Publicidade
Será que o planeta Terra realmente vai ter um fim?
17 de Março de 2023

Será que o planeta Terra realmente vai ter um fim?

Quanto tempo ainda nos resta?

Publicidade

Falar sobre o fim da humanidade e até mesmo sobre o fim do planeta Terra é algo que deixa as pessoas atormentadas. Talvez seja por causa do medo da morte ou possa ser o medo de “tocar em uma ferida” criada por nós mesmos, seres humanos?

Digo isso pois, estamos em pleno século XXI, ano de 2023, e indícios de um possível fim do planeta Terra se comprova a cada dia que passa. China e Estados Unidos da América, por exemplo, são os maiores emissores de gases poluentes e, os reflexos de tal poluição já podem ser vistos na atualidade, com catástrofes ambientais e mudanças climáticas.

Publicidade

Em dezembro do ano passado, um terremoto de magnitude 6,4 atingiu a região do Norte da Califórnia, nos Estados Unidos. Em julho do mesmo ano, chuvas e tempestades extremas atingiram a China, causando inundações e deslizamentos. Também podemos ressaltar o calor extremo vivenciado pelos europeus, onde países como o Reino Unido, por exemplo, teve recorde de temperatura nacional depois de ultrapassar os 40 graus Celsius, em julho.

Será que as ações humanas são capazes de causar a destruição do planeta Terra?

Segundo pesquisadores, a poluição do ar, o desmatamento, a extinção de espécies, degradação do solo e a superpopulação representam grandes ameaças, que devem ser resolvidas para que o planeta continue sendo um lar para todas as espécies.

De acordo com um artigo publicado em 2014, na revista Science, há dois modelos para calcular essa contagem regressiva para o extermínio do planeta.

O primeiro afirma que em 150 milhões de anos nossa existência terminaria. Tal cálculo – feito por pesquisadores da American Pennsylvania State University, liderados pelo cientista Ravi Kopparapu – simula um aumento de 6% na radiação solar e diz que, em 150 milhões de anos, apenas a vida subaquática e alguns micróbios resistentes seriam viáveis.

Já o chamado “modelo Kopparapu” sustenta que, com o aumento das temperaturas, dentro de 600 ou 700 milhões de anos nenhuma vida seria possível na Terra.

No entanto, de acordo com a Science, Eric Wolf e Owen Brian Toon fizeram um modelo 3D no Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica, em que incluem variáveis muito mais precisas. Resultado: temos 1,5 bilhão de anos restantes.

É válido acrescentar que o sol se aquece naturalmente, como uma estrela, e, consequentemente, sua radiação aumenta. Também se sabe que, segundo estudos, o sol vai morrer em aproximadamente em 4 bilhões de anos. E assim podemos citar diversas possibilidades para um possível fim do planeta Terra, como a atmosfera sendo perdida para o espaço, devido a um poderoso vento solar e à temperatura da superfície da Terra, que se acredita estar coberta por um oceano de magma no qual flutuarão continentes de metais e óxidos metálicos e icebergs de materiais refratários” e também da explosão da lua em mil pedaços, se tornando algo semelhante aos anéis de Saturno.

Entretanto, nós, seres humanos, com a destruição da camada de ozônio, causada pela desertificação e outros fatores, contribuímos para mudar o clima e dificultar a sobrevivência.

O que podemos afirmar com clareza nos dias de hoje, é que teremos um fim e que, as nossas ações desencadearão o futuro da humanidade.

Foto:Freepik

Publicidade
Publicidade