Publicidade
Você sabe quais são as tendências do mercado de programação para esse ano?
27 de Maio de 2022

Você sabe quais são as tendências do mercado de programação para esse ano?

Especialista no segmento lista quais elementos que chegam fortalecidos para o setor

Publicidade
Twitter Whatsapp Facebook

Após dois anos trancados em casa, a sensação é de que o ano de 2022 marca a retomada de vários setores da sociedade que ficaram paralisados durante a pandemia.

No entanto, quando tratamos a área tecnológica, a realidade mostra um segmento que vive justamente o oposto. Potencializado pelo confinamento, o setor da tecnologia corporativa é um dos que mais deve crescer neste ano, ultrapassando a marca dos 9% segundo dados revelados pela IDC.

Publicidade

Para entender quais serão as linhas evolutivas para o cenário de desenvolvimento de softwares neste ano de 2022, Thiago Milo, Líder de Tecnologia da Novatics, principal estúdio de software e produtos digitais do Brasil, lista as cinco principais tendências do setor para os próximos anos.

Segurança de dados

Se manter os dados seguros sempre foi a principal preocupação dos programadores, o contexto atual se mostra um grande desafio para estes profissionais. Os ataques de ransomware e os recentes vazamento de dados de usuários se intensificaram, exigindo um esforço ainda maior para aumentar a segurança dos sistemas na web. Além disso, questões relacionadas à privacidade e transparência de dados estão ganhando cada vez mais atenção por parte do público e empresas.

Low Code/No Code

Mais rápida, fácil e, se bem utilizada, tão efetiva quanto o trabalho de um projeto programado do 0, as plataformas Low Code têm ganhado cada vez mais espaço entre os desenvolvedores. Possibilitando a criação de softwares seja um processo mais condensado, essa abordagem minimiza a codificação por meio do uso de modelos pré-definidos, técnicas de design gráfico e ferramentas de arrastar e soltar para criar um software. “Trazendo uma redução no tempo de desenvolvimento e diminuindo a dependência de profissionais com alto nível de experiência, o modelo torna-se extremamente atrativo no mercado de desenvolvedores”, explica.

AutoML

Outra tendência que entra muito forte para 2022 é o machine learning automatizado, também conhecido como AutoML. Neste modelo, que exige cada vez menos de uma participação humana para a elaboração da ferramenta, o peso de tarefas extremamente trabalhosas e repetitivas são retiradas das mãos dos especialistas, que podem focar suas ações para etapas mais valiosas e importantes do trabalho.

“O desenvolvimento do Machine Learning ‘tradicional’ exige o uso intensivo de recursos, um conhecimento e domínio significativo, além de tempo para produzir e comparar dezenas de modelos. Com o machine learning automatizado, é possível acelerar todo esse processo e aplicar modelos de ML com mais agilidade, sem necessariamente depender da atuação direta de um especialista”, revela o líder de Tecnologia da Novatics.

Blockchain e tokenização

Um dos temas mais comentados durante a pandemia, a tecnologia blockchain vai muito além da questão das criptomoedas e NFT. Possibilitando um meio muito mais seguro para trocas de informações, essa tecnologia tende a se fortalecer cada vez mais no desenvolvimento tecnológico. “Deixando de lado a imagem inicial diretamente vinculada às criptomoedas, o blockchain vem ganhando destaque como plataforma confiável e transparente para trocas de informações. O registro distribuído de transações, garantia de confiabilidade e possibilidade de auditoria descentralizada são algumas das características que atraem uma atenção especial ao blockchain, sobretudo para segmentos mais exigentes nesse sentido, como governo, bancos e empresas do setor tecnológico”, ressalta Thiago Milo.

Atrelada à essa tecnologia, é necessário ressaltar o papel importante da tokenização no contexto atual. O ato de transformar um ativo real em um ativo digital, fragmentado em unidades criptografadas registradas em rede blockchain, chama a atenção ao garantir uma segurança maior a essas transações. “Ao possibilitar a transformação de qualquer ativo físico em digital, o mercado financeiro caminha para uma direção de ‘democratização’, facilitando o acesso a ativos e melhorando a transparência das plataformas financeiras”, completa.

Cloud First

Outra mudança significativa trazida pela pandemia foi a potencialização do conceito dos aplicativos em nuvem. Apesar dessa já ser uma tendência de alguns anos, a necessidade da aplicação dessa tecnologia deixou de ser um diferencial para o setor, passando quase a ser uma obrigatoriedade após este período pandêmico. “Hoje as aplicações já nascem na cloud. O ambiente de desenvolvimento, testes e produção ficam todos na nuvem. Cada vez mais as organizações migram seus serviços e seus ambientes de desenvolvimento/testes/produção totalmente para a nuvem”, avalia o executivo.

Foto:Pixabay

Publicidade
Publicidade