Como a tecnologia Blockchain pode fazer parte da sua vida

19 de Fevereiro de 2020

Blockchain não é um sinônimo de criptomoeda. Você vai saber porque.

 

Mesmo para quem só ouviu falar no termo via notícias ou se deparou com ele sem querer, Blockchain acabou se tornando um sinônimo de moeda virtual (ou mesmo da Bitcoin, a mais conhecida de todas pelo público leigo).
Acontece que Blockchain não é um sinônimo de criptomoeda, e a seguir vamos falar não só o porquê, mas também sobre como essa tecnologia pode estar (e muitas vezes já está) presente na vida de todos nós.
 

Portanto, saiba que ao procurar a cotação do Bitcoin, pesquisar Litecoin hoje ou qualquer outra criptomoeda e sua valoração, existe uma tecnologia incrível por trás dessa moeda que se espalha para diversos setores.
 

Antes de mais nada: o que é Blockchain?
A primeira coisa que precisamos deixar claro é que Blockchain não é uma tecnologia do futuro, e sim do presente – fosse assim, as moedas virtuais, que são seu principal “rosto público”, não existiriam há mais de dez anos.
Blockchain, na verdade, é o motor que permite a essas criações existirem e funcionarem.

 

Sem mais delonga: blockchain é um sistema que descentraliza e protege informações, dados e registros de todos os tipos. Ela pode estar presente em qualquer nicho de mercado: finanças, alimentos, transporte e o mais você conseguir imaginar.
 

Imagine que você tem um bloco de folhas (literalmente), e nele você insere uma série de informações relevantes para o seu negócio, clientes ou afins. Em outro bloco, que cumpre as mesmas funções do primeiro, você adiciona outras informações, e assim por diante. Todos eles são ligados cronologicamente. Até aqui simples, certo?
 

Agora imagine que esses blocos, ao invés de estarem num pedaço de papel, são digitais, e existem apenas no computador. Nenhuma novidade aí também. 
O que torna o blockchain inovador não é ser digital, e sim ser uma informação online imutável, protegida e confiável num nível atemporal – o que as opções anteriores certamente não eram.

 

Quem está usando?
Qualquer um pode e muitos já se valem da tecnologia e da segurança sem precedentes do blockchain. Aliás, o profissional especializado no gerenciamento dessa tecnologia se tornou um dos mais cobiçados do mercado
Vamos usar como exemplo a indústria alimentícia. Imagine todo o procedimento pelo qual passa, digamos, uma barra de chocolate, desde o momento em que é um simples grão de cacau até terminar na boca do consumidor final.

 

Entram nessa história o produtor rural que cultivou o cacau, depois quem o colheu, seja de maneira manual ou automatizada, a fábrica que transformou a matéria-prima em produto (no caso, o chocolate), o verdadeiro mundo de marketing, finanças e vendas que participaram, a distribuição logística, a estocagem, a venda e, finalmente, a aquisição pelo consumidor final.
 

Este exemplo está ainda mais simplificado do que a realidade, mas vamos usá-lo para pensar no número de informações e dados que são gerados e utilizados por cada uma dessas etapas. São planilhas de produtividade, recibos, contratos, contas, holerites, relatórios e o que mais você puder imaginar.
 

Onde entra o blockchain nisso tudo? Simples. Até então, cada um desses dados era armazenado e organizado individualmente (a fábrica com a planilha de produção, o responsável pela colheita com seu holerite do mês e assim por diante). 
Dificilmente um teria acesso às informações do outro e, se precisasse, teria muito trabalho. O blockchain é o que muda tudo.
A partir do uso da tecnologia do blockchain, as informações passam a ser integradas nos blocos de dados, dos quais todos que participarem têm autorização especial, com diferentes níveis de permissão de acesso e, o principal, não depende de um órgão ou computador centralizador. Elas estão seguras na nuvem, e a modificação de uma das partes não afeta as outras.

Segurança e confiança
Eis aí a pergunta que todos mais fazem: é seguro? Sim, é, e esse é o grande trunfo do blockchain. Muitos dos sistemas que utilizam a tecnologia, inclusive, adotam o nome de “trust” – literalmente, “confiança” em inglês. Para se ter noção, até governos, quase sempre conservadores quando o assunto é adoção de tecnologia,  estão se valendo do Blockchain.
Isso acontece porque os dados não apenas são imutáveis perante o tempo, mas também porque apenas quem faz parte da cadeia de produção ou similar, dependendo do mercado no qual está inserido. 
Respeitando ainda uma hierarquia, determinados blocos só podem ser acessados por determinadas partes, parcialmente ou integralmente.
Cada blockchain que é conectado de um computador ao próximo deixa para trás uma cópia de segurança e, ao mesmo tempo, deixa seu próprio registro no bloco, de modo que o rastro nunca desaparece – e segurança é isso.

Como o Blockchain afeta minha vida, afinal?
Já está afetando! As criptomoedas como a Bitcoin nasceram, tiveram um boom de popularidade e atualmente fazem parte do dia a dia de quem está inserido no nicho. O principal legado delas, porém, é o blockchain, que está sendo aplicado por um sem-número de empresas e pessoas ao redor do mundo.
Se você ainda depende de planilhas de papel ou um livro-razão individualizado para o seu negócio, o próximo passo é aprender tudo que puder sobre o blockchain, que já está aí para ser usado e, todos os dias, revoluciona tudo que acontece no mercado.