Publicidade
Congresso Brasileiro da Confederação das Associações Comerciais e Industriais do Brasil termina em SC
12 de Novembro de 2007

Congresso Brasileiro da Confederação das Associações Comerciais e Industriais do Brasil termina em SC

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

12-11-07

Sebrae diz que das cinco milhões de empresas brasileiras existentes hoje, 99% são pequenas e médias

Publicidade

 - Mil e duzentas lideranças empresariais representantes dos 27 estados da federação participantes, seis grandes palestras, quatro painéis segmentados, três workshops, além das posses da diretoria da Facisc, da diretoria  do Conselho Nacional da Mulher Empresária, da entrega dos prêmios Associação Comercial e Empresarial Referência, Destaques do Empreender e Acesso à Justiça. Este foi o balanço final do 17° Congresso Brasileiro da Confederação das Associações Comerciais e Industriais do Brasil, CACB, 4° Encontro Nacional do Empreender e 11° Encontro Estadual do Empreender, eventos que aconteceram simultaneamente no Costão do Santinho, em Florianópolis (SC), de 07 a 09 de novembro.

Micro e pequenas sob holofotes
As micro e pequenas empresas estiveram sob os holofotes das discussões do evento. O Sebrae pontua que das cinco milhões de empresas brasileiras
existentes hoje, 99% são pequenas e médias que essa fatia de mercado representa 20% do Produto Interno Bruto (PIB) e 57% da mão-de-obra com carteira assinada no país. Cândida Cervieri, Diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, trouxe aos participantes do evento informações sobre o Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas que, desde o ano 2000, é um espaço de discussão do setor.

O Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas trabalha encampando 52 órgãos públicos nas três esferas e 57 entidades representativas, os quais se dividem em seis comitês temáticos. Entre as discussões, o acesso ao mercado, com destaque para as compras governamentais, a fiscalização e orientação, a simplificação das relações de trabalho e o estimulo à inovação fazem parte da vasta lista que contempla ainda outras discussões. Cândida reforçou que o Fórum busca, por exemplo, que as primeiras fiscalizações nas micro e pequenas empresas, sejam de segurança, higiene ou qualquer outra natureza, não sejam punitivas, mas orientadoras.

Já visando investimentos financeiros, a aproximação entre instituições financeiras e as empresas é a principal meta do Fórum que já realizou levantamento nacional e mapeou os “dez principais entraves” entre as duas pontas. Inclusive um programa de recuperação de empresas, que vai além da recuperação de crédito e abrange também a recuperação de gestão é o tema de um programa que o Fórum está em fase de aprimoramento.

Publicidade
Publicidade