Com campanha "Fazedores" Seven apresenta ação de lançamento da marca Ailos

06 de Novembro de 2018

Marca surge após mudança de nome do antigo Sistema Cecred

Depois de um longo trabalho de branding, em parceria com a Led Project Consultoria de Marca, de São Paulo, finalmente chegou o dia: o Sistema Cecred agora é Sistema Ailos. Mais do que uma alteração de nome, essa mudança impactou todas as 13 cooperativas, que agora possuem a identidade visual alinhada ao Sistema.

A campanha de comunicação, criada pela Seven, começou em maio e foi dividida em três partes. As duas primeiras etapas prepararam a mudança e a informaram aos colaboradores, cooperados e à opinião pública em geral. A etapa seguinte foi posicionar a marca em uma ação institucional que envolveu, além de Ailos, todas as cooperativas do Sistema. Sob o conceito de Fazedores, a campanha mostra que fazer um mundo melhor é possível e que essa busca está na essência de quem coopera. Entre as peças criadas para a campanha, há um documentário média-metragem com 27 minutos de duração, que também foi dividido em 4 episódios.

Para o presidente do Conselho de Administração do Sistema Ailos, Moacir Krambeck, o documentário mostra que o papel da Cooperativa é contribuir não só com os seus cooperados, mas também com o meio em que eles vivem. “Nós entendemos que pessoas que colocam a mão na massa e realmente transformam as comunidades precisam ser valorizadas. Essas quatro histórias podem servir como impulso para que mais gente entenda que, com a sua contribuição, vamos acelerar o processo de construção de um mundo melhor”, destaca.

Veja o documentário completo aqui.

As histórias

Foram 8 diárias e mais de 30 pessoas envolvidas por trás das câmeras. As histórias foram gravadas em Blumenau e Florianópolis e possuem relatos emocionantes.
 
O Trapamédicos teve início com apenas duas pessoas, entre elas a idealizadora Adriana Kreibich da Costa, mais conhecida como Dra. Biscoito. Hoje são cerca de 70 voluntários que trocam suas roupas do dia a dia para se transformarem em palhaços. A grande motivação do grupo é transformar o ambiente onde estão crianças e adultos internados nos hospitais de Blumenau.  (SC).

Focada no empreendedorismo social e cultural, em 2013 nasceu o The Green Place Park. Jackeline Oliveira realizou o sonho de unir cultura, entretenimento, cidadania e colaboração em um único local. São cerca de 600 voluntários que se dividem para tornar realidade o complexo de ação multicultural com a prática de esportes, atrações musicais, cursos e workshops para a comunidade. O espaço é voltado para todas as idades.

Um acidente paralisou os movimentos de um braço do surfista Fidel Teixeira Lopes, mas não afetou sua vontade de continuar surfando. Ele superou as dificuldades e hoje coordena o Surfe Sem Fronteiras ajudando pessoas com deficiência a surfarem. Por meio do mar, elas têm uma experiência de inclusão e são motivadas para enfrentar os obstáculos da vida.
 
Luciane Vieira dos Santos Machado viu na música uma ferramenta de transformação. Ela deu início à Associação Novo Alvorecer, onde há 23 anos atende cerca de 60 crianças. E, há sete anos, criou a escola de música O Som da Alvorada. Ali uma orquestra com 20 alunos é comandada pelo Maestro Carlos Alberto Vieira. O trabalho teve início com apenas 5 violinos doados pela cooperativa Credcrea.  Hoje a associação conta com 55 violinos, 5 violoncelos e 4 violas. No final do ano, os pequenos músicos fazem uma apresentação, e toda a verba da bilheteria é dividida entre eles para incentivá-los ainda mais.

Notícias Relacionadas