Aprimorando a arte fazer perguntas para encontrar as melhores respostas | Cannes Lions 2019

18 de Junho de 2019

Inteligência artificial e robôs podem ajudar a resolver muitas coisas, mas vai continuar sempre faltando o lado humano.

 

 

 

 

Técnicas para a formulação de perguntas e trazer melhores resultados

 

Há milhares de maneiras de formular uma pergunta, produzindo frases de efeito através da combinação de palavra por palavra. Existem mais de 10 mil maneiras de iniciar uma sentença. Seja para pedir ao garçom do restaurante um bife no ponto ou escolher o design o seu corte de cabelo. A maneira como se faz a pergunta é que vai trazer o resultado final. 

A edição do Cannes Lions de 2019 trouxe ao palco o CEO da empresa Taboola, Adam Singolda, e o Professor da Universidade de Harvard, Steven Pinker e cientista cognitivo, num debate que mostrou a importância de dois elementos essenciais para a criatividade através do uso de analogismo ou metáfora e também os elementos combinatórios.

 

Pinker comentou sobre dois elementos chaves importantes para o processo criativo. O analogismo, ou o uso de metáforas para dar um tom poético e força física, representando muitas possibilidades para a criação de ideias com a mesma estrutura. O segundo elemento é a combinatória, que é mais moderada para encontrar o nicho certo. 

A apresentação focou em um ponto importante e que correlaciona a Inteligência Artificial com as pessoas. Através das explicações do professor Pinker, foi possível entender que é difícil um viver sem o outro. “As máquinas podem até vencer no jogo de xadrez, mas jamais irão inventar o jogo”, ressaltou o professor. 

 

Adam Singdola citou uma pesquisa interna em sua empresa Taboola e que analisou dados de casais para identificar se o marido ou os robôs acertariam onde a esposa iria clicar nos links numa série de 3 artigos. Por duas vezes, os maridos acertaram, enquanto os robôs apenas uma vez. A conclusão foi que os robôs precisam de dados para lhe dar as respostas.

 

O nosso desafio é aprender a formular perguntas de cauda longa

Para obtermos as melhores respostas, é preciso passar as informações precisas para os robôs. E o uso de (longtail) ou cauda longa na elaboração das perguntas permite que as máquinas tenham maiores dados para trazer as respostas. Pinker comentou ainda que quando você elabora as perguntas e fornece os dados completos, você encontrará aquilo que buscas com mais facilidade.

 

palestrantes aprimorando a arte fazer perguntas para encontrar as melhores respostas | Cannes Lions 2019