Verbas de publicidade digital ameaçadas pelas fraudes de cliques

04 de Outubro de 2019

Cliques falsos chegam a 20%

A CPI das Fake News está em dicussão no Congresso Nacional visando determinar o impacto desse tipo de prática nas eleições de 2018, um dos aspectos que garante o retorno financeiro de quem publica conteúdo inautêntico acaba pouco discutido. 

Falta de confiança aumenta
A oferta automática de anúncios online suga o investimento de grandes empresas em páginas com alto tráfego, mas baixa confiabilidade. Um grande aparato e tecnologias são utilizados para influenciar o debate público de forma danosa e são usados para lucrar de forma indevida com o dinheiro gasto por pequenas e grandes empresas em anúncios digitais, que remuneram o publisher por clique.

Como os cliques falsos são gerados? Há, por exemplo, o uso de fazendas de cliques na Ásia, em que trabalhadores contratados por salários baixíssimos passam dias clicando em anúncios de forma ininterrupta ou tráfego automatizado gerado por bots ou programas de computador.
 

Como um todo, a indústria de clicks enganosos causou um prejuízo de US$ 35 bilhões em 2018, de acordo com a Juniper Research.

IA luta contra o mundo fake
“Podemos dizer que isso tipo de prática é uma das formas encontradas para praticar golpes em publicidade digital”, explica Michel Primo, da ClickCease, martech israelense especializada na identificação e bloqueio automático de fraudes do tipo.

Com o uso da  inteligência artificial e análise de tráfego, a ClickCease identifica problemas do tipo e bloqueia a origem dos cliques para dificultar ações fraudulentas. Assim, as empresas preservam seus investimentos e ajudam a desestimular a propagação de notícias falsas na internet. Segundo a martech, os cliques falsos correspondem, na média a 20% do total de cliques de uma campanha digital.

Notícias Relacionadas