ARTIGO | Tecnologia e o futuro da gestão pública

25 de Maio de 2020

O que o país necessita, daqui para frente, é de uma infraestrutura adequada para que todos os 5.570 municípios brasileiros tenham uma conexão de alta qualidade

*por Jeferson Silva

 

A digitalização da administração pública, no âmbito municipal, estadual e federal, é realidade para poucos órgãos públicos no Brasil. Para se ter uma ideia, o próprio governo federal tem apenas 54% dos seus serviços disponibilizados digitalmente, de acordo com a Secretaria de Governo Digital, vinculado ao Ministério da Economia.

Com medidas de distanciamento social e o recorrente risco gerado pela pandemia do coronavírus, uma nova perspectiva se impõe na rotina dos cidadãos que demandam serviços públicos digitais e a distância, além de acelerar a inserção da tecnologia na gestão pública em toda sua esfera, integrando e modernizando o sistema. 

No atual contexto, a pandemia agilizou essa percepção e está fazendo com que órgãos públicos busquem por simplificar o atendimento à população através de soluções tecnológicas, além de preservar a saúde dos servidores que atuam para atender todas essas solicitações remotamente.

Todos os serviços já podem ser executados de forma digital, desde uma simples consulta de um processo/protocolo, até pagar uma guia, imposto ou taxa, diretamente de um dispositivo móvel, sem intervenção humana, senhas, filas ou burocracia. 

Para órgãos públicos, isso contribui também para auxiliar em análises e cenários e com isso, buscarem decisões mais assertivas, tudo numa plataforma totalmente em nuvem.

A demora nessa mudança está exatamente na cultura da área pública, sendo necessário tempo e perseverança para que essa cultura seja renovada com conceitos que em outros segmentos já são comuns, como na área financeira.

O futuro da gestão pública é cada vez mais digital, mas o que está faltando neste momento é unificar todos esses serviços e ferramentas de forma orquestrada e segura, oferecendo tanto para a população como para os gestores/agentes públicos, formas simples, práticas e, em especial, consolidadas, para que a máquina pública seja tratada e vista como uma coisa só.

Além dessa nova cultura a ser criada no segmento público, o que o país necessita, daqui para frente, é de uma infraestrutura adequada para que todos os 5.570 municípios brasileiros tenham uma conexão de alta qualidade e possam interagir com o governo e a população de forma cada vez mais transparente e integrado. 

Na GOVBR, por exemplo, durante o período da pandemia, disponibilizamos gratuitamente o CidadeMOB para mais de 600 prefeituras em 13 estados do Brasil. 

O aplicativo permite a intermediação de serviços públicos, tanto para gestores quanto para a própria população. Além disso, uma das possibilidades da plataforma é o lançamento de projetos, enquetes e campanhas, como de vacinação e situação do coronavírus no bairro ou região, engajando a participação popular. 

As prefeituras também poderão enviar mensagens aos usuários/cidadãos que utilizam o aplicativo, disponível para download e compatível com Android e IOS,  sem custos à comunidade nos municípios parceiros da empresa que optarem pelo seu uso.

 

*Jeferson é diretor executivo da GOVBR.

Notícias Relacionadas