Empresa identifica fraude e alerta para golpes com o Pix

25 de Janeiro de 2021

Relatos de golpe tiveram início no dia 16 de janeiro, no Twitter

Créditos: Divulgação

No último dia 16, começaram a surgir relatos no Twitter sobre uma falha no sistema operacional do Pix. Os usuários afirmaram ser possível duplicar o dinheiro enviado por meio do método de pagamento utilizando uma chave aleatória específica. Supostamente o que aconteceria é o estorno do valor enviado sem que a quantia tenha sequer saído da conta, o que de fato duplicaria o valor.

Apenas durante as 24 horas daquele dia, ocorrências do termo Pix tiveram um aumento de 400% em todas as fontes monitoradas pela empresa brasileira Apura Cyber Intelligence. Isso porque a notícia da falha havia sido compartilhada entre os cibercriminosos, e então imagens e vídeos falsos da falha sendo explorada começaram a surgir na internet.

“Identificamos que a falha realmente existiu, mas apenas uma instituição financeira parece ter sido afetada por ela e a chave aleatória que estava sendo utilizada pelos meliantes parou de funcionar. No entanto, começaram a surgir relatos de que a falha era geral e o objetivo era enganar justamente quem procura tirar vantagem da falha. Tais pessoas acabavam por tentar fazer o Pix para determinada chave compartilhada e o dinheiro era transferido para o outro criminoso. Essas táticas de meliantes tentando enganar uns aos outros é bastante comum e muito realizada quando uma nova falha é descoberta”, explica o coordenador de Reports da Apura, Marco Romer.

Por isso, o profissional destaca: “É preciso redobrar a atenção e nunca utilizar chaves ou dados para Pix de pessoas que não se conhece ou com as quais não se pretenda ter nenhuma relação comercial. Sempre confirme se a pessoa que vai receber é realmente aquela para qual você deseja enviar o valor. E sempre desconfie de métodos mirabolantes de ganhar dinheiro rápido e fácil”, finaliza Romer.

Notícias Relacionadas