Facebook aprimora IA para melhorar descrição de fotos para deficientes visuais

21 de Janeiro de 2021

Atualização da ferramenta AAT consegue identificar 10 vezes mais conceitos do que a última versão

Foto de Kaboompics .com no Pexels

O Facebook anunciou na última terça-feira (19), em seu blog oficial, a atualização da sua ferramenta de Inteligência Artificial intitulada de AAT (automatic alternative text, ou texto alternativo automático, em tradução livre) para melhorar a performance de descrição de fotos publicadas nas redes sociais, a fim de ajudar os cegos e deficientes visuais a aproveitarem melhor seus feeds de notícias.

A partir de agora, a ferramenta pode identificar os principais elementos de uma imagem por meio de bilhões de fotos e hashtags publicadas no Instagram de diversos lugares do mundo e idiomas, e em cima de mais de 1,2 mil conceitos - mais de 10 vezes mais do que a versão original lançada em 2016. Também foram atualizados conceitos como os de gênero, tom de pele e idade, tornando a leitura das imagens mais inclusivas cultural e demograficamente.

Nesse sentido, é possível identificar casamentos em todo o mundo mesmo se não houver uma noiva vestida de branco, ou até mesmo atividades, pontos de referência, tipos de animais, monumentos nacionais ou alimentos como arroz ou batatas fritas. Por exemplo: "Pode ser uma selfie de 2 pessoas, ao ar livre, a Torre Inclinada de Pisa".

As descrições também incluem informações posicionais simples - superior / médio / inferior ou esquerda / centro / direita - e uma comparação da proeminência relativa dos objetos, descritos como "primários", "secundários" ou "secundários". Dessa forma, ao invés de descrever a imagem como "Pode ser uma imagem de 5 pessoas", é possível especificar que há duas pessoas no centro da foto e três outras espalhadas em direção às bordas, o que implica que as duas no centro são o foco.

O Facebook explica que, com a margem de erro na descrição das imagens, é possível que a ferramenta omita intencionalmente conceitos que não pode identificar. "Queremos dar aos nossos usuários cegos ou deficientes visuais o máximo de informações possível sobre o conteúdo de uma foto - mas apenas informações corretas", afirma no anúncio. Mas esse com certeza é um grande passo para o avanço da acessibilidade da plataforma.

Notícias Relacionadas