Publicidade
21ª edição do Revezamento Volta reúne quatro mil atletas em Florianópolis neste sábado (16)
15 de Abril de 2016

21ª edição do Revezamento Volta reúne quatro mil atletas em Florianópolis neste sábado (16)

Publicidade

Neste sábado (16), quatro mil atletas estarão reunidos em Florianópolis para a realização da 21ª edição do Revezamento Volta à Ilha. A prova que tem como objetivo contornar a capital catarinense começou em 1996 e ao longo destes 21 anos se tornou um dos maiores eventos esportivos do país, atraindo corredores de todos os tipos em um dia de pura confraternização, espírito de equipe e muito suor. No total, as quatrocentas equipes precisam percorrer 140km, divididos em dezessete trechos, com largada e chegada na Avenida Beira Mar, passando por asfalto, dunas, praias e trilhas.

A partir das 4h15 saem os primeiros corredores sentido ao norte da Ilha, e a cada quinze minutos um grupo de atletas inicia a prova. As equipes mais velozes e que vem para brigar pelo título largam às 7h15. Cada uma das etapas têm uma distância e um nível de dificuldade particular, o que exige, além de muito preparo, um grande nível de organização dos participantes. Considerada uma prova democrática, o Revezamento Volta à Ilha conta com todos os tipos de corredores, desde os profissionais, que vão em busca de recordes e títulos, passando pelas duplas, que são extremamente exigidos devido ao longo percurso, passando por atletas amadores que buscam superar seus próprios limites.

Publicidade

E são muitas as histórias que fazem parte da Volta à Ilha. Um dos casos mais emblemáticos e que retratam muito bem o espírito do evento pode ser contada através do caso de Leonel Francisco de Souza. Com 80 anos, o corredor que tem 47 maratonas em seu currículo participa pela 15ª vez do Revezamento Volta à Ilha. De Olinda (PE), Leonel sempre chega ao evento com grandes expectativas, afinal sua equipe sempre lhe prepara uma surpresa.

“Eu ainda não sei quais trechos vou correr. Eles só me falam no dia da prova”, comenta. Empolgado com tudo que já viveu no evento, o veterano fala com emoção da prova. “Para mim é um prazer imenso participar deste evento. A Volta à Ilha me faz rejuvenescer. Essa amizade e o calor humano que fazem parte do evento são coisas indescritíveis. Esse ano eu pretendo me aposentar das Maratonas ao completar 50, mas a Volta à Ilha eu não largo. Enquanto Deus me der forças nas pernas eu estarei aqui”, completa.

Publicidade
Publicidade