Coluna Ana Lavratti: LIVEs pra Você Mulher Ainda Melhor

30 de Junho de 2020

Série de LIVEs traz mulheres que desafiam o tempo e a Quarentena, mais produtivas do que nunca

Miriam Almeida Pinheiro, da Procave, é a primeira convidada da série de LIVEs

 

Na semana em que Malala Yousafzai se formou em Oxford, no curso de Filosofia, Política e Economia,  tendo como requisito enfrentar o Talibã e a opressão feminina constituída no Paquistão, estrelando o currículo com um precoce Prêmio Nobel, fico aqui me questionando “o que torna uma Mulher Melhor?”

 

O estudo?? Ou a atitude por trás, que a levou a estudar? Querer saber mais e mais.

Nas entrevistas que venho fazendo, com as 30 personagens criteriosamente selecionadas para o livro “Você Mulher Ainda Melhor”, não faltam exemplos de mulheres que adiaram a formação. Em prol da prole, do amor, do sustento, abdicaram da ponte entre colégio e graduação, sem permitir que o sacrifício maculasse o sonho do aprendizado. E assim que possível, com os filhos crescidos, com salário na conta, então se deram conta do desejo de estudar.

 

Foi assim com Annalisa Blando Dal Zotto, Silvia Folster Marafon e Amélia Pinheiro Bellé, administradoras. Com Lorena Sotopietra Nolasco, psicopedagoga. Com Giovanna Nucci, fotógrafa. Primeiro conjugaram o trabalho com os filhos, pra só depois “cuidar” de si. Pra Miriam Almeida Pinheiro, que se graduou em Psicologia depois de erguer um império, o diploma veio aplaudido pelas três filhas adultas, com oportunidades tão distintas daquelas da mãe, que aos 8 anos percorria o bairro, vendendo picolé, aquecendo a ilusão de conhecer o cinema numa infância de dilemas.

 

Se estudar não depende de idade, mas sim de vontade, o que dizer da maternidade? Tem tempo certo pra florescer? Ou é o “sim” suficiente pra jovem mãe vencer?

 

Mãe aos 16 anos, Silvia Folster Marafon repete o amor extremo agora como avó. Com dois enteados, a quem dedica amor de mãe, vive o privilégio de ser avó do Lorenzo, antes mesmo dos 50 anos. Mãe aos 18 anos, avó com pouco mais de 50, Giovanna Nucci espera por dois netinhos na fazenda com aura de ninho, onde protege da pandemia o filho Marcello e as filhas gestantes, Monique e Michelle. Mãe aos 18 anos, enquanto empreendia com o marido a aquisição da imobiliária que prosperou como Procave, Miriam administra com desembaraço o largo espaço entre os netos, que hoje moram na Europa.

 

Se destilar amor de mãe não depende de cronologia, o que dizer do casamento, do milagre da convergência, quando, um dia, àquele encontro, todo o destino se renderia?

 

Aprovada no vestibular pra História e pra Direito, Annalisa Blando Dal Zotto priorizou o amor aos 17 anos, acompanhando o marido Renan na elite do vôlei na Itália. Pra Ana Cristina Ferro Blasi, Betina Giehl Zanetti Ramos e Regiane Baumgartner, os casamentos que perduram remetem à faculdade, quando a paixão se infiltrava sem sequer pedir passagem. Pra Regina Celi Sabbi Essenburg, Maria Clara Kaschny Schneider e Miriam Almeida Pinheiro, o casamento precede a maioridade, submisso ao aval dos pais. Radiante aos 60 anos, Miriam comemora a plenitude do “sim”, proclamado ao primeiro amor dois dias depois dos 18 anos.

 

Com estes pequenos exemplos, de que somos nós os patrões do tempo, responsáveis por gerir o tempo de amar, casar, estudar, procriar e prosperar, percebo que cada decisão abriga um mundo inteiro por trás. Apesar dos acasos, à parte os ocasos, independente da ordem que escolhem, estudar pra prosperar, prosperar pra estudar, amar e casar, casar e separar, separar e se encontrar, algumas Mulheres, todos os dias, se dedicam a ser Melhor. E é isso que mais aflora nas mulheres que entrevisto: a essência realizadora, de quem não precisa de mesa posta pra cuidar da sua horta – acreditar que é possível plantar, regar, ver vicejar e brotar, mesmo quando a Quarentena insiste em nos minguar.

 

Por isso, paralelamente à produção literária, antecipo estes exemplos, agora pelo Instagram. Nesta quarta-feira, 1º de julho, dou início à série de LIVEs com as personagens do livro “Você Mulher Ainda Melhor. A estreia é com Miriam Almeida Pinheiro, sócia-diretora da construtora Procave, poeta e terapeuta, mãe e vó, consenso de admiração entre todos que a conhecem. Depois as LIVEs se repetem todas as quartas-feiras, sempre às 20h, pelo Instagram @AnaLavratti. Sinta-se convidado pra seguir, interagir e se inspirar com as minhas convidadas de julho:

 

01.07 – Miriam Almeida Pinheiro

08.07 – Deborah Viegas

15.07 – Amélia Pinheiro Bellé

22.07 – Soraia Zonta

29.07 – Lorena Nolasco.

 

 

banner em tons de cinza e azul com a foto de duas mulheres lado a lado
LIVE com Miriam Almeida Pinheiro, nesta quarta

Ana Lavratti

  • imagem de lavratti
    Ana Lavratti é Jornalista e Mestra pela UFSC com pesquisa sobre a Notícia em Meio Digital Online. Multiplataforma, acumula experiência em mídia impressa, eletrônica e assessoria de comunicação. Também é escritora, autora de cinco livros e 3 e-books, e atua como colunista social desde 2014. www.analavratti.com.br / social@analavratti.com.br Curta o Instagram @analavratti

Notícias Relacionadas