Falha de segurança no Clubhouse permitiu transmitir áudios fora da plataforma

25 de Fevereiro de 2021

ESET analisa a extração não autorizada de logs de áudio com conversas de várias salas dentro do aplicativo exclusivo para convidados

 

O Clubhouse,  aplicativo popular para dispositivos iOS de conteúdo de áudio, sofreu recentemente um incidente de segurança. A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, analisa o caso em que um usuário do Clubhouse extraiu logs de áudio não autorizados com conversas de várias salas dentro da plataforma social exclusiva para convidados.

O Clubhouse é uma rede social na qual o usuário pode ouvir ao vivo entrevistas, conversas e debates sobre diversos temas que acontecem em diferentes salas. No momento, o aplicativo está disponível para iOS, mas a plataforma confirmou que está trabalhando em uma versão para Android e na abertura de acesso ao aplicativo para todos os usuários.

No último fim de semana, um usuário não autorizado conseguiu extrair áudios de várias salas do aplicativo para um site externo à plataforma. Aparentemente, trata-se de um usuário cuja identidade é desconhecida, e que encontrou uma forma de compartilhar remotamente seu acesso com o resto do mundo. O problema é que o conteúdo das conversas era privado.

Conforme a empresa confirmou à Bloomberg, a rede social proibiu o usuário de acessá-la e eles garantem que adicionaram novas medidas de segurança para evitar que isso aconteça novamente. No entanto, de acordo com declarações de Alex Stamos, diretor do Stanford Internet Observatory, o aplicativo "não pode prometer a privacidade de nenhuma das conversas que ocorrem em todo o mundo", portanto os usuários desta plataforma devem presumir que todas as suas conversas estão sendo gravadas.

Por outro lado, o site Silicon Angle informou na segunda-feira passada que houve outro incidente no Clubhouse. Nesta ocasião, aparentemente um desenvolvedor externo à empresa desenhou um aplicativo de código aberto que permitia aos usuários do Android acessar a plataforma sem a necessidade de um convite para que qualquer pessoa pudesse ouvir os arquivos de áudio.

“O Clubhouse ainda está no início e, como acontece com muitos aplicativos, a privacidade do usuário costuma ser deixada de lado. Semelhante a quando o uso do Zoom disparou, o Clubhouse está experimentando grande aceitação e aprendizado à medida que avança. Muitas vezes, a segurança e a privacidade da base de usuários da startup não são consideradas tão importantes quanto o crescimento da empresa. No entanto, sem a proteção adequada, é seguro dizer que não há longevidade", disse Jake Moore, especialista em segurança da ESET.

Para saber mais sobre segurança da informação, acesse o portal de notícias da ESET: https://www.welivesecurity.com/br/

 

Sobre a ESET

Desde 1987, a ESET® desenvolve soluções de segurança que ajudam mais de 100 milhões de usuários a aproveitar a tecnologia com segurança. Seu portfólio de soluções oferece às empresas e consumidores de todo o mundo um equilíbrio perfeito entre desempenho e proteção proativa. A empresa possui uma rede global de vendas que abrange 180 países e possui escritórios em Bratislava, San Diego, Cingapura, Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo. Para mais informações, visite www.eset.com/br

Notícias Relacionadas