Publicidade
6ª edição do Festival ARVO acontece em Florianópolis, nos dias 15 e 16/4
01 de Abril de 2022

6ª edição do Festival ARVO acontece em Florianópolis, nos dias 15 e 16/4

Impulsionar a cultura e a música autoral brasileira em Santa Catarina

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

O ARVO 2022 tem como objetivo criar uma experiência que reverbere a cultura brasileira – rica, diversa e inovadora.

Este ano, com uma missão a mais e não menos importante: levantar o astral do público sedento por este reencontro após dois anos de espera.

Publicidade

Segundo Nathalia Possebon, fundadora e produtora do festival, “Ficamos dois anos inativos por acreditar que o momento pedia calma. Esperamos esse tempo e agora estamos voltando com ânimo, com sede de arte e cultura! Não vamos poupar esforços para entregar o melhor para o nosso público”.

A edição, pela primeira vez, conta com dois dias de shows, e está marcada para os dias 15 e 16 de abril no Campeche, um dos primeiros grandes festivais a acontecer na cidade desde o fim de 2019. Com 24 horas de shows, 12 bandas e 14 DJs de diversos estados do Brasil, o ARVO reforça seu compromisso de preencher uma lacuna no cenário cultural catarinense, seguindo os moldes de importantes festivais nacionais e internacionais.

Pluralidade de estilos

A programação do ARVO é pautada pela pluralidade de estilos, formando um time de artistas culturalmente abrangentes. Assim, o público pode curtir sua banda preferida e também descobrir novas sonoridades, tornando o festival uma experiência ainda mais marcante.

Neste ano, mais de 20 atrações de todas as cinco regiões do país formam um caldeirão de música brasileira de Norte a Sul.
Segundo André Pardini, produtor do evento, “o propósito da curadoria musical do ARVO é fomentar a cultura brasileira em Floripa. Queremos que a cidade entre no mapa de shows nacionais, além de promover o encontro entre artistas locais com nomes consagrados de outros estados, criando um ambiente de troca no backstage”.

Heavy Baile (RJ), Dona Onete (PA), Mariana Aydar (SP), Júlio Secchin (RJ) e Jean Tassy (DF) são alguns dos nomes confirmados para esta edição.

Inclusão e representatividade

Além da diversidade regional do line-up, uma das preocupações dos organizadores do ARVO é trazer essa representatividade para todos os públicos envolvidos no festival.

Entre os artistas que se apresentarão nos dois dias de evento 50% são mulheres cis e transgênero, rompendo com a hegemonia masculina da cena musical brasileira.

“Na edição deste ano teremos lista VIP para pessoas trans e pessoas com deficiência (PCD), que terão também atendimento prioritário realizado por uma equipe especialmente treinada”, explica André Costa Nero, fundador e produtor do ARVO Festival. “No ARVO o público PCD não tem apenas acessibilidade, mas uma área exclusiva em frente ao palco, para garantir uma experiência igualitária”, finaliza André.

Respeito à natureza

Celebrado por sua responsabilidade com o meio ambiente, o ARVO vem evoluindo a cada ano quando diz respeito à sustentabilidade.
“Reduzimos em 90% os resíduos gerados nos eventos desde 2018. E para os resíduos orgânicos e descartáveis é feita a destinação correta, diminuindo os impactos ambientais. Estamos muito próximos de nos tornar um evento lixo-zero e isso nos enche de orgulho”, comemora Nathalia Possebon. “Terminar o evento e olhar para o chão limpinho, sem nenhum lixo, deixando o espaço exatamente como a gente encontrou é incrível”, diz a produtora.

A gestão dos rejeitos será feita pela Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap), que realizará a coleta do lixo, o transporte para a estação de tratamento, a separação e pesagem dos materiais e por fim a destinação correta. “Este ano o público terá acesso simultâneo, de hora em hora, aos resultados da geração de resíduos durante o evento, informação superimportante para a conscientização”, explica Nathalia. “Em 2022 também conseguimos retirar totalmente a presença de vidro do evento, o que faz do ARVO um festival livre de garrafas, reduzindo ainda mais nosso impacto ambiental”, completa.

A ideia dos organizadores é promover consciência ambiental, impulsionar a cultura e a música autoral brasileira em Santa Catarina, fomentando valores de sustentabilidade e igualdade em uma atmosfera de alegria e pertencimento.

 

Publicidade
Publicidade