Preocupação com as pessoas é essencial para transformar Florianópolis em Smart City

30 de Julho de 2020

Pesquisa liderada pela Fecomércio/SC define linhas de ação para impulsionar a inovação no município

Imagem: Leonardo Sousa/Prefeitura de Florianópolis 

 
Estudo feito pela Fecomércio em parceria com a UFSC, a Universidade de São Paulo, a Queensland University of Technology, a Prefeitura da Capital, Instituto Lixo Zero, o Floripamanhã, Senac, Sebrae SC e Governo de Santa Catarina mostra que a formação e a atração de talentos, a criação de mais espaços de convívio e a valorização da arte e da cultura locais estão entre as medidas consideradas essenciais para transformar Florianópolis em uma cidade inteligente. Além disso, mostra a pesquisa, feita a partir de entrevistas com pesquisadores e empresários que atuam na área de inovação, há necessidade de instituir um agente neutro, nos moldes de uma agência de desenvolvimento urbano, que pode ser responsável por definir estratégias claras de ação e organizar e orquestrar os vários esforços feitos por diversas entidades em torno de objetivos comuns. “Esse estudo revela o sentimento de pessoas que atuam diretamente na área de inovação e lista de forma bastante clara iniciativas que os diferentes atores do setor – empresas, poder público, universidades e sociedade em geral – podem fazer para contribuir na construção da Florianópolis de 2030”, diz Jamile Sabatini Marques, Presidente da Câmara de Tecnologia e Inovação do Sistema Fecomércio.

Chamado Smart Floripa 2030: Transformando Florianópolis numa Cidade Inteligente de Inovação, o estudo foi apresentado ao público em uma live e agora pode ser acessado no site da Fecomércio. Entre os desafios listados, vários são ligados às pessoas: falta de mão de obra qualificada em quantidade para atender à crescente demanda do setor; pouca retenção de pessoas qualificadas; falta de mulheres empresárias líderes no ecossistema, e falta de mulheres interessadas nas áreas de engenharia e desenvolvimento. “Nos últimos anos foram criadas inúmeras empresas de tecnologia na cidade e outras foram atraídas para o nosso ecossistema. Agora atingimos outro patamar. Essas empresas vão buscar novos mercados (a internacionalização do setor também aparece com destaque no estudo) e a qualificação das pessoas é cada vez mais importante”, disse o prefeito Gean Loureiro. Segundo ele, sociedade e poder público deverão pensar juntos em formas de aperfeiçoar a formação de pessoas e estimular que meninas se aproximem das ciências ainda na educação fundamental ou no ensino médio.

Presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt afirmou que a entidade vai apoiar esforços que venham a ser postos em prática para transformar em realidade as recomendações listadas na pesquisa. Ele destacou a futura inauguração do Museu de Florianópolis, que vai funcionar no prédio onde funcionou a Câmara de Vereadores, no Centro Histórico da capital, região considerada importante pólo de desenvolvimento da economia criativa da cidade. “O Centro será um novo foco de desenvolvimento do setor, com incentivo à industria criativa e proximidade com a cultura”, disse o prefeito Gean Loureiro. Esta pauta contou com o apoio da All Press Comunicação.

Notícias Relacionadas