As 5 previsões mais importantes para o Cannes Lions 2019 

17 de Junho de 2019

Accenture, empresa global de consultoria, gestão e tecnologia revela o que acontecerá no Festival neste ano.

 

 

Desde o ano passado, o Cannes Lions se tornou um festival mais curto e rápido. Os números de dias do evento diminuíram fazendo com que os participantes assimilem um volume maior de conhecimento num espaço de tempo bem menor.

As especulações ficam de lado e as marcas começam a apostar mais em previsões. O que acontecerá em Cannes neste ano?  Será o ano do storytelling mais uma vez? Inteligência artificial? 
Ou vamos tentar resolver os problemas da inclusão social ou igualdade de gêneros e focar em soluções e iniciativas que mudem este cenário? 

No final de cada edição do Cannes Lions, o AcontecendoAqui sintetiza todo o Festival traz para os leitores os principais assuntos que foram discutidos durante o evento e assim preparar o nosso mercado sobre as 5 principais tendências que deveram acontecer daqui pra frente.  

Algumas marcas globais que participam do evento começaram a revelar suas previsões sobre os tópicos que serão bem falados nos 5 dias do festival. Bronwyn van der Merwe, gerente geral da Fjord, empresa que faz parte do grupo Accenture, revela 6 previsões para este ano:

 

1)    Dados: O Silêncio é Ouro

Maior conscientização do uso da tecnologia sobre os problemas de saúde relacionados a muito tempo e desgaste nas telas de computadores e mobile. Teremos campanhas que geram impacto pelo fato de encontrar o ponto, volume e meio de comunicação correto. Sem forçar a barra. Será um trabalho que faz mais, com menos. Tudo isso alinhado a assuntos citados frequentemente na mídia como GDPR e Cambridge Analytica. 

 

2)    É a última chance para a conscientização ambiental

Veremos mais trabalhos que realizam o “walking the walk”, ou seja, fazer acontecer. Do que apenas o “doing the talk”, falar e não resolver. As marcas terão que atuar em questões de sustentabilidade ambientam e investir numa economia circular, através de produtos e serviços que reduzam a pressão sobre o planeta e o meio ambiente.

O AcontecendoAqui percebeu várias mudanças na edição do Cannes Lions 2019.

Cannes 2019 será muito mais verde. Não só no trabalho, mas no festival em si. Em 2018, muitas pessoas questionavam o volume de desperdício durante o Festival. Como podemos ser um festival de criatividade e ao mesmo tempo ecológico?

Acabaram-se as toneladas de papéis durante o festival. Antes os participantes recebiam todo o material impresso do evento e centenas de outros papéis. Isso já não existe mais. Há também uma grande iniciativa do evento em reduzir o volume de plástico e oferecer a cada participante uma garrafa térmica com vários postos de água filtrada ao redor do Palais.

Esta edição promete discutir sobre como ganhar a confiança e lealdade dos clientes através de decisões que não se baseiam apenas em preço e benefício do produto, mas no impacto em que seus produtos têm no planeta.

3)    Realidade e Realidade Sintética 

Há muita expectativa sobre quando a inteligência artificial ganhará o seu primeiro Leão no Palais. Existe uma relação quase indistinguível sobre o Real e o Sintético.  Avanços da Tecnologia GAN (Generative Adversarial Network), juntamente com computação quântica e inteligência artificial permitiu a criadores de conteúdo a renderização da imagem perfeita de uma mãe ((#RealMums by Dove) e encontrar o equilíbrio de imagens estereotipadas e que tornassem encorajadoras sem pressionar as mulheres.  
Outros influenciadores sintéticos, como Lil Miquela, conquistou a fama do Instagram através de seu estilo a ativismo único. 

(Generative Adversarial Network), juntamente com computação quântica e inteligência artificial, permitiram aos criadores de conteúdo renderizar a imagem perfeita de uma mãe (#RealMums by Dove) para encontrar um equilíbrio entre imagens estereotipadas e imagens que realmente encorajassem. Não pressione as mulheres. Também vimos influenciadores sintéticos, como Lil Miquela, conquistar a fama no Instagram por meio de seu estilo e ativismo únicos. Miquela entrou nas revistas de moda e é uma musicista / compositora cujo primeiro single foi lançado em 2018.

 

4)    Marcas precisam acreditar em alguma coisa, mesmo que isso signifique seu sacrifício

Está cada vez mais importante que as marcas representem algo com autenticidade e relevância. Mesmo que isto signifique a perda de clientes ou a destruição de seus produtos.  Pesquisas relevam que consumidores buscam as marcas que estão em busca de mudanças, ao invés de esperar pelos seus governos.  
Está se tornando cada vez mais importante ser autêntico e relevante, mesmo que isso signifique arriscar tudo, promete ser um grande ponto de discussão neste ano.

 

5)    Ultrasegmentação vs. Omnipresente

Até pouco tempo, era uma corrida louca para as marcas aproveitarem cada nova plataforma e estarem sempre ligadas para atrair públicos em qualquer lugar onde pudessem ser encontrados. Como os canais de mídia se tornaram mais lotados, tornou-se necessário que as marcas localizem as pessoas com quem estão falando. Esperamos ver conversas em torno de marcas que causam impacto "escolhendo suas batalhas" e sendo locais e não globais.
Algumas marcas como a Skittles 'Skittles Commercial: The Broadway Musical' e Xbox 'Football Decoded' usaram estratégias precisas para superar a concorrência e fazer com que suas vozes fossem ouvidas apesar de não serem patrocinadores oficiais de grandes partidas esportivas como Superbowl e FIFA.