da entidade, como também a página exclusiva das eleições, onde cada etapa pode ser conferida.

Eleições 2022 na ABRADi – Regionais e Nacional – 30 de março de 2022

Posicionamento Oficial – Eleições ABRADi – 9 de junho de 2022

Carta Aberta aos Associados – 22 de junho de 2022

Vale ressaltar que ambas as chapas tiveram direito de ampla defesa e ao contraditório, e que muitas informações que estão circulando não possuem embasamento ou compromisso com a verdade. Além disso, os associados da entidade têm recebido uma atenção especial sobre esse assunto nos mais diversos canais de comunicação.

Seguimos, portanto, com o nosso trabalho, buscando atuar dentro do propósito de defender os interesses das empresas e pessoas desenvolvedoras de serviços digitais no Brasil com clareza, transparência e justiça, cujo principal objetivo é ajudar no desenvolvimento do setor.


PARECER JURÍDICO

O AcontecendoAqui conversou com o Dr. Emerson Franco de Menezes, sócio fundador do escritório Franco de Menezes Advogados, que atende a Abradi nesses assuntos. Perguntamos a ele sobre a participação de seu escritório nesse processo das eleições e qual sua opinião para uma boa solução. Confira o que ele disse:
“De fato, analisamos e emitimos parecer a respeito de um pedido de impugnação formulado pela Chapa ABRADi Brasil (situação) em desfavor da Chapa Nova ABRADi (oposição).
Ao finalizarmos a análise, emitimos parecer pela nulidade do registro da chapa de oposição e, por consequência, nulidade de todos os votos a ela direcionados. A Chapa Nova Abradi teve o seu registro anulado por infração a dispositivos do estatuto da ABRADi.

Importante registrar que o processamento da impugnação foi feito com absoluta isenção e imparcialidade e seguindo as normas estatutárias da entidade. A atual diretoria da ABRADi se declarou impedida e não participou do julgamento da impugnação, obviamente porque possuía interesse direto no resultado do processo de impugnação da chapa adversária.

Assim, o julgamento coube, por força do Estatuto da ABRADi, aos membros do Conselho de Administração que não estavam diretamente vinculados a nenhuma chapa e, consequentemente, não possuíam interesse no resultado do julgamento.

O nosso parecer concluiu pela nulidade do registro da chapa oposicionista, em razão de vícios identificados e opinamos pela adoção de providências administrativas como revisão cadastral dos associados e, após, realização de nova eleição.

Os julgadores incumbidos de analisar e decidir, por maioria, acolheram parcialmente o parecer, decidindo pela nulidade do registro da chapa que apresentou vícios, porém não acolheu a sugestão de realização de novas eleições, o que é legítimo e tem base legal para tanto e reflete o posicionamento de cada um.
Não nos cabe discutir o mérito da decisão, mas respeitá-lo, pois, repita-se, não há qualquer vício ou mácula na decisão que seguiu rigorosamente o estatuto da ABRADi e é compreensível que uma parcela de associados tenha saído insatisfeita com o resultado, eis que manifestaram simpatia e apoio à chapa que teve o seu registro anulado e toda manifestação de opinião reflete um posicionamento individual e precisa ser respeitado, desde que não extrapole os limites legais e não ofenda direitos de terceiros.”


ENTREVISTA COM RODRIGO NEVES – PRESIDENTE DA ANAMID

Qual ou quais as principais motivações para não ter havido uma composição na ABRADi e a decisão por uma nova entidade?

A ABRADi não estava preparada para ter eleições com mais de uma chapa. O Estatuto gerava mais de um tipo de interpretação sobre alguns assuntos.
Até o julgamento final do processo de Eleições Nacionais, tanto a nossa chapa quanto diversos associados questionaram a gestão atual sobre como o processo estava sendo conduzido. De forma oficial, solicitamos que fosse contratado um conselho arbitral externo para o julgamento por não achar correto que a gestão atual, que era parte interessada no processo, julgasse ou gerenciasse todo o processo, além do que, todo associado teve seu voto público, até mesmo os membros do Conselho.
O escritório jurídico contratado para auxiliar no processo de eleição sugeriu a convocação de novas eleições. Mesmo assim, o desfecho foi que três pessoas decidiram por 3 votos a 2 contra a vontade de quase 300 associados que participaram do processo eleitoral.
No dia seguinte do julgamento, quando foi declarada a chapa ABRADi Brasil, chapa da atual gestão, como vencedora, o nível de insatisfação em grupos de e-mail e WhatsApp foi visível e começou um processo de pedido de desfiliação.
Esclareço que o motivo da criação da chapa foi por ter ideias diferentes sobre como conduzir a gestão da ABRADi. Porém, se perdêssemos, entenderíamos que faria parte do processo democrático e seguiríamos todos associados e cobrando ações da gestão eleita. Porém, o que acabou culminando pela decisão de se afastar da ABRADi foi o fato de não se fazer valer a vontade do associado: 65% dos associados participaram do processo eleitoral. Destes, 71% escolheram por uma mudança que não foi atendida.

 

Os Associados não têm força para realizar uma nova eleição visando manter o ecossistema forte?

Este é um ponto interessante. Como tivemos mais de 180 votos, em tese este grupo poderia se mobilizar para convocar uma assembleia extraordinária (1/5 dos associados tem este poder) e pedir novas eleições.
Infelizmente a indignação foi tanta que muitos se desassociaram quase que imediatamente após o resultado das eleições, até porque começou a haver censuras nos grupos de whats e e-mails da entidade com associados sendo simplesmente excluídos dos grupos sem prévio aviso se falassem do ocorrido ou trouxerem notícias que saíram no mercado.
Um processo de moderação de e-mails acabou ocorrendo e meus e-mails, mesmo sendo presidente da principal regional da ABRADi, só chegavam ao associado se alguém da gestão nacional liberasse para ser entregue.
Não temos os números exatos, mas acreditamos que mais de 100 associados, praticamente 25% da base total, já pediram desfiliação até a data de hoje. Muitas das lideranças saíram, mas acreditamos que as lideranças que ficaram poderiam se mobilizar e capitanear um processo de convocação de novas eleições, seria complicado e difícil, mas seria o correto. Porém, como dito anteriormente, mesmo se agora houver novas eleições, elas poderiam não refletir o mesmo cenário, visto que não existe mais o mesmo quadro de associados.

 

Não tendo as duas questões acima atendidas, não achas que haverá perda e prejuízos para empresários do setor?

Sem dúvida as perdas são e serão grandes. Em dois anos como presidente consegui dobrar o número de associados mesmo com desfiliações que ocorreram ao longo do tempo por questões financeiras devido ao impacto da pandemia. Mas, principalmente, foi possível engajá-los a participar proativamente da Associação, colaborando com o mercado, e, consequente, melhorando-o. Ver este volume de saída da Entidade foi algo realmente frustrante.

 

Quais são os objetivos da ANAMID e os benefícios oferecidos aos seus associados?

A ANAMID tem por objetivo criar um ambiente definitivamente democrático e que prioriza as necessidades reais do mercado e da indústria digital. Ela é fruto deste movimento de agências e empresas de várias regiões do país que querem trabalhar ativamente para fortalecer o segmento, com base em pilares como colaboração, conhecimento, diversidade e inovação.
A ANAMID quer representar o mercado e indústria digital tanto no âmbito privado como no público. Queremos que empresas e profissionais tenham voz na entidade e sejam representados de forma democrática.
Vamos trabalhar para trazer conteúdo relevante, proporcionar networking com o mercado e grandes players, troca de experiências, abrir oportunidades de negócios e apoiar os associados no seu crescimento.
No âmbito público, queremos trabalhar para regulamentar a indústria digital, apoiar iniciativas que desonerem financeiramente os associados, ter regras e critérios mais justos em licitações com modelos de editais e que os preços sejam compatíveis com o mercado.

 

No que se aproxima e no que se diferencia dos objetivos e benefícios da ABRADi?

A ANAMID contempla empresas e profissionais do mercado digital, a ABRADi associa apenas empresas. Em tese as duas atuam no mesmo mercado, mas a ANAMID se propõe a ser mais diversa e inclusiva em relação aos associados, dando mais voz a eles e tratando de temas genuinamente do desejo desta base.

 

Como está estruturada a Diretoria da ANAMID? Cargos e respectivas empresas de seus titulares?

Presidente, Rodrigo Neves, VitaminaWeb

Vice-Presidentes:
• Vinicius Melo, D2B Agency
• Daltro Martins, PillBiz
• Silvio Soledade, PlanoGestão e também presidente da APP Brasil
Demais diretores e representantes regionais serão divulgados em momento oportuno.

 

Comentários livres.
Foco, Energia e Propósito trarão os resultados que queremos para o nosso mercado, indústria e membros da AnaMid. E isto, pode ter certeza, temos de sobra.

Publicidade
Publicidade