Publicidade
Daniela Germann, coordenadora de Comunicação Social da Unisul, fala sobre suas atividades na Universidade
16 de Julho de 2013

Daniela Germann, coordenadora de Comunicação Social da Unisul, fala sobre suas atividades na Universidade

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

daniela-germannUm posto, várias atribuições e muita responsabilidade. Assim pode ser resumida a rotina de trabalho de Daniela Germann na Unisul. Há mais de dez anos na universidade, começou lecionando algumas disciplinas para os alunos do curso de Jornalismo. Hoje, é coordenadora do curso de Comunicação Social, que abrange habilitações em Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

O curso passa por um momento de transformação. No primeiro semestre de 2013, os acadêmicos que ingressaram na universidade sentiram a intensidade do novo currículo, idealizado pelo antigo coordenador, Luciano Bittencourt, e executado pela atual gestão de Daniela Germann.

Publicidade

Liderar é uma tarefa difícil. É preciso ter conhecimento de causa. No caso de Daniela, a liderança não é subordinada, ou seja, ela não é chefe de uma equipe que precisa obter lucro a uma determinada empresa. Sua liderança se dá em prol de um objetivo mais singelo, isto é, o conhecimento.

Ela muito caminhou até aqui. Formada em jornalismo em 1995, Daniela possui também, MBA em Marketing e um mestrado na área da literatura na Unisul. Agrega ainda mais peso ao seu currículo, uma experiência de cinco anos no exterior, com passagens por países da Europa como a Inglaterra, Itália e a Suíça.

“Eu cheguei a trabalhar em dois jornais para a comunidade brasileira. Um que era o Euro Brasil Press, que era um jornal que circulava por toda Europa, destinado única e exclusivamente para comunidade brasileira. Lá, eu trabalhava como freelancer. Depois, na Suíça, comecei um doutorado de recepção televisiva. Antes de eu ir para a Europa, eu trabalhei um período na TV educativa do Rio Grande do Sul, então minha formação era para a área de audiovisual. Também trabalhei no Brasilonia que era um jornal também em Língua Portuguesa destinado à comunidade brasileira na Suíça; e fiz um trabalho numa televisão italiana”, lembra Daniela.

Essas são algumas experiências onde o conhecimento jornalístico lhe foi exigido. Apurar informações, escrever um texto claro e na norma culta no caso das atividades em jornal impresso. Já no caso, da televisão, produção de matérias, gravações, edição de imagens. Conhecimentos partilhados com os alunos do curso de jornalismo da Unisul. E foi ainda no exterior, que na prática profissional do dia a dia, ela desenvolveu conhecimentos que servem de experiência e lhe dão base para ensinar tanto para os alunos do jornalismo, quanto para os alunos da Publicidade.

“Trabalhei na Gianni Versace, eu era responsável pelos mercados da América Latina, Portugal e Espanha. Era uma função administrativa. A cada início de coleção, a gente recebia toda a imprensa de moda internacional. Eu fazia, de certa forma, um papel de assessora. Nos grandes desfiles da Versace também. Lembro que, na época, a Madonna e Naomi Campbel eram as estrelas.

Na volta para o Brasil, uma inserção rápida no mercado de trabalho. Em menos de seis meses, Daniela, já estava trabalhando na RBS, na UFSC e na Unisul. Depois, atuou na Delmondo, empresa de estratégia de comunicação, na época, uma das melhores assessorias do estado.

Aos poucos, os caminhos profissionais de Daniela ganharam o direcionamento acadêmico. E ela escolheu esse caminho em função de grandes desafios e de atividades que fazem parte da memória do curso de Comunicação Social da Unisul. Grande exemplo, é a atuação dela em um jornal televisivo laboratório, o Metropolitano, e a agência Ludica, ambas experiências que ela orientou e que fizeram diferença na formação acadêmica dos alunos, por inseri-los no mercado de trabalho, ao desempenharem funções semelhantes as exigidas lá fora.

Conhecedora da história do curso, ela lembra do momento em que assumiu a coordenação e lembra que desde dessa época, uma nova realidade vem sendo elaborada e preparada através da reformulação do projeto pedagógico. “A instituição, nesse período, estava passando por muitas transformações, se rearranjando em relação a nova realidade econômica e social e do jornalismo em si enquanto profissão e da própria publicidade. Esse novo projeto pedagógico já vinha sendo gerido há bastante tempo. Foi exatamente em 2007 que eu tinha chegado que o Luciano já estava trabalhando no projeto há um, dois anos. Já era um projeto que vinha sendo pensado, alimentado”, conta Daniela.

E para o futuro, anseia ver a engrenagem funcionando tão bem, ou melhor, do que a realidade percebida até aqui. Houve uma mudança curricular na Unisul e agora a formação é por competência e não mais uma formação conteudista. O foco passou a ser no desenvolvimento das competências.

“É claro que tem muitas coisas a serem ajustadas ainda, mas hoje, no caso do jornalismo, temos uma primeira fase que já produziu crônicas sonoras, perfis, materiais audiovisuais e nisso tudo o que foi mais significativo foi o processo de aprendizagem. A principal diferença que percebo é que a intensidade é muito forte. Há uma continuidade no conhecimento, e não uma fragmentação. O processo de ensino é contínuo”.

Na Publicidade, habitação que ela também coordena, as mudanças também são relevantes e perceptíveis. Os alunos desenvolveram dois projetos, trabalhando com clientes reais e também não reais, e nos dois casos os alunos fizeram o processo comum de briefing e criação.

“Eu acredito que a médio e longo prazo a gente vai ter um curso muito bem azeitado, porque a engrenagem, de uma certa forma, está entrando nos eixos de novo. Para mim, o que me dá mais satisfação é perceber o envolvimento dos alunos com o curso. Agora que precisamos é fazer isso sair para fora da universidade. A gente tem o Intercom sul 2014 ano que vem onde a gente vai colocar a Unisul no roteiro de eventos acadêmicos importantes e os alunos também têm se empenhado. Entendo que primeiro a gente precisa arrumar a casa, para depois abrir as portas”.

A Unisul

A Unisul foi fundada em 1964, na cidade de Tubarão no sul do Estado. Hoje possui campus também na Grande Florianópolis. Além disso, oferece ensino a distância e tem, portanto, acadêmicos em todo país. A universidade oferece 44 diferentes cursos presenciais de graduação, 23 cursos a distância, 3 programas de stritto senso e 17 pós-graduações. Hoje tem 35 mil alunos e é mantida pela Fundaçao Unisul. O atual reitor é o professor Sebastião Salésio Herdt.

Publicidade
Publicidade